Tag: justin timberlake

Como comprar aquele ingresso que você tanto quer para ver um show na gringa

Justin Timberlake live @ The Forum, Inglewood, CA / by Caio Braz

Quem nunca planejou uma viagem por conta de um show ou um festival de música que atire a primeira pedra… mas quem nunca se decepcionou ao entrar no Ticketmaster para comprar o ingresso do seu artista preferido e se deparou com a turnê toda esgotada? É meus amigos, seus problemas acabaram neste minuto com o advento do Stubhub, site de venda de ingressos americano.

O Stubhub é como um ‘portal de cambistas’, ou simplesmente um site que liga você a outras pessoas que tem um ingresso na mão e não querem mais, pelo motivo que for. Acredito que muita gente simplesmente compra esses ingressos, revende no StubHub e faz disso um negócio, mas também tem gente que comprou e não vai poder ir ao show.

Meu ingresso para um dos shows do Justin Timberlake, comprado no StubHub. É só imprimir e levar para o estádio!

Motivos à parte, é só você diigtar o nome do artista que você quer ver e – plim! – escolher o setor que quer comprar. A média de preço dos ingressos do StubHub é o dobro do preço original. Considerando os preços absurdos dos ingressos no Brasil (R$ 750 a pista inteira pra qualquer show internacional), tô achando que pagar US$ 100 em um ingresso de segunda mão para ver o Justin Timberlake nada mal.

Você faz o pagamento via cartão de crédito – eles aceitam cartão brasileiro – e recebe o link para fazer o download do ingresso. Simples assim. Bons shows e boas viagens!

English

Who’s never planned a vacation because of a show or a music festival? Also who’s never got disappointed at Ticketmaster.com trying to purchase a ticket to your favorite artist’s tour sold out? Well, your problems are over this minute with the rise of Stubhub, this tickets’ website based in the US.

Stubhub is like a portal for bouncers, or simply a website that connects you with other people that have a ticket handy and don’t want it anymore, for whatever reason. I believe a lot of people make a business out of this, reselling highly anticipated tickets on Stubhub, but there’s also just regular people that bought it and can’t go to the show.

Reasons aside, just type the name of the artist you wanna watch and – boom! – chose the sector you wanna watch the show at. The price average of the tickets at Stubhub is twice as much the original price. Considering the very high prices of tickets in Brasil (R$ 750 a floor ticket), I consider paying US$ 100 in a second-hand ticket to watch Justin Timberlake a bargain.

You can use your credit card to pay – they take Brazilian cards – and get the link to download and print the ticket by e-mail. That easy. Have a great show and great travels!

Você faz ideia de quantas peças o Tom Ford criou pra turnê do Justin Timberlake?

Justin Timberlake usando Tom Ford no Grammy

Uma das notícias mais impressionantes da semana envolve o nosso querido Justin Timberlake. É que o Tom Ford criou, nada mais nada menos, do que 600 itens de figurino pra turnê The 20/20 Experience. E a nossa reação ao saber disso foi mais ou menos assim:

Por mais que o estilista americano seja queridinho de JT desde 2011, quando foi convidado pelo próprio pra dar um tapinha em seu visual, pensa no volume dessas centenas de peças!? Não significa que todas sejam para o cantor – apesar do número alto de trocas durante o show, oito, Ford também ficou responsável por vestir banda e dançarinos.

“Justin tem um grande estilo pessoal e sabe o que quer, por isso tenho prazer absoluto trabalhar com ele,” garante Ford em comunicado. E a gente bem sabe, isso tudo aí embaixo é assinado por ele:

Uau!

A vingança do pop é a imagem de Justin Timberlake refletida em um espelho

Foto: Rock in Rio Oficial / I Hate Flash
Por Pedro Willmersdorf

Não é fácil ser fã de música pop. Sempre julgados, sempre somos considerados seres de menor valia diante de amantes de outros gêneros. Os roqueiros nos tratam como simples espectadores de um circo à espera de pão. E um pouco de glitter. Pois, se você é roqueiro de verdade, daqueles que ainda sai colocando a língua pra fora e fazendo o sinal do ‘capeta’ em fotos, com certeza acha (ou já achou) que pop é música de viado.

E o que dizer dos mais eruditos, que bebem da fonte enciclopédica da prepotência e disparam para todos os lados referências melhores que as suas? E mais antigas, claro. “Ah, mas você não viu fulano cantar, então. Isso que siclano faz fulano já fazia há muito tempo”. E, pode ter certeza: fulano, sem dúvida alguma, não é uma figura tão pop quanto siclano. Os enciclopédicos normalmente não assumem sua quedinha enrustida pelo gênero que amamos e bebem de uma fonte distinta (e distante) para manter a pose.

Ser fã de música pop é encarar comentários debochados, ser diminuído diante de analistas de plantão que estão sempre a postos para interromper nossa felicidade com alguma comparação que, na maioria das vezes, sequer é pertinente. A legimitidade do pop sempre foi conquistada na base da porrada.

Justin Timberlake em ensaio recente para a New York Times Magazine

Ao grande público, talvez somente Michael Jackson e Madonna sejam unânimes diante do trono. Todo e qualquer nome que seja nativo do reino já foi, é, ou ainda será contestado e diminuído. Pois o pop é assim: gera conflitos, guerras virtuais e desnecessárias até mesmo entre nós, que jogamos no mesmo time. Como se não fosse possível admirar mais de uma estrela nessa constelação que nós, poplovers, temos em nosso céu. Ora, se já somos alvejados diariamente pela intelligentsia das redes, para que criarmos batalhas quando somos todos soldados da mesma tropa?

Era preciso um elo para nos vingar diante de tamanha opressão que sofremos há décadas. Um nome que reúna em seu currículo talento, carisma, dança, voz, referências musicais explícitas e bem deglutidas, bons produtores em seu entorno e, principalmente, a capacidade de ser eficiente. Afinal de contas, o pop é resultado de uma indústria. E nada mais quer uma indústria do que produtos eficientes.

Precisamos de um nome que esbanje confiança, segurança diante de suas decisões profissionais. Um nome que reúna ao seu redor crianças, heterossexuais, homossexuais, assexuados e outras quaisquer vertentes que tenham em si apenas um sentimento: o de vingança através de nossas próprias forças, sem menosprezar as guitarras quebradas em outros palcos por aí.

Para quem esteve diante de Justin Timberlake na madrugada do dia 16 de setembro, no Parque dos Atletas, no Rio de Janeiro, há a certeza de que este nome, na verdade, já existe. Nasceu em Memphis, Tennessee, há 32 anos, e assim como nós, sofreu por muito tempo a opressão das críticas. Hoje, presidente do pop, está disposto a provar a todos que nosso gênero pode ser tratado com respeito, da mesma forma que era encarado à época do auge do rei e da rainha.

Justin Timberlake é a imagem de nossa redenção refletida em um espelho. Ali, enxergamos não somente o fim de uma era de desconfiança sobre todos nós. Enxergamos o produto mais eficiente que nossa indústria já criou em quase duas décadas.

Que este espelho não se quebre. Talvez não aguentemos novos anos de azar.

10 motivos para Justin Timberlake ser o Presidente do Pop

Ontem, 25 de agosto, o Video Music Awards serviu para coroar de vez, ou melhor, eleger o Presidente do Pop. A noite, que era esperada pelas apresentações de Lady Gaga e Katy Perry, acabou reduzida a apenas um nome: Justin Timberlake. O astro recebeu o prêmio Michael Jackson Video Vanguard Award e mostrou no palco porque merece o novo título. Agora, nós só viemos confirmar isso com mais dez:

1. O único desertor de uma boyband que atingiu o sucesso em carreira solo

2. Namorou a princesa do pop quando ela estava no auge

3. De quebra é ator

4. Ficou 7 anos afastado da música e conseguiu voltar por cima

5. Tem o álbum mais vendido de 2013

6. É o único que compete páreo a páreo com Michael Jackson na dança

7. Tem um senso de moda invejável

8. A sensualidade então…

9. Fez a Taylor Swift e a Lady Gaga se jogarem duranta o VMA

10. Deixou a Janet Jackson pagando peitinho na TV mundial durante o Super Bowl

Justin, na moral, queria ser você. Te amo.

O que você precisa saber sobre a Era “The 20/20 Experience”, de Justin Timberlake

JT, que quebrou um jejum de 7 anos com o lançamento de “The 20/20 Experience” em março de 2013, mostra que para boa música, carisma e talento não há prazo de validade. E os números não mentem, não é segredo que ele está arrasando com o sucessor do aclamado “Future Sex/ Love Sounds”. Mais de duas milhões de cópias vendidas nos EUA – único álbum de 2013 a alcançar mais de um milhão no país até o meio do ano.

A parceria com JAY Z marcou o comeback oficial de JT, que passou os últimos anos de dedicando principalmente ao cinema. E ele chegou todo elegante, de terno e gravata.

Para assistir “Suit & Tie”, clique aqui.

Ele não é a Lady Gaga, mas também tem clipe com quase 10 minutos, E Timberlake mostra que mesmo uma música longa, quando bem produzida, também consegue se tornar hit.

Para assistir “Mirrors”, clique aqui.

Nada melhor do que ter classe e bom gosto para mostrar que a nudez não é necessariamente vulgar. Justin, gato, qual o motivo de você ser tão lindo assim?

Para assistir “Tunnel Vision”, clique aqui.

Com projeto de lançar o segundo volume do material no segundo semestre, mais precisamente em 30 de setembro, Timberlake trabalha a inédita “Take Back The Night”, que de longe é o melhor single da Era até agora.

Enjoy!

O melhor do Wireless Festival 2013

No último final de semana aconteceu em Londres o Wireless Festival. O evento, que existe desde 2005, está agora sob o selo Yahoo! e reuniu 82 atrações musicais no Queen Elizabeth Olimpic Park de sexta (12) até o domingo (14), entre elas nomes como Justin Timberlake, Jay-Z, Rita Ora, Snoop Lion e John Legend.

Confira 12 momentos:

Justin Timberlake, e o novo single “Take Me Back The Night”

Justin Timberlake, “Cry Me A River”

Justin Timberlake & Jay-Z, “Suit And Tie”

John Legend, “Tonight (Best You Ever Had)”

Snoop Lion & Rita Ora, “Torn Apartment”

Miguel, “Adorn”

Macklemore & Ryan Lewis, “Thrift Shop”

Iggy Azalea, “Work”

Little Mix, “How Ya Doin’?”

Mikky Ekko, versão solo de “Stay”, parceria com Rihanna

Tinie Tempah, “Miami 2 Ibiza”

Frank Ocean, “Pyramids”

O estilo do público:

12