Tag: moda masculina

Moda Para Homens: chinelos tipo slide seguem campeões de audiência fashion – fizemos uma lista que vale o investimento

É real oficial um vício que já se mantém há um tempo nos nossos pés e fazendo a nossa cabeça, esse das sandálias tipo slide. Também conhecidas como sliders, shower slides ou o bom e velho chinelo, esse calçado super anatômico, confortável e simples foi febre entre nossos tios, pais e avôs durante os anos 90. Na época, a marca com o chinelo mais famosão era a Rider, e era muito comum ver essas figuras desfilando com suas sandálias em praias, piscinas, dentro de casa… enfim, em situações mais descompromissadas. Mas as chinelas voltaram com tudo, dessa vez marcando presença em desfiles de moda, fotos de streetstyle e nos pés dos mais descolados.

Não vamos mentir, amamos essa tendência por tudo que ela representa. Além de nos trazer memórias afetivas de toda sorte (kkk), elas têm referência sporty (coisa pela qual estamos levemente obcecados rs), são práticas e comfy a beça e podem ser encontradas em diferentes materiais, além de serem produzidas por um bocado de marcas, ou seja: ~tem pra todos os bolsos obrigada de nada!~

Combinar seus slides com suas roupas é fácil, especialmente se você optar por um modelo de cor neutra. Pretos e brancos são certeiros, ainda mais para quem já gosta de uma estética clean. Eles vão muito bem com looks esportivos e futuristas, que exploram sobreposições e peças oversized. Ficam ótimos com a mistura básica de jeans e camiseta, funcionam com bermudas, looks super relaxados, looks mais fashionistas. Enfim, são realmente versáteis! Mas o jeito de usar que mais tá pegando geral é com meias, devemos admitir.

Não sabemos exatamente de que maneira a ideia da sandália com meias surgiu, uma vez que o propósito de usar sandálias parece ser o de deixar os pés frescos e livres, mas quem somos nós para julgar, não é mesmo? Às vezes deixamos o sentido de lado em nome de um bom efeito visual, além do que aproveitamos a ideia para usar as sandálias até mesmo no frio. Pensando bem, é provável que o primeiro look ostentando a combinação tenha nascido assim, né nom? rs. As sandálias com meias podem tanto dar uma graça ao seu look mais básico quanto justificar o uso de slides numa produção mais elaborada, que envolva alfaiataria, por exemplo.

Enfim, o babado é tanto em torno de um chinelo que a maioria das grandes marcas já lançou sua versão. A Supreme tem os seus, Adidas, Nike e outras marcas esportivas têm mais de um modelo, Givenchy, Lacoste… É marca que não acaba mais. Até a Rihanna fez sua versão felpuda e disputadíssima para sua coleção FENTY x PUMA. Assim sendo, aqui vai uma lista bacanuda de chinelos que podem dar uma incrementada no seu estilo!

NIKE BENASSI JDI – R$ 99,99

MELISSA BEACH SLIDE – R$ 100,00

ADIDAS DURAMO SLIDE – R$ 49,99 a R$ 99,99 (tem promo!)

ADIDAS ADILETTE – R$ 179,99

NIKE BENASSI SHOWER SLIDE – R$ 129,90

SUPREME – R$ 219,00

PS: alguns desses modelos estão em promo, os preços dos links podem mudar e variar dos aqui apontados!

Moda Para Homens: meias por cima da calça são a tendência polêmica do momento

A princípio pode soar muito esquisito, ligeiramente louco até, que se use as meias por cima da calça. A primeira imagem a emergir das profundezas da sua mente talvez seja a de moças fazendo exercícios com leggings e meiões — admitamos que nós gostamos de criticar esse hábito, ainda que haja justificativas até plausíveis para tão famigerado look de academia. Acontece, senhoras e senhores, que a moda é essa coisa elegante, às vezes cheia de frescuras, mas com toda a capacidade de ser inesperada, divertida e ousada. Ousada como meias por cima da calça.

Não vamos discutir; é uma sugestão um pouco abrupta, essa. Mas nada leviana, ok? Veja, gostamos de uma moda que surpreende e de experimentar eventuais extravagâncias. O estranhamento inicial é compreensível, mas se você sentir um pingo que seja de atração pela ideia e se permitir, talvez descubra o prazer de um truque de styling totalmente inusual e que pode trazer belos resultados. Aliás, quem disse que temos que buscar o belo (no sentido óbvio da coisa) o tempo inteiro? Se sentir seguro e extremamente confortável numa produção provocadora pode ser uma das grandes delícias de se gostar e consumir moda.

Jou Bellini em editorial na Rude Magazine

As meias já frequentam a roda de acessórios favoritos há um tempo. Temos as meias coloridas que trazem aquele charme descolado até mesmo às produções mais elegantes, temos os meiões que ficam por baixo dos bermudões (oversized, oversized…), porque não trazer as bichas pra fora? E aí vem a questão: “como é que usa isso com desembaraço?”.

Uma foto publicada por Caio Braz (@caiobraz) em

Parece incrível, mas existem várias possibilidades. Se você é novo no time dos “meia de fora”, o mais acertado parece ser escolher um look monocromático, de preferência preto ou alguma cor não chamativa, e investir em meias da mesma cor. Se a calça for slim, melhor ainda, pois o efeito da meia contra a calça fica quase imperceptível. É uma iniciação, digamos. É possível também usar com botas, o olhar fica menos impressionado, pois a meia acaba por parecer uma extensão dos canos altos.

Por outro lado, dá pra investir numa produção sporty com caimentos diferentes, peças oversized e bastante sobreposição, onde a meia é apenas mais um elemento do jogo e por isso mesmo faz sentido. Aqui já é possível explorar o contraste entre uma calça folgada e a meia justa, por exemplo. Inclusive, essa é uma possibilidade também, mas das mais ousadas entre tanta ousadia fashion kkk. O Justin Bieber é um dos que têm aparecido volta e meia por aí com a trend no corpo, ele usa de um jeito super despojado, com cara de conforto, mas é possível também usar com costumes sem quebrar a elegância da coisa (e fica muito mais bonito que esses looks de aeroporto do Justin).

Olhe com carinho para as fotos e diga que com sinceridade: é possível, não é? Vamo se inspirar e se jogar no close, galera, que a vida é uma só!

Moda Para Homens: dê as boas vindas à primavera com muitos looks florais

Hoje, mais especificamente às 11h21, começou a primavera no Hemisfério Sul, talvez a estação mais poética do calendário. Para dar as boas vindas à estação de um jeito inspirado, preparamos um mega mural com uma surra de referências primaveris/florais para você adotar nos looks da vida. Aproveita que ainda não é verão e teremos uma variação razoável de temperatura para experimentar as estampas em produções que vão do calor de lascar ao friozinho gostoso. Florais podem não soar muito fáceis de combinar de primeira, mas existem muitos jeitos de adotar os desenhos de flores nas roupas, de detalhes delicados e quase imperceptíveis ou acessórios até o look inteiro parecendo um jardim; basicamente é uma estampa que se adequa a todos os estilos. Bote reparo:

PARA OS DISCRETOS

Tênis, bonés e gravatas florais são um ótimo jeito de começar a usar o babado sem muito susto. Detalhes nas camisetas e bonés também são bons truques pra quem quer se habituar à ideia sem sair de casa se sentindo muito “cheguei”.

BEM NORMALZINHO

Se não tiver medo/já tiver costume de usar florais, mas não for da pegada muito statement e fashionista, a sua provavelmente vai ser investir em camisas, especialmente as de manga curta. Calças florais de fundo escuro e corte descompromissado também funcionam super. Aliás, combinar o floral com uma peça lisa e mais basicona é um ótimo truque pra deixar o visu mais limpo.

Uma foto publicada por Caio Braz (@caiobraz) em

SE QUER, SE JOGA

A gente sempre defendeu aqui o discurso de que moda é diversão e ferramenta de expressão. Se estiver se sentindo bem florido, por que não se “banhar” de estampas? Pode ser num terno de corte impecável (tem um mega evento e quer chegar causando?) ou numa peça bem especial, como um bom blazer.

Quem aí A-DO-RA um bom floral? Quem não curte tanto? Bora tentar?

Moda Para Homens: conheça Gosha Rubchinskiy, o russo que está dando o que falar com sua moda jovem e pós-soviética

É mesclando diferentes expressões artísticas, como cinema, fotografia e, claro, moda, que o russo Gosha Rubchinskiy tem levado para o mundo o seu trabalho. Já há um tempinho um dos novos nomes mais falados da Europa, o estilista e fotógrafo impressionou os entendidos de moda com suas criações políticas e sua estética de referência pós-soviética, um streetwear que mescla elementos tanto da antiga União Soviética quanto da realidade posterior a 1991, influenciada pelo capitalismo e pela globalização. Ah, tudo isso sem formação acadêmica em moda, mas claramente com um olhar apuradíssimo.

Rubchinskiy faz uma moda extremamente inspirada nos jovens que nasceram depois de 1991, uma turma viajada, conectada, que não conheceu a Rússia comunista, apesar de viver a rebordosa desse período da história. Também por isso, sua moda possui claras citações ao seu país, que vão de bandeiras ao alfabeto, passando pela cor vermelha. O estilista curte de verdade se inspirar em pessoas e mantém um grupo próximo de amigos que trabalham, inclusive, como seus modelos. Pessoas reais, para uma moda real e das ruas.

Seu desfile mais recente, na Pitti Uomo, em Florença, foi mais um de vários bastante disputados. A passarela foi montada numa antiga fábrica de tabaco e, sobre a coleção, Gosha disse que “todo mundo está cansado do streetwear. Esse é o momento dos ternos”. Isso, vindo de um cara que tem no streetwear seu maior reconhecimento, já traduz um pouco dessa personalidade forte e contestadora que ele traz. Ao final, ele ainda apresentou um filme feito com a cineasta Renata Litvinova; um universo de prédio abandonado, sexo, morte, voyeurismo…

Nós adoramos a moda de Gosha! Repare como sua estética remete a uma coisa fresh e antiga silmuntâneamente, jovem e desgastada pelo tempo. E sorte a nossa que o cara segue fazendo moda, porque ele quase desiste. “Moda não é arte, é um business e eu não sou um businessman”, ele já declarou. Sem estrutura pra produzir as roupas, ele por pouco não larga tudo, mas Adrian Joffe, presidente da Comme des Garçons, resolveu ajudá-lo, cuidando dessa parte numa parceria que parece estar dando super certo.

Vale ficar de olhos abertos para tudo que Gosha Rubchinskiy produz, da moda à fotografia (que ele inclusive publica em zines e livros, como o mais recente “Youth Generation”), tradutoras dessa juventude pós URSS. Retratos de jovens, da história de um país e de como a moda pode ser profunda, também.

Moda Para Homens: os novos básicos do guarda-roupa masculino

Cada vez mais a moda para homens se incrementa e ganha novas possibilidades que vão muito além do básico. Aliás, até mesmo aquelas peças básicas andam ganhando releituras que as trazem de volta aos nossos looks; com a praticidade de sempre, mas muito mais “interessância”. Por isso mesmo nós listamos os 5 “novos” básicos da moda masculina. Dá um confere e atualiza o armário djá!

Calça rasgada

Uma que já fez muito a nossa cabeça, passou um tempo longe dos holofotes e agora volta com tudo. E pode ser rasgadona, mesmo ou só com aquele rasgo no joelho que já conhecemos de outros carnavais. Os cortes na peça injetam estilo no que é, adivinhem, um basicão. Pode ser o jeans velho de guerra, calças brancas, pretas… No frio, dá até pra usar com legging por dentro.

T-shirt longline

A essa altura do campeonato você já conhece essa camiseta. Nada mais, nada menos do que a t-shirt com um tchan, que é o fato de ter um corte oversized. Só jogar por cima da calça rasgada. Sério, se você ainda não tem uma longline no armário, acredite que vale o investimento!

Tênis branco

Seja meio encardido, como tem sido usado ultimamente, seja branco de doer “as vista”. O sneaker branco é um calçado que vai com tudo (do terno ao jeans), ou seja: prático e, portanto, um básico pra abraçar. “Tá, mas tem tantas opções legais, como escolher?”. Experimente eleger um Adidas NMD ou um Nike Air Presto, ambos incríveis.

Bermuda comprida

Depois do boom das bermudas curtinhas, chegou a hora de duplicar ou até mesmo triplicar o comprimento das mesmas e de deixá-las mais folgadonas, também. Sim, o oversized chegou com tudo às bermudas que, nesse corte, são perfeitas para montar produções sportswear. Talvez pareça meio estranho ao olhar de inpicio, mas é super confortável e estiloso pra dedéu. Tente!

Bandana

Pra fechar a nossa lista com um acessório: sim, ela voltou. A danada da bandana tá com tudo novamente. Para saber como usar, volta nesse post aqui!

Falando em essenciais, não deixe de ver também o vídeo da nossa série Roupa de Homem – O Essencial. Este é o vídeo mais acessado do nosso canal e te ensina em só três minutos a criar um guarda-roupa bem enxuto pra vida toda.

Moda Masculina: 100 anos de moda masculina em 3 minutos

See what 100 years of menswear look like

Vem circulando pela internet um vídeo produzido pela Mode Studios que retrata, em apenas 3 minutos, 100 anos de moda masculina, dividida por décadas. A viagem no tempo começa em 1915 e segue pulando de 10 em 10 anos até 2015; vamos acompanhando um rapaz que veste e interpreta um pouquinho de cada período, com a ajuda de uma equipe pronta para montar e desmontar as produções.

Se você não assistiu ao vídeo ainda, veja AGORA! É uma ótima aulinha de história da moda e pode levantar boas questões fashion, afinal, “evoluímos ou retrocedemos?”. Além disso, é bem legal reparar em como as referências de cada época acabam por se misturar, se alimentar e voltar à tendência em boas releituras. O look de 1925, por exemplo, é a perfeita tradução do que os homens estão vestindo na Itália nos dias de hoje e o look de 1955 é do tipo “para sempre descolado” (será que o combo jeans + camiseta branca + jaqueta de couro + All Star vai deixar de funcionar algum dia?).

Aperta o play aí!

ENGLISH

A vídeo produced by Mode Studios is circulating on the internet and portrays in Just 3 minutes 100 years of men’s fashion, divided by decades. The time travel begins in 1915 and continues from 10 to 10 years until 2015; we accompany a dude who wears and plays a little bit with each outfit, with the help of a team ready to put together the right clothes and accessories for him.

Watch this video right now! It’s a great small class of fashion history and it can raise some good questions, such as “have we evolved or regressed?”. Plus, it’s pretty cool to notice how the references of each season end up mixing and somehow returning to the trend in new readings. The 1925 outfit, for example, is the perfect translation of what men are wearing in Italy these days and the outfit of 1955 is a “forever cool” production (will the combo jeans + white tee + leather jacket + Chuck Taylor’s ever stop working?).

Press play!