Tag: los angeles

Los Angeles 2014: um brunch com DiCaprio, compras e uma night!

Mais uma vez voltei à Califórnia em Abril, pelo segundo ano, para tirar umas férias. O período é sempre o mesmo – por coincidência, depois do São Paulo Fashion Week e Fashion Rio, acontece o Coachella em Palm Springs. Neste ano preferi pular o Coachella: não estava louco pelo line-up, um pouco de preguiça do perrengue (solzão, andança, ressaca), e a sensação de gastar dinheiro para fazer exatamente a mesma coisa me dá um pouco de aflição. Se o Coachella deu uma orkutizada ou não, nem faço juízo de valor. Mas tava morto de cansado, e não fui.

Abril é uma época incrível pelo clima (solzão, solzão, solzão) e a cidade não está muito cheia. Queria fazer uns programas mais locais – acabei fazendo algumas coisas diferentes, e aprendi algumas coisas da cidade para dividir com vocês.

1. Não fique em Santa Monica / Venice Este ano dividi minha estadia entre Santa Monica / Venice Beach em um motel (Rest Havel Motel – xexelento, mas gracioso) e a casa de um amigo no Franklin Village. A Los Angeles de verdade acontece no East Side: Hollywood, Los Feliz, Silver Lake, Echo Park. Ficar em Santa Monica é uma mega contramão, a não ser que você não queira mesmo sair de lá. Durante uns dois dias é legal, mas depois não tem muita novidade. Los Feliz é o lugar mais astral.

2. Compras? Vá ao Space 15 Twenty No coração de Hollywood, muito pertinho da Amoeba Music, fica a galeria/shopping Space 15 Twenty com a melhor Urban Outfitters de Los Angeles (esta em especial é imensa, que mistura galeria de arte, além de roupas, acessórios, loja vintage); a livraria Hennessey + Ingalls (http://www.hennesseyingalls.com/), uma livraria de arte, arquitetura e design que prejudicou muito o meu orçamento – títulos e revistas i-n-c-r-í-v-e-i-s; e a loja da adidas originals. Vale muito à visita, depois ou antes de passar na Amoeba, claro.

3. Roupa masculina com design e qualidade? É na Mohawk. Quase em frente ao café Intelligentsia, em Silver Lake [point semi-obrigatório dos hipsters] fica a loja Mohawk, de excelente curadoria de marcas masculinas. Pense em A.P.C (marca francesa de básicos muito elegantes, bem cortados e não muito caros), Industry of All Nations (roupas com materiais orgânicos, sustentáveis, comércio justo, e tudo o mais). Quem gosta de moda um pouco mais selecionada e clean, vai amar este lugar.

4. Um brunch cafona é obrigatório! Eu amo coisas cafonas. Acho que as programações mais cafonas dizem a mais pura verdade sobre suas cidades. Principalmente quando são cafonas e feitas pelos locais, como um brunch no Beverly Hills Hotel, no restaurante Polo Lounge. O elenco é composto de senhoras com chapeus, oculos de lente degradé e muito botox, executivos da indústria do entretenimento e A-List celebrities, como no dia que eu fui, Leonardo diCaprio, a duas mesas de distância, com seus amigos. Fotos, nem pensar. A experiência do glamour vintage semi-decadente não é muito barata: o menu é US$ 70 por pessoa – mas são três pratos, e um drink. E claro, pertencer aquele cenário de zoológico-chique de Beverly Hills. Um dos pontos altos da viagem.

5. Akbar. Bar-boate em Silver Lake divertidíssimo. Fui duas vezes, conheci um monte de gente legal nas duas, perdi um monte de dinheiro na JukeBox que não funciona. Drinks baratos. Eles tem até Manifesto: “We are AKBAR. We believe in the power of rock and roll. We love guitars. We abhor homophobia. And hetero-phobia. We enjoy a cold beer. We cannot abide a mean drunk. We don’t get organized religion. We like disco. We despise racism. We cannot respect disrespectful behavior. We do not condone “velvet ropes.” We do not care who is a celebrity and who is not. We love our friends. We can be silly. We do not understand gay Republicans. We wing it. We try to obey traffic laws. We do believe variety is the spice of life. We do not enjoy excessive profanity. Damn it.” Deu vontade? Porque aqui, deu saudade.

Los Angeles // Guia de Lifestyle

Dez valiosas dicas para aproveitar Los Angeles, o meu novo lugar preferido da América <3

1. ALUGUE UM CONVERSÍVEL          Parece dica de novo rico, mas ter alugado um Camaro Amarelo foi um dos grandes baratos da nossa trip. Em Los Angeles dirige-se muito [mesmo], e a cidade tem congestionamentos brabos nos horários de pico. Alugar um conversível é uma maneira de transformar o trânsito em uma experiência mais divertida.

O conversível mais barato nas locadoras costuma ser o Mustang. A boa é pesquisar em algum site agregador, como o KAYAK [www.kayak.com] e pesquisar quem tem uma melhor tarifa. A Enterprise tem no aeroporto de Los Angeles [dentro da sua loja] a seção Premium, onde você pode alugar os carros premium, como Range Rover, e Camaro.

DICA: Reserve um conversível padrão e espere que eles lhe ofereçam um upgrade, a tarifa pode sair muito mais barata. Ao invés de US$ 250/dia, descolamos US$ 120, com alguma lábia.

2. VENICE BEACH Venice Beach é uma síntese do lifestyle Californiano que o mundo inteiro ama: o emblemático boardwalk é um calçadão que reúne a juventude descolada, skatistas, doidões, e um montão de gente linda. Lá você encontra as lojinhas que vendem aqueles óculos legais de US$ 5, restaurantes, e as duas principais atrações de Venice: a fodaraça pista de skate em formato de ameba e o Green Doctors.

O Green Doctors é a clínica que vai te autorizar a comprar a maconha medicinal, liberada na Califórnia. Após algumas perguntinhas, você vai receber a carteirinha e comprar no próprio Green Doctors sua ervinha. Há dezenas de tipos para escolher: pra viajar, pra relaxar. Aproveite :)

DICA: Das 17 às 20h a maioria dos bares e restaurantes costumam fazer o ‘Happy Hour Time [como eu queria isso no Brasil!], onde você ganha tudo em dobro. Drinks em dobro, refeições em dobro. Sai muito em conta!

3. SANTA MONICA Cidadezinha-irmã de Venice, a 10 minutos de carro, Santa Monica tem um dos piers mais famosos do mundo, onde você pode se divertir na montanha russa e na roda-gigante. Parece sem graça, mas rende lindas fotos. A boa é começar o dia em Venice e chegar em Santa Monica mais no fim do dia, pra curtir o por do sol.

DICA: Os corajosos podem arriscar um banho de mar [acho importantíssimo tomar um banho de batismo e gratidão no Pacífico, questão de energia], mas prepare-se para a água gélida.

4. FAIRFAX FLEA MARKET Na esquina entre a Melrose Ave e a N Fairfax Ave, no estacionamento da Fairfax High School, acontece um dos mercados de pulgas mais bacanas de Los Angeles. Ótimos preços, ótimas lojinhas, ótimas frequência. #alerta #paqueras.

Foi lá que eu fiz as melhores compras da viagem: um boombox original dos anos 80, Sanyo, em perfeitas condições por US$ 50, uma camiseta tie-dye [que usei no Coachella] por US$ 6, e um abajur verde, daqueles de gabinete, por US$ 20. Um saco foi carregar esse abajur por toda a viagem, mas ele chegou intacto, e custa uma fortuna aqui no Brasil nos antiquários.

DICA: leve cash, é melhor pra barganhar!

5. AMOEBA MUSIC A melhor loja de discos da história! Enquanto nós acompanhamos as lojas de música fecharem por todo o mundo, a Amoeba segue firme com seu acervo de CDs, vinis, fitas cassete, posters, e tudo o mais. A Amoeba Music é uma instituição californiana, e é considerada a maior loja de discos independente. Do mundo. Uma perdição…

DICA: acontecem shows várias vezes por semana, então quando chegar na loja, procure saber da programação!

6. GRIFFITH OBSERVATORY O Griffith Observatory fica no topo do Griffith Park, na região de Los Feliz [bairro descolado de Los Angeles], e é um marco obrigatório em qualquer visita à cidade. No topo existe um museu bem completo dedicado à astrologia, e um telescópio super potente onde você pode conferir algum planeta de pertinho. Quando eu fui, dava pra ver Júpiter, e quatro de suas quase setenta luas.

7. CALÇADA DA FAMA Um clássico de Los Angeles. Hollywood é sim uma cafonalha sem limites, toda com cara de cenário, mas você precisa se permitir caminhar olhando para o chão procurando a sua estrela preferida. Tire a foto cliché, poste no Instagr.am, e não tenha medo de ser um turista feliz.

8. DOWNTOWN L.A + FASHION DISTRICT Assim como outras cidades do mundo, Los Angeles tenta reviver o seu antigo downtown, antigo símbolo de modernidade e hoje na luta contra a decadência. O Downtown já voltou a ser trendy e está recheada de lugares bacanas como o Walt Disney Theatre, de arquitetura do Frank Gehry, a fábrica da American Apparel [com um segundo andar inteiro só de flea market, um paraíso das compras], e a melhor loja de tecidos que já fui na minha breve história na Terra: Michael Levine. Estampas, estampas, estampas.

DICA: Se tiver tempo, compareça à Little Tokyo, que fica bem no coração da Downtown. É igualzinha mesmo à capital japonesa, e ainda tem um restaurante de sushi rotatório [aquele onde os sushis ficam passando na esteirinha] com precinho camarada.

9. DODGERS GAME Um jogo no estádio do Dodgers pode ser mais antropológico do que uma ida ao museu mais badalado de L.A. Americanos de todos os tipos se confraternizam em um belíssimo estádio, com direito ao tradicional órgão, a entoar o hino americano e cerveja + hot dog. The Typical American Experience.

10. LACMA No Los Angeles Center of Modern Art tav a rolando uma exposição massa da obra do Stanley Kubrick, além do super acervo de arte latino-americana e mundial. Ele fica no Museum District, área bacanuda da cidade, junto com vários outros museus e galerias de arte. Pros fãs de lojinhas de museu [sou apaixonado], ótimas revistas independentes!

Coisas que não tive tempo de ver, todo mundo indica, e ficaram para a próxima:

// Getty Center [diz que tem uma super vista da cidade, ficamos no trânsito horas, e desistimos] // Silver Lake [o Williamsburg de Los Angeles] // Visita ao Paramount Studios // Disneyland [em Anaheim, a 1h de Los Angeles] // Show no Staples Center [ver Ticketmaster] // Camarillo Outlets [a uma hora de Los Angeles, para quem curte uma ponta de estoque]

É, acho que vou precisar voltar a L.A.

Saudações da Califórnia!

Estou há cinco dias em Los Angeles, na Califórnia. Vim por vários motivos, principalmente para visitar um amigo espanhol que mora aqui, e para o festival Coachella que acontece do dia 12 a 14 de Março em Palm Springs, em pleno deserto californiano. Não conhecia Los Angeles direito, estive aqui em 2010 só durante 3 dias, o que realmente não dá pra nada.

Los Angeles é o lugar mais legal que visito desde 2012, mesmo tendo passado por Nova Iorque, Vancouver, Toronto, Dublin, Londres e até Malta. Me lembra tanto o Rio de Janeiro, só que tem outras qualidades. A vibe solar, a praia, toda a gente linda e bronzeada pelos cantos se misturam às freeways da Califórnia, à imigração latina [amo!], e a indústria do entretenimento, que me fascina tanto. Acho que o espírito californiano está me pegando – e eu não quero deixá-lo ir embora nem tão cedo.

Me acompanham nesta primeira semana, Carolina Althaller, do WGSN e Raphael Lima do Telecine Fun. Me sigam no instagram para mais fotos: @caiobraz.