Recife Hipster Guide

Recife Hipster Guide né? Se você gostar de cultura, arte, praia, balada, gente simpática, comida gostosa, música (autoral, muito importante), você precisa conhecer Recife. Então com muito apreço e amor eu lhes apresento os melhores lugares da minha terrinha natal, porque pernambucano de verdade sempre vai achar o Recife a maior e/ou melhor cidade pequena do mundo.

Assunto polêmico, e vale à pena aprender um pouco de história. Infelizmente, a praia do Recife tem tubarões na orla. Isso aconteceu porque algum filho da mãe aprovou obras no Porto de Suape sem nenhum cuidado ambiental e acabou com a região onde os tubarões se alimentavam e procriavam. Os tubarões, que agora passam fome, mordem as pernas dos surfistas que estão nas orlas de Boa Viagem e do Pina. Então se você for tomar banho, é uma delícia – águas calientes – mas com a maré baixinha e sem sair do raso. PLMDDLS.

A praia do Recife tem uma característica bem diferente das outras praias do Brasil, que eu acho o máximo. É uma verdadeira praia de alimentação. As pessoas frequentam a praia para encher a cara e comer muito, sem a preocupação neurótica do corpo sarado carioca. Prepare-se para caldinhos de feijão com ovo de codorna e charque – mesmo sob o calor esturricante – camarões, amendoins, e ostras. Eu sempre comi ostra na praia, tem gente que considera perigoso, eu acho isso coisa de quem não tem anticorpos. Com sal, azeite e limão. Bem baratinho, negocie com o vendedor.

Sobre o point, há polêmicas, mas o “Posto 9” pernambucano é o edifício Acaiaca, mas a galera mais jovem tem frequentado a Barraca do Pezão, que fica na altura do Edifício Elisa Lundgren, em Boa Viagem. A turma mais legal frequenta o Pina, que é mais popular e antropológica. Cuidado com os maloqueiros, nada de ficar brincando com o iPhone na areia, porque eles podem te roubar na saída. Sorry, mas é assim mesmo.

A cidade tem muitos restaurantes, para todos os gostos e bolsos. A boa mesmo é ir na Casa de Banhos, que fica no Parque das Esculturas de Francisco Brennand, a famosa Bilola do Marco Zero. Pra chegar lá, só de carro, atravessando Brasília Teimosa (vá sem medo) e uma estradinha estreita até chegar no restaurante, que fica em uma “restinga” entre o Oceano Atlântico e o Rio Capibaribe. Lindo de morrer, com um por do sol alucinante.

Ainda durante o horário de almoço, e principalmente durante a semana, o Bar Central é bate-ponto obrigatório da galera das artes, cinema, música, etc. Rola um almoço executivo em conta, e a comida é ótima. É um lugar super frequentado na noite também, serve para pré-nights ou simplesemente ficar lá bêbado a noite toda. Já dá pra ferver um pouco e fazer umas amizades. Em Boa Viagem outra opção é o Boteco Maxime, um pouco carinho, mas a comida é ótima!

Tem um bar que vale à pena principalmente pelo caldinho de feijão: o Bar do Neno, que fica na Zona Norte. O caldinho é uma instituição nos bares pernambucanos, e o do Bar do Neno ganha todos os anos o prêmio da Veja Recife, porque é muito delicioso. Confira.

E pra terminar a seção diurna, mais uma iguaria imperdível: o caranguejo. A verdade é que o caranguejo de Fortaleza é melhor do que o de Recife, eles são maiores, mas, não perca a chance de comer no Guiamum Gigante, que tem em Boa Viagem e em Casa Forte. O de Casa Forte é bem barulhento, não curto muito, o de Boa Viagem é mais charmosinho porque fica na Avenida, à beira-mar.

De noite, se você quiser fazer a linha mais chique, a boa é o Kojima, restaurante japonês que reune patricinhas, casais, grupos de amigos, etc. É um pouco playboy, mas é “massa”. O lugar é pequeno então é bom reservar, ou chegar cedo. A comida é maravilhosa, um pouco carinha para padrões Recife, mas o atendimento é ótimo, principalmente se o seu garçom for o Deo, que é uma figura. De lá, você corre pra balada.

Uma prática comum dos bares do Recife é a tal história do clone: clone de chopp, de camarão ao alho e óleo, de frango à passarinho. É hilário (nunca vi isso no Rio), mas é maravilhoso, principalmente nos dias de semana. Todo mundo quer pagar menos né? Fica de olho no Fiteiro, que tem na Zona Norte, no Parnamirim, e na Zona Sul, no Pina.

Todos os outros restaurantes que eu falei acima servem também como lugares para você encher sua cara. Central, Frontal, Bar do Neno, Boteco Maxime, Casa de Banhos. Assim como a praia. E principalmente, nas baladas que eu vou recomendar abaixo. Recife além de cultura, respira raparigagem e mucha fiesta!

GOLARROLÊ CREW O casal Alanna Marques e Lucas Logiovine começou com a Festa Putz!, cinco anos atrás, e hoje faz uma média de quatro festas por mês, todas animadíssimas. Tem o Brega Naite, onde toca o melhor brega rasgado, como Vício Louco, Djavu, Banda Lapada e, claro, hits do DJ Cremoso; a Maledita, com muita música pop nacional e internacional; a Neon Rocks, com repertório mais roqueiro e indie, a Putz!, de música eletrônica, e a novíssima Odara, só com músicas brasileiras. Não dá pra reclamar, tem pra todo mundo, e as festas SEMPRE vão até no mínimo seis da manhã, quando o sol já está fritando todo mundo. Não deixe de conhecer! Leve os óculos escurso (mas só use quando amanhecer, por favor, não é rave). Pra acompanhar a agenda e descobrir qual a festa da semana, curte eles no Facebook

SEM LOÇÃO 

Criada em Recife há bastante tempo também, pela DJ-Diva Lala K, Rebel K e Felipe Machado (Original DJ Copy), a Sem Loção foi a primeira das festas descoladas da cidade, e seu reinado é insubstituível. Reúne toda a galera que você quer conhecer, e um repertório animadaço. A Sem Loção bombou tanto que agora acontecem versões paulistanas e cariocas. Inclusive a de São Paulo ganhou o prêmio da Época neste ano como a melhor festa da cidade. Zero carão, e só causação. Cata eles no Feice aqui!

OTHER FACTS

COMPRE O JORNAL

Recife tem uma efervescência cultural muito forte, principalmente de bandas autorais. Evite os lugares com bandas cover – que geralmente enchem de patys e pleibas – e compre o jornal da semana (Jornal do Commercio ou Diário de Pernambuco) para descobrir onde vai ter show da Eddie, Academia da Berlinda, Catarina Dee Jah, Trio Pouca Chinfra, entre outras. O Teatro da UFPE costuma também ter ótimas atrações durante o findi.

BAIRRISMO CARINHOSO

Recife é o tipo de cidade que sim, tem uma beleza visível, as pontes, a praia, e tudo mais; só que a graça de lá é mesmo a sua gente. E essa gente, apesar de maravilhosa, pode ser um pouco bairrista. A grande maioria dos comentários regionalistas são piadas. Se você for de outro lugar e adorar uma discussão, recomendo seriamente fazer comparações com outros estados, pernambucano ama esse papo e ser um pouco soberbo, é uma chance de você aprender muito sobre nossa cultura. Se você ficar falando que o seu é melhor, corre o risco de apanhar *alerta*

A gente aprende desde pequeno a ter muito orgulho de sua história revolucionária, a acreditar que fundamos Nova Iorque, a entoar o hino do Estado, dançar o frevo. O orgulho pernambucano é diferente do gaúcho. Enquanto no Sul, os separatistas insistem que o Rio Grande é a Europa, em pernambuco defende o orgulho cultural e de suas tradições. Explore isso nos habitantes, sua viagem vai ficar bem mais rica.

Comments