Tag: festivais de música

Muito além do Lolla: 12 festivais brasileiros fora do circuitão que merecem seu investimento

O circuito de festivais vem crescendo a passos largos. Volta e meia recebemos a notícia de mais e mais festivais gringos planejam suas edições brazucas, sem falar naqueles que já se consagraram por aqui. Maravilhoso: com estruturas estupendas e preços não exatamente módicos, esses eventos acabam nos dando a oportunidade de ver muitas das nossas bandas gringas favoritas sem termos que investir em viagens ao exterior. Mas vale ressaltar que o Brasil é grande, é bonito e tá cheio de iniciativas com a cara do país no que diz respeito à música: rolês muito mais baratos, quando não gratuitos, e que abrem espaço para artistas daqui (e a gente é bom de fazer música, hein!). Separamos 12 desses festivais, em diferentes regiões, para diferentes bolsos e gostos. Certo que você vai terminar esse post cheio de vontade! Let’s ferver, shall we?

MIMO Festival

Beto Figueroa

A MIMO surgiu em 2004 no interior das igrejas de Olinda e, de lá pra cá, tornou-se um enorme e reconhecido movimento, do tipo que une música da melhor qualidade a outras manifestações culturais, passando por várias cidades brasileiras. O festival ganhou uma Etapa Educativa, a Chuva de Poesias e ainda editais de música e cinema e hoje visita Recife, João Pessoa, Ouro Preto, Tiradentes, Paraty, Rio de Janeiro e até Amarante, em Portugal, ganhou sua edição em 2016.

A próxima edição, no Rio de Janeiro, acontece de 10 a 12 de novembro com shows de Criolo, Ondatrópica, Emir Kusturica and the No Smoking Orchestra, Didier Lockwood, Nouvelle Vague e mais. Depois disso, o fest parte pra Olinda, dos dias 17 a 19 de novembro. O melhor? É tudo gratuito! Imperdível real oficial, meus anjos.

MECAFestival

I Hate Flash

O MECA é provavelmente um dos festivais mais descolados dessa lista. Fundado há 7 anos, ele nasceu no litoral do Rio Grande do Sul e passeou por algumas cidades do Brasa, levando sua pegada indie de apresentações musicais e eventos culturais. Artistas do naipe de Two Door Cinema Club, Friendly Fires, La Roux e AlunaGeorge passaram por seus palcos. O MECA abarca também palestras, workshops e performances e nesse ano rolou a segunda edição do MECAInhotim: imagine curtir os shows de bandas que você ama no museu a céu aberto e até acampar por lá… Imaginou? Pois foi essa mesmo a proposta, por R$ 490,00 os dois dias.

A experiência é bem única, o festival transborda personalidade e é impossível não sair de lá inspirado. Ah, e no dia 4 de novembro rola MECAUrca no Rio de Janeiro. Aonde? No Morro da Urca (apenas) com shows de Washed Out, Homeshake, Nomi Ruiz, Minha Luz é de LED, Heavy Baile e mucho mais.

Festival DoSol

DoSol

Rolê já tradicional de Natal, o DoSol é considerado o maior festival alternativo de música do estado e acontece nos dias 11 e 12 de novembro em novo local, o Beach Club, na Via Costeira. Ou seja: fervo com brisa do mar. Como não amar?! Nesta edição, o festival terá quatro palcos e um line-up poderoso e super conectado com o que vivemos agora na música brasileira, com artistas como Liniker e os Caramelows, Boogarins, Francisco, El Hombre, Far From Alaska, Scalene e mais. Ainda rolam os side shows que aquecem o público entre os dias 22 de outubro e 19 de novembro. A casadinha na promoção tá R$ 50,00. Corre na página do festival pra ficar sabendo mais detalhes (afinal, ainda dá tempo!).

Psicodália

Psicodália

Talvez o mais alternativão dessa lista, o Psicodália é uma opção das boas pra muita gente que quer fugir do carnaval, mas não do fervo! Festival multicultural independente, fomenta o concept psicodélico de acampamento, expressões artísticas, vivência imersiva e rock’n’roll, mas não só. Desde 2006 o Psicodália é realizado na cidade de Rio Negrinho (SC), e vale ressaltar que a edição do ano que vem tá recheada de atrações maravilhosas, como Jorge Ben Jor, Arrigo Barnabé, Bixiga 70, Carne Doce, Boogarins, Tulipa Ruiz, Pata de Elefante e mais. Por lá já passou gente ~muito importante~ ao longo desses anos, como Os Mutantes, Elza Soares, Baby do Brasil, Hermeto Pascoal, Yamandú Costa, Jards Macalé e Ney Matogrosso, só pra citar alguns. Pra ter direito ao camping, toda a infra do lugar e seis dias de festival, é só investir no ingresso de R$ 400,00 a meia.

Rec-Beat

Ariel Martini

O Festival Rec-Beat é uma bela de uma alternativa pra quem tá no Recife durante o carnaval e quer dar uma variada nos ritmos ou curtir artistas consagrados da nossa música naquele clima 0800. O projeto quer sempre e cada vez mais alimentar um olhar atento às novidades sonoras de Pernambuco, do Brasil e do mundo. O público é diverso: tem gente fugindo da folia do Momo, tem gente mais velha que formou seu gosto musical indo ao Rec-Beat, tem criança, tem turista… Nesse ano, entre os dias 25 e 28 de fevereiro, o evento celebrou sua 22ª edição no Cais da Alfândega e recebeu The Baggios, ÀTTOXXÁ, As Bahias e a Cozinha Mineira, Teto Preto, La Dame Blanche, O Terno, Jards Macalé e mais. E tem também o Recbitinho, com uma programação especial pra criançada curtir junto.

Festival Bananada

Martini/I Hate Flash

Em 2017 o Bananada chegou à sua 19ª edição com uma lista de atrações de babar e se consolidando como um dos eventos de música mais importantes do país! Ao longo de uma semana, Goiânia é tomada por atrações musicais, expressões artísticas diversas, intervenções culturais, arte urbana, gastronomia e até um campeonato de skate. Ramificações do evento que tem na sua principal manifestação o festival de música propriamente dito. Mais de 100 atrações e nomes como Mutantes, Mano Brown, Maria Gadú, BaianaSystem, Céu, Karol Conka e Tulipa Ruiz subiram aos palcos do rolê.

Quem vai não se arrepende de jeito nenhum. Aliás, já fica a dica: o festival está programado para comemorar seus 20 anos de história em 2018 entre 7 e 13 de maio e já revelou algumas de suas atrações, como Gilberto Gil com seu show Refavela 40. Os blind tickets já estão sendo vendidos a R$ 120,00 e dão acesso a todos os dias de festival. Bora?

Vento Festival

Flashit

Vibes, vibes, muitas vibes essas que o Vento Festival fomenta! Imagina que delícia um festivalzão de graça na praia… Em sua terceira edição, o Vento mudou de local, deixando Ilhabela e se jogando pra São Sebastião, ambos no litoral norte de São Paulo. A mudança de local aconteceu por problemas com a nova gestão da prefeitura de Ilhabela, que não sacou muito os benefícios do rolê. Mas tudo bem, porque o Vento seguiu firme, forte, próximo e mais independente, contando com a colaboração das pessoas por meio de um crowdfunding. Uma das características mais importantes desse festival é a gratuidade, que engaja muita gente na missão de pegar a estrada para chegar ao litoral e curtir sons incríveis, políticos, provocadores, como Metá Metá, Mombojó, Ava Rocha e Anelis Assumpção. Em 2017 também foi a primeira vez que o fest aconteceu durante o feriadão de Corpus Christi.

Coala Festival

Fernando Schlaepfer/I Hate Flash

Criado em 2014, o Coala rapidinho conquistou o coração da cidade de São Paulo com sua proposta: som de qualidade, fomento à nova cena da MPB, preço amigo e galera legal. Desde o início o fest rola no Memorial da América Latina, espaço clássico dos eventos culturais da cidade que fica mais belo ainda quando recebe o Coala — pense num povo que capricha na decoração! A edição desse ano foi no dia 12 de agosto e a programação contou com Caetano Veloso como atração principal, Liniker e os Caramelows, Tulipa Ruiz, Aíla, Emicida e Rincon Sapiência, além de discotecagem. O festival tem uma pegada entre o indie e o mainstream e vale super o investimento: a último lote estava em R$ 180,00 a inteira e havia meia social para quem doasse um livro.

Vaca Amarela

Vaca Amarela

A edição desse ano foi a 16ª do Vaca Amarela, rolê que fomenta a diversidade musical e os debates sobre questões sociais em Goiânia. O Vaca Amarela já foi mais “rockeiro”, mas abraçou a multiplicidade e passou a defender a misturinha sonora que a gente ama, hoje recebendo uma galera bem diversa, de Pabllo Vittar a Curumin, de MC Carol a Carne Doce. O objetivo do festival é pluralizar mesmo, como forma de combater o ódio e a polarização que vivemos no país nesse momento delicado. O Vaca Amarela dura vários dias e sua última edição foi de 18 a 24 de setembro. Nos primeiros dias, os shows rolam em diversos pontos da cidade e na sexta e no sábado, principais dias do evento, o babado acontece no Centro Cultural Oscar Niemeyer. Segundo lote inteira a R$ 120,00.

Festival Radioca

Rafael Passos

O que o festival Radioca quer é atravessar as fronteiras do rádio e investir em atrações que representem os novos nomes da nova música independente, tudo isso num dos lugares mais legais de Salvador, o Trapiche Barnabé — local belíssimo e carregado de história na capital baiana. Nesse ano o festival realizou sua terceira edição, reunindo, entre os dias 7 e 8 de outubro, nomes como Far From Alaska, Rincon Sapiência, Metá Metá e Curumin. Em 2016, passaram pelo seu palco outros nomes bem massa, como Giovani Cidreira, Jards Macalé, Karina Buhr, Aláfia e Dona Onete. Além disso, o espaço também oferece várias opções gastronômicas e a feirinha de produtos musicais. O último ingresso custou R$ 50,00 a inteira. Shows babadeiros e Bahia, quem não gosta?

Pilantragi Festival

Pilantragi

Festa já pra lá de conhecida do circuitinho paulistano, a Pilantragi celebra a música brasileira na capital desde 2012, além de comemorar o carnaval com o seu próprio bloco (que costuma entupir de foliões as ruas por onde passa). Nesse ano, a festa cresceu e ganhou seu próprio festival, que realizou sua primeira edição no dia 21 de outubro no Estádio Ícaro de Castro Melo, também em São Paulo. É claro que a pegada foi de muita sonoridade do nosso Brasilzão, tipo Daniela Mercury (sim!!!), Karol Conka, Bixiga 70, Johnny Hooker e Karina Buhr, entre outros nomes da nossa nova música e discotecagem de qualidade. Quem foi garante que foi vibe total e absoluta! Pelo ingresso que custou entre R$ 100,00 e R$ 240,00, com opções de meia, era possível curtir tudo isso e outras atividades, como performances artísticas, intervenções visuais, live painting, exercícios físicos etc. Pra ficar de olho no ano que vem real oficial.

No Ar: Coquetel Molotov

I Hate Flash

O Coquetel Molotov é um verdadeiro clássico do Recife e chegou em 2017 à sua 14ª edição, que rolou no dia 21 de outubro. Foram mais de 10 horas de evento no Caxangá Golf & Country Club, com os artistas se dividindo entre dois palcos maiores e um palco menor. O público ainda pôde se inscrever para diversas oficinas e prestigiar a Mostra Play The Movie. No line-up do festival, artistas locais, brasileiros e internacionais, como Rincon Sapiência, Arnaldo Batista, Linn da Quebrada, O Terno, DIIV, Hinds, Mamba Negra, NoPorn e mais. Bapho, né mores?! Dessa vez a organização do evento ainda deu ingressos para quem doou sangue, numa parceria com a Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Pernambuco (Homope).

Ah! Rola também, já há três anos, o Espaço uPlanet, cheio de ações voltadas para repensar uma vida com propósito e sustentabilidade. Aliás, o Coquetel Molotov possui o Selo Evento Neutro, neutralizando suas emissões em prol de um projeto ambiental. “Beleza lindos, tudo isso por quanto, hein?”: R$ 100,00 a inteira no 3º lote, com opção de meia. Óbvio que a gente recomenda que se chegue ao Recife antes da data exata, pra aproveitar a cidade e ainda as prévias do festival que rolam a partir de um mês antes do rolê todo.

Só mais umas coisinhas: nesse ano o festival se expandiu, realizando sua primeira etapa em Belo Horizonte no dia 15 de outubro, no Espaço Centoequatro, levando aos mineiros revelações do atual cenário como Ava Rocha e Boogarins. Rola ainda a etapa da cidade de Belo Jardim, no Agreste pernambucano, que recebeu no dia 18 de outubro sua edição aberta ao público. Ufa!

E aí, que festivais da sua cidade/região também merecem figurar nessa lista? Queremos saber!

Ausländer Musik Festival: aquecimento!

Rio de Janeiro hosts music festival on Saturday

Prepara o look de festival que tem mais um chegando aí! É o Ausländer Musik Festival, que vai bombar no próximo sábado, dia 29. Em sua segunda edição, “Rock on The Mountain”, o festival mantém a pegada menos mainstream mas pra lá de dançante do seu line-up e promete novidades. “Ano passado fizemos no Castelo, que é lindo, porém pequeno pra conseguir essa atmosfera que nós gostaríamos. Esse ano, faremos no Parque Municipal de Itaipava, um lugar com uma área verde imensa”, diz o head da Ausländer Ricardo Brautigäm, A.K.A. Cadinho.

Serão 13 horas de música e 20 atrações divididas entre o Main Stage, a pista NOON e o Pocket Stage desde cedo. Aliás, uma das graças de ir a festivais está mesmo em curtir o dia, e é por isso que os portões serão abertos às 13h e vai rolar open bar até as 16h. “A expectativa é conseguir trazer a vibe dos festivais gringos como Coachella e Way Out West para o Brasil. Um festival sem multidão e com muita interatividade, como bungee jump, balão tripulável, cinema do Canal OFF, Food Truck Village…”, fala Cadinho. Ainda tem ingresso, então cooorre pra comprar!

PROGRAMAÇÃO

MAIN STAGE: 14h-15h KinKid / 15h30-16h20 Jesuton / 16h50-17h30 Rio Shock / 18h-18h50 Kakkmaddafakka / 19h20-20h10 Mapei / 20h40-22h Icona Pop / 22h30-01h Zeh Pretim Crew

POCKET STAGE: 15h-15h30 Rodrigo Esper(Manie Gang) / 16h20-16h50 ZedoRoque / 17h30-18h Felipe Guga / 18h50-19h20 Cix e Yasmin / 20h10-20h40 Wladimir Gasper / 22h-22h30 (a confirmar)

PISTA NOON: 18h-20h Bernardo Campos / 20h-22h Flow & Zeo / 22h-23h30 Leondre / 23h30-00h30 Diogo Accioli (a confirmar) / 00h-02h Phonique

Conta Mais?

KinKid Projeto do carioca José Hesse com referências de trip-hop, som ambient e inspiração em Thom Yorke, Vincent Gallo e Boards of Canada, por exemplo. O resultado é um eletrônico experimental imperdível.

Jesuton A moça é inglesa e foi descoberta cantando pelas ruas do Rio de Janeiro. Hoje ela é figurinha carimbada da cidade e tem contrato assinado com a Som Livre. Ouça “Part Time Lover” pra conhecer seu vozeirão de diva.

Rio Shock Duas palavras: “Moleque Transante”. Tá, mais uma: “Sensualizar”. Já queremos suar na pista com esse som divertidíssimo!

Kakkmaddafakka Indie rock norueguês gostosinho, com aquele clima perfeito de festival e influências de hip-hop, reggae, disco, R&B e house. Ouça “Restless” enquanto se arruma pra sair.

Mapei Certamente você já ouviu “Don’t Wait” pelas rádios da vida. Mapei é americana, foi criada na Suécia e descoberta por Diplo. Seu som é mistura fina entre R&B e funk carioca.

Icona Pop Caroline Hjelt e Aino Jawo lançaram o Icona Pop em 2009, após prometerem fazer músicas juntas quando estavam bêbadas numa balada na Suécia. Quem nunca cantou “I Love It” a plenos pulmões na night não sabe o que tá perdendo!

Zeh Pretim Crew Fechando a noite, o crew de DJ’s reis do cenário carioca: Zeh Pretim, Zedoroque e Rapha Lima, com sucessos variadíssimos do pop ao indie, do hip-hop ao charme, do soul ao trap, dos 80’s aos 90’s.

Ano passado foi assim!

ENGLISH

Prepare your festival outfit because there is another one coming! The Ausländer Musik Festival will take place on Saturday 29th. In its second edition, “Rock on The Mountain”, the festival keeps the “not so mainstream but definitely danceable” line-up and promises some new features. “Last year we did it in the Itaipava Castle, which is beautiful but small to achieve the atmosphere we would like. This year the festival takes place in the Municipal Park of Itaipava, a place with a huge green area,” says the head of Ausländer Ricardo Brautigam, AKA Cadinho.

13 hours of music and 20 attractions await you in the Main, NOON and Pocket stages all day long. In fact, one of the coolest things about going to festivals is to enjoy the daylight, and that’s why the gates will open at 1pm, with an open bar until 4pm. “The expectation is to bring the vibe of festivals like Coachella and Way Out West to Brazil. A festival without crowd and with lots of interactivity, such as bungee jumping, manned balloon, movies, Food Truck Village…” says Cadinho. Tickets are still for sale, so run run run and buy yours!

Tell Me More!

KinKid José Hesse is from Rio and the one behind this project, that has trip-hop and ambient references and inspirations such as Thom Yorke, Vincent Gallo and Boards of Canada. The result is a must-see experimental electronic sound.

Jesuton The lady from England was discovered singing in the streets of Rio de Janeiro and signed with Som Livre record label. Listen to “Part Time Lover” and get to know her diva voice!

Rio Shock With hits like “Moleque Transante” and “Sensualizar”, this Brazilian sound will make you sweat!

Kakkmaddafakka The Norwegian indie rock is delicious and a serious festival material, with hip-hop, reggae, disco, R&B and house influences. Listen to “Restless” while getting ready to go!

Mapei You’ve probably heard “Don’t Wait” out there. Mapei is an american chick raised in Sweden and discovered by Diplo. Her sound is a fine fusion between R&B and Brazilian funk.

Icona Pop Caroline Hjelt and Aino Jawo started Icona Pop in 2009, after drunk promising each other they would make music together in a party in Sweden. If you ever sang “I Love It” super loudly in a party, you know what I’m talking about.

Zeh Pretim Crew Closing the night, the famous Rio de Janeiro DJ’s Zeh Pretim, Zedoroque and Rapha Lima will present hits from pop to indie, from hip-hop to brazilian music, from soul to trap, from the 80’s to the 90’s.

Fotos: I Hate Flash / Ausländer / Divulgação

Coquetel Molotov: foi massa!

T-Shirt Caio Braz | Bermuda Billabong | Meia Lojas Americanas | Tênis Vans

Neste fim de semana aconteceu em Recife o Coquetel Molotov, um dos principais festivais de música de Pernambuco (e do Brasil), com nomes como Karina Buhr, Flora Matos, Russian Red (ESP), La Femme (FRA). Foi minha primeira vez no Coquetel: antes o festival acontecia no Teatro Guararapes, com outra vibe, mais calminho, e nesse ano ganhou um belo de um upgrade ao chegar na Coudelaria Souza Leão, com direito a tenda eletrônica powered by Red Bull, área verde, tudo aberto, natural, e deu quase 4 mil pessoas. É o Coachella de Recife! (hehehe)

Tive a honra de ter sido convidado a apresentar as atrações dos palcos e também participar do ‘Mercado Molotov’, uma feirinha com designers locais. A budega do Brazinho bombou! Fofo também que minha irmã era produtora do palco principal, então passamos o festival juntinhos. Obrigado Ana e Nestor pelo convite, adorei.

Brazinho, el apresentador!

Criei uma estampa exclusiva para o festival – já estão à venda na loja virtual – assim como tinha feito no festival MECA, de Porto Alegre. A galera das outras cidades pode comprar também e curtir um pouco da vibe do Coquetel!

Fotos de Flora Pimentel e Lana Pinho

Ausländer Musik Festival & Queremos!

Vocês já conhecem a turma da Ausländer e a nossa obsessão por festivais de música: e não é que agora a Ausländer resolveu criar um festival pra chamar de seu? Preparem os corações: vai ser no dia 07 de Dezembro, e pra viabilizar tudo, a galera se reuniu com o Queremos, em esquema de crowdfunding, para levantar os custos e fazer a parada acontecer.

Cata o mood do festival, vai ser que nem esse clipe do Mayer Hawthorne, uma das atrações confirmadas

Sente o Castelo de Itapiava: no line-up, olha que delícia: Girl Talk + Mayer Hawthorne + Mø + Beatrice Eli + Viceroy <3 + The Misshapes + João Brasil + Nepal + Zeh Pretim + Wladimir Gasper + atrações a confirmar

Compre sua cota: custa R$ 150 e você já garante a sua presença, por um precinho mais camarada. Clique para acessar o site do Queremos e saber mais! “Escolhemos o line-up pensando em bandas e DJs animados, pra por a galera pra dançar mesmo, fugindo um pouco do mainstream, pra garantir um público selecionado e boa música – lembrando os tempos do Free Jazz, que saía o line-up e todo mundo ficava louco pra descobrir mais sobre as bandas”, diz Cadinho, head da AuslãnderEnquanto isso, já podem ir pensando nos looks:

Fotos: I Hate Flash

O melhor do Wireless Festival 2013

No último final de semana aconteceu em Londres o Wireless Festival. O evento, que existe desde 2005, está agora sob o selo Yahoo! e reuniu 82 atrações musicais no Queen Elizabeth Olimpic Park de sexta (12) até o domingo (14), entre elas nomes como Justin Timberlake, Jay-Z, Rita Ora, Snoop Lion e John Legend.

Confira 12 momentos:

Justin Timberlake, e o novo single “Take Me Back The Night”

Justin Timberlake, “Cry Me A River”

Justin Timberlake & Jay-Z, “Suit And Tie”

John Legend, “Tonight (Best You Ever Had)”

Snoop Lion & Rita Ora, “Torn Apartment”

Miguel, “Adorn”

Macklemore & Ryan Lewis, “Thrift Shop”

Iggy Azalea, “Work”

Little Mix, “How Ya Doin’?”

Mikky Ekko, versão solo de “Stay”, parceria com Rihanna

Tinie Tempah, “Miami 2 Ibiza”

Frank Ocean, “Pyramids”

O estilo do público: