Tag: just kids

Moda: a Just Kids de Ju Jabour e Karen Fuke trouxe um streetwear por amor ao ofício

Sem frescurinha e sem glamour demais: todos de pé, juntos e misturados, para assistir ao desfile da Just Kids, nova marca que nasceu da união entre duas mulheres da moda, Karen Fuke e Juliana Jabour, antigas colegas da Triton. O desfile rolou dentro da programação do SPFW, mas fora da arena de eventos montada no Parque Ibirapuera. Foi no corredor da loja Cartel 011, em Pinheiros, com a passarela demarcada por uma linha de sal, e que delícia foi receber na cena de moda brasileira esse projeto tão atual.

Ju e Karen criaram a Just Kids por amor à moda, num movimento contrário ao de preocupação profunda com mercado e volume de vendas. É uma provocação e uma subversão (num cenário onde, naturalmente, importa muito quanto se vende) vindas de duas profissionais que viveram a realidade de grandes grupos e resolveram quebrar essa lógica montando uma marca pequena.

As roupas? Maravilhosas. A coleção veio reafirmar isso que andamos repetindo quase que exaustivamente por aqui. Em três palavras? Streetwear, agênero, gráfico. Os moletons maravilhosos vieram com estampas provocadoras, um pouco auto-críticas e de mensagens poderosas, como “we’re not here to sell clothes”, “a girl is a gun” ou “boys can use makeup, girls can like porn”. Tamanhos oversized, cartela de cores enxuta (preto, branco, cinza e vermelho, basicamente) e umas referências meio místicas, bruxescas que trazem um peso, uma aura especial.

Não bastasse ser muito massa o fato de que as sócias se juntaram para celebrar o amor que elas têm por fazer moda, a criatividade, o prazer de criar sem amarras econômicas, temos que ficar bem felizes porque a proposta da Just Kids é extremamente contemporânea, muito da rua, um streetwear que tá bombando na gringa, mas que ainda engatinha aqui no Brasil. Esse papo todo não quer dizer que as peças são acessíveis a qualquer um, né? As roupas custam entre R$ 600,00 e R$ 800,00, o que se justifica pelo cuidado em todo o processo criativo e pela produção em escala mínima. Quem quiser investir, pode ir numa loja Cartel ou comprar online.

Fotos: Zé Takahashi/FOTOSITE