Retrospectiva olímpica: os melhores e piores da Rio 2016

No último domingo aconteceu a cerimônia de encerramento das Olimpíadas Rio 2016, apagando a pira olímpica e fechando um ciclo que acabou surpreendendo positivamente a todos: surra de espírito olímpico, muitos festejos na cidade maravilhosa, troca cultural intensa e um envolvimento com diferentes esportes que não só o futebol. Coisa rara de se ver aqui nas nossas bandas! Já estamos com saudades, claro! E no clima de relembrar, listamos os melhores e piores da Rio 2016. Confere:

Uma foto publicada por Caio Braz (@caiobraz) em

OS MELHORES

A CERIMÔNIA DE ABERTURA Estávamos todos tensos com a abertura dessa olimpíada, vamos assumir. O evento chegou ao Brasil num momento político super delicado, com o país polarizado e os ânimos à flor da pele. Montada por um time de peso (Andrucha Waddington, Daniela Thomas e Fernando Meirelles como diretores criativos, Deborah Colker na direção de movimentos e Abel Gomes como diretor-geral artístico), a cerimônia trabalhou com orçamento reduzido, mas deixou todos boquiabertos. Cheia de alma, calor humano e muito brasileira sem ser só clichê, foi o início perfeito de um evento que nos uniu e nos fez ver o lado bom de ser brasileiro. Estar lá foi emocionante pra caramba, saímos todos bêbados de espírito olímpico!

por Beto Barata

RAFAELA SILVA DEU O NOME Nossa primeira medalha de ouro nesses jogos foi também uma senhora história de superação. A judoca Rafaela Silva levou o estimado prêmio depois de ser eliminada em Londres e sofrer racismo. Ela chegou a pensar em desistir do esporte, mas deu a volta por cima. Mais, Rafaela é mulher, negra e de origem humilde. Muita representatividade e uma verdadeira lição de vida.

por Kai Pfaffenbach/Reuters

THIAGO BRAZ DA SILVA, VOADOR Que loucura foi ver Thiago Braz no salto com vara! O rapaz bateu novo recorde olímpico e saltou 6,03 metros, deixando o francês e favorito ao ouro Renaud Lavillenie para trás (um que super reclamou das vaias do público, aliás). Thiago tem só 22 anos e é uma das faces dessa edição das Olimpíadas.

por Franck Fife/AFP

ISAQUIAS: TRÊS É DEMAIS DE BOM O baiano de 22 anos foi o primeiro atleta brasileiro a ganhar três medalhas em uma única edição dos jogos. Nas três provas de canoagem que fez, Isaquias subiu ao pódio. Foram duas pratas e um bronze, mas o gostinho foi de ouro para todos nós.

por Reuters

A DESPEDIDA DE PHELPS O maior atleta olímpico de todos os tempos disse adeus à carreira de nadador aqui, em terras brasileiras, após levar cinco ouros e uma prata na Rio 2016, acumulando 28 medalhas, sendo 23 delas de ouro. Pense: o Brasil tinha 23 ouros em toda a sua história até o início da Rio 2016, coisa que Phelps conseguiu sozinho em cinco edições olímpicas. Palmas.

por Odd Andersen/AFP

SIMONE BILES, A PEQUENA GIGANTE Dava gosto de ver Simone Biles performando suas acrobacias nas provas de Ginástica Artística. A jovem de 19 anos levou quatro ouros e um bronze e virou a primeira atleta norte-americana a conseguir mais medalhas do esporte em uma única edição dos jogos.

por Getty Images

USAIN BOLT: O RAIO Impossível não amar Usain Bolt! O jamaicano é quase deus, de tão impressionantes que são suas corridas. Ele conseguiu três tricampeonatos inéditos (100 e 200 metros rasos e revezamento 4×100 metros) e levou medalha de ouro no bom humor, coisa que brasileiro adora. Bolt era só sorrisos, zoava com jornalistas e no Rio de Janeiro não se falava de outra coisa que não o seu aniversário de 30 anos, comemorado na Casa da Jamaica. Bolt acabou indo para outra festa, mas segue rei nos nossos corações. Ah! Ele também anunciou aposentadoria. Veremos…

por Lucas Coch/EPA

O LEGADO DO METRÔ Com as obras entre Ipanema e Barra concluídas e o metrô funcionando inicialmente para atender o fluxo do evento olímpico, o carioca parece ter um motivo pra continuar alegre com o fim da Rio 2016. Finalmente existe a possibilidade de sair de Ipanema e chegar à Barra em algo como 40 minutos, sem carro, sem trânsito e pagando pouco, algo inimaginável a pouquinho tempo atrás. Quem mora no Rio e faz o trajeto diariamente sabe do perrengue que é: comum ficar até mais de três horas no trajeto entre um bairro e outro.

por Ricardo Cassiano

UNIFORMES BABADEIROS Falando de modas, parece que não temos do que reclamar. As parcerias entre as delegações dos países e renomados estilistas renderam belíssimos uniformes aos atletas, tipo de roupa sporty que a gente adotaria fácil no dia a dia. Brasil tava super DNA brasileiro com Lenny Niemeyer, a França tava maravilhosa de Lacoste, os da Suécia estavam um bafo, muito usáveis (e feitos pela H&M, olha…), e Cuba de Christian Louboutin? Elegantérrimos da cabeça aos pés. Amamos!

Uniformes de Cuba e França, respectivamente. Fotos: respectivas delegações

OLIMPÍADA DAS GAY E DAS MINA Essa medalha é nossa! A Rio 2016 se consagrou como a olimpíada mais gay da história, com o maior número de atletas abertamente LGBTQ de que se tem notícia (43 no total)! Tivemos pedido de casamento em campo, beijo durante a passagem da tocha, destaque para atletas já casadas ou namoradas, cinco ciclistas trans puxando as delegações dos países na abertura… Além disso, a seleção brasileira de futebol teve seu (tardio!) merecido reconhecimento por parte do público brasileiro e mulheres dos mais diversos esportes provaram por A + B porque esse papo de sexo frágil é uma cilada. Que a representatividade e o respeito se espalhem e se perpetuem, já que sabemos que no dia a dia brasileiro não é bem assim que a banda toca.

por David Ramos

OS PIORES MOMENTOS

O PINÓQUIO OLÍMPICO O papelão de Ryan Lochte em sua passagem pelo Brasil foi, certamente, um dos acontecimentos mais bizarros dessa Olimpíada. O cara ganhou o ouro no revezamento 4×200 metros livre, sua 12ª medalha na carreira, mas achou pouco. Ficou bêbasso na night carioca, arranjou confusão e ainda mentiu sobre ter sido assaltado junto aos amigos atletas James Feigen, Gunnar Bentz e Jack Conger. Lochte perdeu patrocínio da Speedo, virou motivo de vergonha mundial e o caso está sendo investigado pelo COI.

por AFP

OS CASOS DE ASSÉDIO NA VILA DOS ATLETAS Quatro casos de estupro estão sendo investigados. O pugilista marroquino Hassam Sada e o pugilista da Namíbia Jonas Junias Jonas foram presos por suspeita de estupro a camareiras. Um atleta da delegação búlgara está sendo investigado por agressão. O segurança Genival Ferreira Mendes foi autuado em flagrante por praticar ato libidinoso contra uma bombeiro civil e ainda dois atletas das Ilhas Fiji foram acusados de assédio por três camareiras. Gostamos de falar que essas foram as olimpíadas das mulheres, mas esse tipo de ocorrência mostra quanto caminho ainda temos a percorrer nesse sentido. Triste.

por Ricardo Moraes/Reuters

A PISCINA VERDE “A química não é uma ciência exata”. Foi assim que um porta-voz veio justificar a vergonha da piscina de água verde do Centro Aquático Maria Lenk. Demorou até um tempo pra descobrirem que diabos tinha acontecido com a água, e o fiasco foi posteriormente explicado como um excesso de peróxido de hidrogênio colocado nas piscinas, o que comprometeu a eficiência do cloro e permitiu a proliferação de algas. Aff, bizarro!

por Reuters

O FORA TEMER PROIBIDO Primeiramente: Fora Temer! Segundamente, que ano é hoje que um torcedor é retirado de um estádio por se manifestar contra o governo? Foi isso mesmo que aconteceu, um rapaz foi retirado à força da competição de tiro com arco por supostamente ter gritado “Fora Temer”. Polêmicas com cartazes também aconteceram, mesmo depois de a Justiça ter acolhido um pedido do Ministério Público Federal para que União, Comitê Organizado e Estado deixassem o povo se manifestar em paz.

por Ueslei Marcelino/Reuters

AS VAIAS O brasileiro é um povo de coração, emotivo, que se entrega aos espetáculos esportivos que assiste cheio de alma. Com as olimpíadas acontecendo no Brasil pela primeira vez, talvez tenhamos nos excedido um pouco. As muitas vaias em esportes como tênis de mesa, hipismo e atletismo irritaram atletas estrangeiros e a imprensa internacional, que insistiram conosco que “nem tudo é futebol”.

por Jae. C. Home/AP

Olimpíadas, please come to Brazil (again)!!!

Quais foram seus momentos favoritos dos jogos? Conta pra gente nos comentários!

Comments