Tag: moda masculina

Resumão das semanas de moda internacionais: macrofomentos para ficar de olho em 2017

Janeiro foi um mês agitado para o calendário fashion. Londres, Florença, Milão e Paris receberam desfiles de grandes marcas que apresentaram suas coleções masculinas de inverno 17/18. Muito close, vários fomentos, e a gente foi atrás dos nossos favoritos pra te deixar informado do rolê. Repara:

Uma coisa é importante ser dita. Essas semanas de moda trouxeram uma ideia de que o sonho acabou. Um ar de desencanto paira diante de tantas questões preocupantes e reviravoltas políticas que tomam o planeta. Agendas de extrema direita, Brexit, Donald Trump no poder. E de que forma isso se traduz? Especialmente nas referências à juventude, dessa vez mais anárquica, certamente melancólica, saindo das utopias e sonhos de infância e adentrando o mundo real. Referências à juventude pipocam até mesmo em marcas voltadas para um público mais maduro. A juventude é a esperança de um mundo melhor, mas será que ela vai aguentar o tranco?

Gosha Rubchinskiy

Vetements

A Louis Vuitton, que fez um desfile em parceria com a Supreme e inspirado em artistas de Nova York que viveram a glória entre 70 e 90 (Basquiat, Andy Warhol, Keith Haring…). Muito pop e trazendo a alta moda para um universo mais street (e jovem, claro).

De forma mais clara e prática, isso se mostra também no militarismo, que apareceu bastante. Não tanto como tema de uma coleção inteira, nem sempre de forma literal, mas ali, rondando, reforçando a ideia de nos equiparmos contra o que está por vir. Sim, é uma vibe bélica mesmo, reflexo dos atuais movimentos no mundo.

Moschino / Walter Van Beirendonck / Gosha Rubchinskiy / Rick Owens / Lanvin

Outra parada que bombou na temporada? Acessórios. Começando pela pochete se afirmando absoluta no reino fashionista e aparecendo em uma pá de desfiles, da óbvia Supreme em parceria com a Louis Vuitton até a Lanvin, passando quepes, bonés e boinas de variados materiais (couro especialmente, parece que vai bombar), até echarpes típicas do mundo futebolístico (alô Gosha Rubchinskiy e Lanvin).

Versace / Missoni / Louis Vuitton / Lanvin / Gosha Rubchinskiy

E sim, parece que a estampa xadrez está voltando com força. Tínhamos dado um tempo nas camisas de flanela (ou não) de estampa xadrez, especialmente aquelas estampas maiores, né? De alguma forma isso começou a voltar, as camisas amarradas na cintura foram reaparecendo (Justin Bieber usa muito e inclusive fez modelos para sua coleção Purpose Tour), e agora a estampa pode ser vista em diversos tamanhos e estilos, da pegada mais grunge à mais elegante, em casacos, camisas, sobretudos… A mistura de azul com preto marcou uma presença especial.

Versace / DSquared2 / Facetasm / Givenchy

É muito massa repararmos de que forma a moda molda nosso comportamento e também como rola o movimento inverso. Pois sem saber quem veio primeiro, o ovo ou a galinha, fato é que nessa temporada algumas marcas trouxeram muitas referências do universo raver e techno, como a Dior (ahã!). “HarDior” foi a expressão escolhida para juntar hard techno e Dior numa coisa só. Particularmente em Londres essa leitura foi mais forte, com alusões encontradas em Christopher Shannon, Cottweiler e Topman (com sua psicodelia contraposta a uma pegada mais dark e, advinha, melancólica), entre outras marcas. Nada feliz e supercolorido, mas rebelde, indócil, dark. (Fun fact: no Rio de Janeiro a cultura techno tá voltando com tudo. A pegada é underground e da rua e vem se proliferando na cidade).

Dior

Christopher Shannon / Cottweiler / Topman

Agora, a macrotendência que foi puro fomento nessa temporada sem dúvidas é o street. Não importa muito a mensagem que o designer queria passar, pois o street se encaixa, se adapta a tudo. Inclusive à alta moda, que um dia já se esquivou declaradamente dessa tendência. Da Louis Vuitton ao Gosha, da Dior à Lanvin, da Vetements à Versace… Seja nos cortes super oversized que podem ser encontrados em cada vez mais marcas, seja nos jacos esportivos, nos tênis, nas referências a grupos underground e a manifestações de rua… Enquanto em alguns lugares as tentativas são de suprimir essas iniciativas, em outros elas são até de apropriação. Mas que a estética é mara, isso é.

Lanvin / Versace / Louis Vuitton / Ermenegildo Zegna / Comme des Garçons

Bolovo: uma marca bem massa e comprometida com os good times

Vamos falar de coisa boa? Vamos falar de Bolovo! “Hãm?”, você talvez pergunte. Sim, Bolovo, a marca que celebra 10 anos de estrada e que nasceu das mentes inquietas de Deco Neves e Lucas Stegmann de um jeito bem descompromissado e é divertidíssima.

Tudo começou em 2006, quando Deco e Lucas filmavam e fotografavam as suas viagens com os amigos. O nome “Bolovo” surgiu numa dessas viagens e acabou pegando. Como a turma era uma gangue, o nome foi parar em camisetas que o Deco fez com a mãe no Brás, em São Paulo, “elas eram muito podres”, ele diz. De lá pra cá surgiu um interesse natural e bem orgânico de produzir também umas peças de roupa que a galera tinha vontade de usar, mas não encontrava para comprar. Foi daí que veio a marca, que é definida como “de espírito livre” e inserida numa espécie de plataforma onde os caras também produzem vídeos, fotos e tudo que dá na telha.

A gente bateu um papo com o Deco pra saber mais dessa história, se liga:

Podemos definir a Bolovo como uma marca? Ela parece ser quase uma filosofia de vida… Acabou virando mesmo algo nesse sentido. A Bolovo é como se fosse uma “plataforma de lançamento” das nossas ideias. Um monte de coisas legais que temos interesse, a gente coloca dentro da Bolovo e lança pro mundo: vídeos, fotos, roupas, amigos, festas, viagens, esportes, ideias de “girico.com.br”… Isso tudo sempre com o norte que é: fazer memórias/ter boas histórias pra contar. Queremos ficar velhos e ser aqueles tiozinhos que sempre têm uma história boa na manga.

Como funciona o processo criativo de vocês? O que inspira as criações? Depois desses anos todos acho que a gente ainda não sabe da onde vem a inspiração, mas normalmente não é de onde procuramos na primeira vez. Nosso processo criativo é bem solto, não tem muito um caminho, mas as melhores ideias acabam sempre saindo de quando estamos todos juntos conversando sem muita preocupação. Aí depois a gente tenta lapidar as que achamos melhores. O que a gente acha mais legal mesmo é fazer as coisas acontecerem e nessa hora vem mais um milhão de ideias. A gente curte fazer coisas pra estrada e pros amigos. Daí já é um bom norte de “inspiração”. Também curtimos coisas extremamente bem feitas ou extremamente ridículas.

Quem usa Bolovo? Acho que são pessoas que entendem o valor de sair de casa e ter boas histórias pra contar, que curtem pôr a mão na massa mesmo e fazer coisas. Não ligamos pra classe social ou se curte isso ou aquilo. Acho que se você ver alguém usando Bolovo um dia deve ir trocar uma ideia com essa pessoa que ela deve ser bem gente fina.

Quais são seus planos para 2017? Tem sido uma fase muito legal e nova pra gente. Depois que saímos da MTV [os caras já trabalharam com a MTV e mais um monte de marca legal, tipo Nike, Vans, Void, Perestroika…] tivemos mais tempo para tocar a marca e estamos com bastante coisas no horizonte. Vamos lançar algumas colabs bem legais esse ano e novas peças que nunca tínhamos trabalhado antes.

Nós compramos um furgão 82! Vamos levar ele pra estrada e isso vai virar nossa websérie no youtube, que vai se chamar “Go Out” e deve estrear no fim de Março, começo de Abril. Nosso livro de 10 anos, financiado via crowdfounding, finalmente vai sair! Queremos fazer um campeonato de snowboard dentro da nossa casa e sei lá o que mais vamos inventar até o fim do ano.

Queria agradecer todo mundo que tem apoiado essa ideia louca que é a Bolovo e por deixar os Good Times rolarem. Ohhh Yeahhh!

Bem massa, né? A Bolovo tem loja online, então quem quiser fuçar mais das ideias, das loucuras e, claro, dos produtos dos caras, é só entrar lá e se jogar. Nós temos uma queda por tudo, das meias aos shorts, passando pelas camisetas que têm uma cara meio antiguinha. É tudo mega descolado e divertido e os preços começam nos R$ 25,00 (meias invisíveis) e vão até os R$ 209,00 (casacos).

Todas as fotos são do Instagram da marca!

Roupa de Homem: tudo que rolou na 3ª temporada da série lá no canal

Vocês devem ter visto que a terceira temporada da nossa série querida, a Roupa de Homem, finalmente saiu lá no canal do Youtube. Foram dois episódios por dia durante toda a semana, permitindo assim aquele binge watching maneiro que você respeita. Dá uma olhadinha aqui no making of:

Dessa vez a série foi apresentada pela C&A e foram dez episódios com muitos temas novos e que estão super em pauta na moda contemporânea, tipo agênero e activewear. Tudo naquela pegada “papo entre amigos” e troca de ideias que vocês estão ligados. Repara só:

Aliás, já começamos com agênero, onde falamos sobre como empurrar as fronteiras de gênero nos looks, relembramos que isso de alguma forma já existia há tempos (lembra do unisex?) e defendemos a liberdade na hora de se vestir!

Depois compartilhamos umas dicas pra quem vai para uma entrevista de emprego e não sabe em que look investir; dos lugares mais formais aos mais descolados.

Então, aquele evento que deixa todo mundo confuso pra dedéu. O casamento, é claro! Que cor de paletó, com que camisa, com que sapato? Calma que o Brazinho responde!

Uma das tendências que mais está bombando ultimamente é a do activewear. Tanto porque andamos muito malhadores mesmo quanto porque a roupa de pegada esportiva está mais estilosa, moderna e cheia de design do que nunca e já pode ser usada em tudo que é lugar! Duvida?

E claro que falamos bastante de estampas, afinal de contas, taí uma coisa que a gente adora usar e que carrega junto vários truques de styling que vale conhecer. Tem floral, poá, camuflado, xadrez…

Aí chegou a vez de falar de utilitários. Peças cheias de bolsos, zíper, velcros, tecidos tecnológicos, botas resistentes… É a união da funcionalidade com a praticidade que te deixa com cara de explorador e aventureiro. Perfeito para fugir da selva de pedra e adentrar selvas de verdade.

Quem entrou numa vibe mais clean nesses últimos tempos bate aqui! E nesse quesito o preto e branco leva nota dez. Uma misturinha muito prática, na qual tudo combina com tudo, que traz resultados elegantes, descolados, mais básicos; vai do estilo de cada um, mas são sempre muito bons, especialmente para o homem moderno que não quer gastar muito tempo pensando no que vestir. Rolou até um desafio pra vocês nesse vídeo, aperta o play pra descobrir qual!

Mas eis que Brazinho pisciano teve que trazer aquela coisa mais mística para essa temporada do programa, né não? Falamos de cores, seus significados, as energias que elas despertam e como elas funcionam juntas ou separadas. “Eu ando pelo mundo…” kkk.

Hoje em dia onde é que se acha surra de look por metro quadrado? É em semana de moda? Que nada, é em festival de música! O momento perfeito pra se jogar no guarda-roupa e montar aquele look mais elaborado e divertido que você sempre quis experimentar. Corre no vídeo pra descobrir as dicas espertas desse “festivaleiro” que vos fala pra otimizar a montação.

E pra fechar a temporada, um assunto que não poderia faltar de jeito nenhum, ainda mais em tempos de verão: praia. E o que colocar na malinha? Roupas leves: check. Chapéu? Check! Chinelos e sandálias? Sim, por favor. E mais vários itens básicos pra fomentar o concept praieiro.

Agora a gente quer saber: o que vocês acharam dessa temporada? Já mandem sugestões e pedidos de novos temas para o Roupa de Homem e, claro, se inscrevam no canal! É rapidinho e vocês ficam por dentro de tudo que ainda vamo aprontar por lá.

Moda Para Homens: chinelos tipo slide seguem campeões de audiência fashion – fizemos uma lista que vale o investimento

É real oficial um vício que já se mantém há um tempo nos nossos pés e fazendo a nossa cabeça, esse das sandálias tipo slide. Também conhecidas como sliders, shower slides ou o bom e velho chinelo, esse calçado super anatômico, confortável e simples foi febre entre nossos tios, pais e avôs durante os anos 90. Na época, a marca com o chinelo mais famosão era a Rider, e era muito comum ver essas figuras desfilando com suas sandálias em praias, piscinas, dentro de casa… enfim, em situações mais descompromissadas. Mas as chinelas voltaram com tudo, dessa vez marcando presença em desfiles de moda, fotos de streetstyle e nos pés dos mais descolados.

Não vamos mentir, amamos essa tendência por tudo que ela representa. Além de nos trazer memórias afetivas de toda sorte (kkk), elas têm referência sporty (coisa pela qual estamos levemente obcecados rs), são práticas e comfy a beça e podem ser encontradas em diferentes materiais, além de serem produzidas por um bocado de marcas, ou seja: ~tem pra todos os bolsos obrigada de nada!~

Combinar seus slides com suas roupas é fácil, especialmente se você optar por um modelo de cor neutra. Pretos e brancos são certeiros, ainda mais para quem já gosta de uma estética clean. Eles vão muito bem com looks esportivos e futuristas, que exploram sobreposições e peças oversized. Ficam ótimos com a mistura básica de jeans e camiseta, funcionam com bermudas, looks super relaxados, looks mais fashionistas. Enfim, são realmente versáteis! Mas o jeito de usar que mais tá pegando geral é com meias, devemos admitir.

Não sabemos exatamente de que maneira a ideia da sandália com meias surgiu, uma vez que o propósito de usar sandálias parece ser o de deixar os pés frescos e livres, mas quem somos nós para julgar, não é mesmo? Às vezes deixamos o sentido de lado em nome de um bom efeito visual, além do que aproveitamos a ideia para usar as sandálias até mesmo no frio. Pensando bem, é provável que o primeiro look ostentando a combinação tenha nascido assim, né nom? rs. As sandálias com meias podem tanto dar uma graça ao seu look mais básico quanto justificar o uso de slides numa produção mais elaborada, que envolva alfaiataria, por exemplo.

Enfim, o babado é tanto em torno de um chinelo que a maioria das grandes marcas já lançou sua versão. A Supreme tem os seus, Adidas, Nike e outras marcas esportivas têm mais de um modelo, Givenchy, Lacoste… É marca que não acaba mais. Até a Rihanna fez sua versão felpuda e disputadíssima para sua coleção FENTY x PUMA. Assim sendo, aqui vai uma lista bacanuda de chinelos que podem dar uma incrementada no seu estilo!

NIKE BENASSI JDI – R$ 99,99

MELISSA BEACH SLIDE – R$ 100,00

ADIDAS DURAMO SLIDE – R$ 49,99 a R$ 99,99 (tem promo!)

ADIDAS ADILETTE – R$ 179,99

NIKE BENASSI SHOWER SLIDE – R$ 129,90

SUPREME – R$ 219,00

PS: alguns desses modelos estão em promo, os preços dos links podem mudar e variar dos aqui apontados!

Moda Para Homens: meias por cima da calça são a tendência polêmica do momento

A princípio pode soar muito esquisito, ligeiramente louco até, que se use as meias por cima da calça. A primeira imagem a emergir das profundezas da sua mente talvez seja a de moças fazendo exercícios com leggings e meiões — admitamos que nós gostamos de criticar esse hábito, ainda que haja justificativas até plausíveis para tão famigerado look de academia. Acontece, senhoras e senhores, que a moda é essa coisa elegante, às vezes cheia de frescuras, mas com toda a capacidade de ser inesperada, divertida e ousada. Ousada como meias por cima da calça.

Não vamos discutir; é uma sugestão um pouco abrupta, essa. Mas nada leviana, ok? Veja, gostamos de uma moda que surpreende e de experimentar eventuais extravagâncias. O estranhamento inicial é compreensível, mas se você sentir um pingo que seja de atração pela ideia e se permitir, talvez descubra o prazer de um truque de styling totalmente inusual e que pode trazer belos resultados. Aliás, quem disse que temos que buscar o belo (no sentido óbvio da coisa) o tempo inteiro? Se sentir seguro e extremamente confortável numa produção provocadora pode ser uma das grandes delícias de se gostar e consumir moda.

Jou Bellini em editorial na Rude Magazine

As meias já frequentam a roda de acessórios favoritos há um tempo. Temos as meias coloridas que trazem aquele charme descolado até mesmo às produções mais elegantes, temos os meiões que ficam por baixo dos bermudões (oversized, oversized…), porque não trazer as bichas pra fora? E aí vem a questão: “como é que usa isso com desembaraço?”.

Uma foto publicada por Caio Braz (@caiobraz) em

Parece incrível, mas existem várias possibilidades. Se você é novo no time dos “meia de fora”, o mais acertado parece ser escolher um look monocromático, de preferência preto ou alguma cor não chamativa, e investir em meias da mesma cor. Se a calça for slim, melhor ainda, pois o efeito da meia contra a calça fica quase imperceptível. É uma iniciação, digamos. É possível também usar com botas, o olhar fica menos impressionado, pois a meia acaba por parecer uma extensão dos canos altos.

Por outro lado, dá pra investir numa produção sporty com caimentos diferentes, peças oversized e bastante sobreposição, onde a meia é apenas mais um elemento do jogo e por isso mesmo faz sentido. Aqui já é possível explorar o contraste entre uma calça folgada e a meia justa, por exemplo. Inclusive, essa é uma possibilidade também, mas das mais ousadas entre tanta ousadia fashion kkk. O Justin Bieber é um dos que têm aparecido volta e meia por aí com a trend no corpo, ele usa de um jeito super despojado, com cara de conforto, mas é possível também usar com costumes sem quebrar a elegância da coisa (e fica muito mais bonito que esses looks de aeroporto do Justin).

Olhe com carinho para as fotos e diga que com sinceridade: é possível, não é? Vamo se inspirar e se jogar no close, galera, que a vida é uma só!

Moda Para Homens: dê as boas vindas à primavera com muitos looks florais

Hoje, mais especificamente às 11h21, começou a primavera no Hemisfério Sul, talvez a estação mais poética do calendário. Para dar as boas vindas à estação de um jeito inspirado, preparamos um mega mural com uma surra de referências primaveris/florais para você adotar nos looks da vida. Aproveita que ainda não é verão e teremos uma variação razoável de temperatura para experimentar as estampas em produções que vão do calor de lascar ao friozinho gostoso. Florais podem não soar muito fáceis de combinar de primeira, mas existem muitos jeitos de adotar os desenhos de flores nas roupas, de detalhes delicados e quase imperceptíveis ou acessórios até o look inteiro parecendo um jardim; basicamente é uma estampa que se adequa a todos os estilos. Bote reparo:

PARA OS DISCRETOS

Tênis, bonés e gravatas florais são um ótimo jeito de começar a usar o babado sem muito susto. Detalhes nas camisetas e bonés também são bons truques pra quem quer se habituar à ideia sem sair de casa se sentindo muito “cheguei”.

BEM NORMALZINHO

Se não tiver medo/já tiver costume de usar florais, mas não for da pegada muito statement e fashionista, a sua provavelmente vai ser investir em camisas, especialmente as de manga curta. Calças florais de fundo escuro e corte descompromissado também funcionam super. Aliás, combinar o floral com uma peça lisa e mais basicona é um ótimo truque pra deixar o visu mais limpo.

Uma foto publicada por Caio Braz (@caiobraz) em

SE QUER, SE JOGA

A gente sempre defendeu aqui o discurso de que moda é diversão e ferramenta de expressão. Se estiver se sentindo bem florido, por que não se “banhar” de estampas? Pode ser num terno de corte impecável (tem um mega evento e quer chegar causando?) ou numa peça bem especial, como um bom blazer.

Quem aí A-DO-RA um bom floral? Quem não curte tanto? Bora tentar?