Tag: headspace

Porque todo mundo está procurando o mindfulness

São muitas e muito sedutoras as promessas do mindfulness. E o melhor, pautados por pesquisas científicas, esses benefícios vêm atraindo cada vez mais adeptos da técnica. Não conhece? O mindfulness é uma técnica de exercícios de meditação de origem asiática que ajuda seus praticantes a focar no presente, desapegando cada vez mais das expectativas do futuro ou das bads do passado, sempre com uma forte conexão à respiração e que exige um certo compromisso para funcionar de verdade, mas que vem mostrando a que veio com cada vez mais exemplos de gente (atletas, empresas, pessoas em busca de uma vida mais tranquila ou de aliviar algum vício) e experiências relacionadas ao assunto.

No Brasil, o termo “mindfulness” foi adaptado para “atenção plena”, o que faz todo sentido, já que a ideia é trabalhar a clara sensação de se estar no “aqui e agora”. Sim, isso quer dizer que, ao praticar, você vai ser convidado a reparar na temperatura do ambiente, na textura das roupas em contato com o seu corpo, nas dores e tensões musculares daquela hora exata, nos sons ao redor… E tudo isso buscando a aceitação. Nada de ouvir barulhos e reclamar mentalmente ou fazer planos de falar com o gerente da obra vizinha ao final da meditação (ainda que esses pensamentos possam passear pela sua cabeça; é normal dar uma viajada, especialmente no início).

Hoje em dia é possível sacar mais e colocar em prática o mindfulness de várias formas. Existem guias online, vídeos, áudios, livros sobre o assunto, espaços zen onde é possível fazer aulas de mindfulness, grupos voltados à prática em empresas comprometidas com o bem-estar de seus funcionários e até aplicativos de celular, tipo o Headspace (que a gente adora!), que disponibiliza muitas meditações guiadas para seus usuários (você pode baixar o APP de graça e usufruir de 10 passos gratuitos e depois ir comprando os outros pacotes).

Fato é que anda se falando cada vez mais do assunto e gente dos mais variados tipos têm mencionado melhoras significativas na vida depois de se iniciar nesse tipo de meditação. Melhora do sono, do foco, da criatividade, diminuição em dores crônicas e pressão arterial, ajuda no combate e na diminuição da ansiedade, stress pós-traumático e depressão, conservação de um cérebro jovem, controle do fumo, aumento do rendimento no trabalho e na escola e, claro, melhora no bem-estar são vários dos benefícios que a prática pode trazer à sua vida. Soa milagroso, mas os resultados dependem de dedicação diária e o ideal é transformar isso em parte da sua rotina e levar para o resto da vida com o objetivo de se aprofundar no rolê e se desenvolver cada vez mais. Não é facinho, não!

Pra ter noção de como o mindfulness está popular, o psicólogo George Mumford lançou o livro “The Mindful Athlete”. Ele colocou times para praticar a meditação e transformou performances de atletas mundialmente reconhecidos como Kobe Bryant e Michael Jordan, que posteriormente atribuíram ao mindfulness sua melhora nas quadras. Os Estados Unidos têm centenas de instituições dedicadas a esse tipo de meditação e aqui no Brasil a secretaria da Educação do Espírito Santo já a adotou como parte do treinamento para professores. O Vale do Silício é provavelmente um dos lugares que mais concentra adeptos no ocidente (risos), com a adoção do mindfulness num ambiente corporativo e cheio de criatividade, mas com altas cargas de trabalho.

É claro que o mindfulness virou um belo de um negócio lucrativo, movimentando US$ 984 milhões só nos Estados Unidos em 2015 (Fonte: IBISWorld). Ao mesmo tempo, dezenas de estudos sobre o assunto são publicados semanalmente nos dias de hoje. Se sabe que a prática influencia também o hipocampo, parte do cérebro extremamente importante para a memória e a regulação de emoções, reforça a compaixão e pra gente, que vive conectado o dia inteiro e é uma das gerações mais ansiosas de que se tem notícia, ajuda com a mania de criar expectativas ao te fazer tirar um tempinho pra si. Então, já que você chegou até o fim desse texto, que tal experimentar o mindfulness hoje?

Fotos: Unsplash