Moda: saiba mais sobre a Cacete Company e seu espírito livre e jovem

Uma nova paixão: a Cacete Company. Marca que está nas ruas desde 2015 e que tem como principais características uma moda jovem, de espírito livre e pegada inusitada, a Cacete traz peças provocativas, design super contemporâneo, a vibe do streetwear que estamos amando, tudo com personalidade própria.

Na Cacete a gente encontra também underwear que preza não só pela qualidade, mas também pelo estilo, afinal, por quê não? Esse é inclusive um dos maiores focos da marca, que tem um processo de produção 100% brasileiro. Além disso, essa galera é do fomento! Tanto de parcerias de criação e produção (dá pra ver tudo com detalhes no site deles) quanto das silhuetas que estão em alta; oversized, cortes desconstruídos etc. A gente bateu um papinho com o Raphael, um dos sócios da Cacete, pra saber um pouco mais dessa história!

Como surgiu a marca?

O processo de pensar a marca começou em meados de 2013. No início, não tínhamos um conceito determinado, porém queríamos explorar o universo do street. No começo de 2014 escolhemos o nome da firma e em abril de 2015 finalmente a lançamos. A vontade de atender o público masculino sempre existiu, mas foi durante este processo que definimos focar nas cuecas, por acreditarmos que fosse uma setor pouco explorado.

De onde veio esse nome?

Queríamos um nome 100% brasileiro, forte, irônico, debochado e principalmente fácil de guardar. A dualidade da palavra também foi super importante, pois existem regiões nas quais cacete significa palavrão e outras onde significa apenas um pãozin, rs! E além do mais, o nosso foco é vender cuecas, ou seja, porta cacete, haha!

CA.CE.TE.co na SPFW – N43 Março / 2017 foto: Marcelo Soubhia

Uma publicação compartilhada por CA.CE.TE.co (@cacetecompany) em

Como é o processo criativo de vocês?

O nosso slogan é da rua pra rua! E é bem isso que buscamos, referências do nosso cotidiano e principalmente o que gostaríamos de usar.

E que referências (artistas, universos, música, movimentos…) são essas que têm a ver com a Cacete?

Amamos ser locais! Nossas referências vêm de artistas de rua de BH, como #DESALIXO, e movimentos sociais, como Lá da Favelinha e Duelo de MC’s, por exemplo. Djonga e Cadu dos Anjos são músicos mineiros que a gente também admira. Somo bem mineirinsrs! Mas claro, curtimos muita música gringa: M.I.A (pela música e pelo ativismo político), Grimes, FKA, Robyn e Rihanna.

CA.CE.TE.co na SPFW – N43 Março / 2017 foto: Marcelo Soubhia

Uma publicação compartilhada por CA.CE.TE.co (@cacetecompany) em

Por fim, vocês falam no site que o processo de produção é 100% brasileiro. Conta mais detalhes pra gente!

Temos muito orgulho de onde viemos e fazemos questão de fazer tudo por aqui mesmo. Estar perto de quem produz pra gente é muito importante! Somos uma empresa de dois sócios que fazem tudo, a gente é empreendedor, mídias sociais, assessor de imprensa, officeboy, SAC…

Trabalhamos com duas mulheres maravilhosas, a modelista Ana, que está com a gente desde o início, e a pilotista Lau, que faz um acabamento perfeito. Os fornecedores de tecidos são todos nacionais. As malhas vêm do Sul do país e os tricolines do interior de Minas. Nosso processo serigráfico e de corte é todo produzido em BH, por empresas terceirizadas. Já os acessórios e sandálias são desenvolvidos em parceria com O Jambu e o artesão de calçados, Paolo, ambos também de BH.

Saiba mais sobre os micro-influencers, a nova turma influenciadora da internet

Esqueça aquela história de influenciadores com muitos milhares ou mesmo milhões de seguidores nas redes sociais. Não que essa classe vá deixar de existir, pelo contrário, mas surge um novo nicho de influência online, muito mais específico: é o micro-influencer.

Com bem menos seguidores que as celebridades e os grandes influenciadores (algo entre mil e 10 mil), o micro-influencer é um especialista em pequenas coisas, um defensor de pequenas causas, alguém reconhecido por algo numa turma particular que o segue por dar muito crédito ao que ele diz, faz ou produz. Ele saca de temas pontuais, está bem mais próximo de seus seguidores e tem maior facilidade de comunicação com essas pessoas, formando um grupo onde o diálogo é real e consistente. Por isso mesmo, ele é o novo foco da propaganda online!

Isso porque, imagine você, vários micro-influencers envolvidos na estratégia de marketing de alguma coisa pontual acabam formando uma enorme rede em audiência. Além disso, pesquisas já demonstram que esses influenciadores menores têm capacidade de engajamento de seu público consideravelmente superior aos influenciadores com mais de 100 mil seguidores. Seus seguidores refletem muito mais sobre a possibilidade de fazer algo ou de, ao menos, debater sobre esse algo apontado pelo micro-influencer, do que os seguidores de gente muito famosa na internet.

Beleza, mas a questão aqui não é só marketing, né?! Por quê isso vem acontecendo? A verdade é que os mega-ultra-ninja-influenciadores (kkk) acabaram, ao mesmo tempo que alcançando números exorbitantes, perdendo qualidade em termos de conteúdo, ou mesmo nunca tiveram preocupação com esse tipo de coisa. Para conteúdos superficiais, um interesse superficial. Muitos dos seguidores de pessoas assim acabam, eventualmente, se cansando daquela persona, duvidando de suas dicas, não se sentindo mais envolvidos ou contemplados por suas postagens. Até que ponto aquela dica é verdadeira, aquela pessoa é real, esse universo que é apresentado me acrescenta?

Em 2017 esse “segmento” do universo online deve ficar mais claro tanto para seguidores quanto para influenciadores e marcas, mas com certeza você já segue, confia e gosta de alguns micro-influencers, dê uma olhada na sua lista do Instagram!

Aliás, aqui vai uma seleção com alguns exemplos atuais de micro-influencers, essa galera que forma opinião dentro de seus nichos e mundos, pra você sacar melhor do que estamos falando!

@RONCCA

Com quase 4 mil seguidores, o fotógrafo Victor Ronccally mora no Rio, vive viajando e fazendo seus cliques e é, obviamente, uma referência de fotografia para seus seguidores.

@ZEHPRETIM

DJ, empreendedor e referência da night carioca, Zeh Pretim tá mais na frente na conta dos seguidores, com quase 19 mil. Ainda assim, ele saca demais do nicho musical e de festas, produz seus próprios rolês e, consequentemente, entende também de vários elementos ligados a esse mundo. Certo que se ele indica, seus seguidores levam bem a sério.

@FERNANDALENSKY

Fernanda tem um perfil de pegada super feminista e empoderada, com muitas referências a arte e fotografia, além de sacar muito de brechós e ter uma marca de artes integradas, slow-fashion e handmade, a Madreputa. Ela tem cerca de 16 mil seguidores.

@FIGARTUR & @UYLL

Os gêmeos Artur Figueiredo e Uyl Neto são uma surra de referências, moda contemporânea, jovem e descolada, muito estilo e fotos incríveis, de forma que não dá pra falar de um sem falar do outro. Eles são figurinhas carimbadas do melhor do rolê carioca e o Artur é também um beauty artist de responsa. Eles têm entre 3 e 4 mil seguidores no Insta.

@MILIANDOLLA

Mílian é DJ, fervida e referência de estilo. Cheia de personalidade, sua estética é extravagante, colorida, estampada, ousada e com muitos acessórios inusitados. Ela tem pouco mais de 8 mil seguidores.

@MARI_MATS

Mariana Mats tem um trabalho de responsa como artista e grafiteira, além de fazer altos sons como DJ em festas incríveis. Seu Insta, que tem mais de 8 mil seguidores, intercala fotos de suas artes com suas fotos pessoais, e ainda registros dos rolês onde ela toca.

@BRENNOMELO_

Beauty Artist, Brenno faz peles negras como ninguém! Ele trabalha muito com a Lellêzinha, do Dream Team do Passinho, com a Luiza Brasil do Mequetrefismos e muito mais gente, sempre compartilhando as belezas que ele faz no Instagram, onde ele tem mais de 4 mil seguidores.

@JOAOARRAES

João é um fotógrafo recifense que ganhou o mundo da moda com seus cliques de extremo bom gosto. Seu perfil no Instagram é uma surra de editoriais, retratos e referências, a maioria do mundo fashion, por ele fotografadas. Ele tem uns 9 mil seguidores.

@VIOLETAULTRA

A Jeanne Yépez é feminista, ativista e produtora cultural. Além de circular por alguns dos rolês mais legais do Rio, ela produz e participa de vários bate-papos sobre feminismo, compartilhando com outras minas e rapazes as suas vivências e insights. Coisa que ela também faz no Insta, onde tem pouco mais de 3 mil seguidores. GRL PWR!

Um mini-guia de São Paulo para quem vai ao Lollapalooza

Entre os dias 25 e 26 de março São Paulo recebe mais uma edição do Lollapalooza, festival que reunirá dezenas de atrações nacionais e internacionais de variados estilos no Autódromo de Interlagos. Enfim, vocês tão ligados, né? Neste ano, o Lolla trará nomes como Metallica, The Strokes, The XX, Criolo, Flume, Jaloo, Duran Duran, BaianaSystem e muito mais! Pra quem não mora em São Paulo e passará alguns dias pela cidade, aqui vai um mini-guia com dicas de acomodação, comprinhas e fervo, porque saiba, o rolê está longe de se resumir ao festival!

ONDE FICAR

Guest Urban Uma mistura de hospedagem, galeria de arte e espaço para eventos intimistas, o Guest Urban é um hotel boutique de pegada cool pra quem tá a fim de experimentar a vibe cosmopolita da cidade. Ele fica num sobrado construído na década de 60 e todo reformado, no bairro de Pinheiros, ótima localização cheia de opções de lazer e comércio pertinho! (Quartos a partir de R$ 199,00).

Bee.W Esse hostel bar super charmoso foi criado por um grupo de amigos empreendedores e, além de ter acomodações coletivas super organizadas, possui um bar cheio de drinks gostosos e em conta (bom pra fazer aquele esquenta!). Ele fica no bairro da Bela Vista. (Diárias a partir de R$ 50,00).

Aki Hostel O Aki ficou bem famoso ano passado por liberar um espaço na cobertura da casinha para que seus hóspedes acampem. Isso mesmo, você pode acampar no meio da cidade de São Paulo. Além disso, é possível alugar desde quartos compartilhados até privativos. Ele fica no bairro do Paraíso. (Diárias a partir de R$ 30,00).

ONDE COMPRAR

Festival Transforma Nesse fim de semana, entre 25 e 26, rola o Festival Transforma, uma iniciativa que busca incentivar a troca de conhecimento manual. É uma iniciativa da Jardim Secreto Fair, que tá bombando em SP reunindo pequenos empreendedores em jardins da cidade. Vai rolar uma mini-versão da feira no festival.

Cartel 011 Indispensável pra quem busca moda de qualidade, streetwear, cultura jovem e lançamentos de sneakers exclusivos, a Cartel 011 é uma mistura de arte, design, fotografia, cultura, arte e gastronomia, tudo concentrado num lugar só. Ou seja: vale muito a visita! O espaço fica em Pinheiros.

DaHorta Na vibe da decor botânica, essa dica é ótima tanto pra quem quer comprar novidades para a própria casa quanto pra quem quer levar embora presentes criativas. Na DaHorta você encontra lembrancinhas, temperos, suculentas… Tudo lindo e em vasinhos fofos. O ateliê deles fica em Pinheiros, importante ficar atento aos horários de funcionamento!

PARA CURTIR A NOITE

Se engana quem pensa que São Paulo para pro Lollapalooza. São Paulo não para nunca, aliás, a cidade provavelmente fica ainda mais fervida no fim de semana do festival! Por isso a gente foi pedir dicas pro Ian Nunes, DJ da Catuaba: A FESTA, nessa difícil seleção de rolê!

Quinta da TorreA Torre é uma festa clássica de música eletrônica aqui em São Paulo, o line é bafo e o Thomas da VodooHop toca nessa edição”, Ian nos contou.

Macumbia “Uma festa latina bafo no teatro Mars, que é balada também, e vai receber Celso Piña, uma lenda das cumbias”, diz Ian. A boa de sexta! Link aqui.

Girls After do Lolla no Bar Secreto, com foco no L do LGBT, mas aberto a todos que quiserem pintar por lá (com respeito, claro), a festa rola no sábado madrugada adentro. Olha o link!

Mamba Negra Também no sábado rola “uma das melhores festas de Techno do momento”, a Mamba Negra, que vai até 14h de domingo!

Love2Hate Já no domingo o after fica por conta da galera do I Hate Flash, no ano passado esse rolê foi épico, então fique de olho e #procuresaber kkk.

O que muda para a Geração Y com a Reforma Previdenciária

A não ser que você tenha passado os últimos tempos em outro planeta e com zero acesso às informações de terras brasileiras, você sabe que andamos vivendo tempos polêmicos e politicamente dicotômicos e confusos, né? Muito disso se deve à proposta de reforma da previdência, trazida a nós pelo presidente Michel (Fora) Temer. Mas o que muda, de fato, com a reforma, especificamente para nós da Geração Y?

Sim, nós, os nascidos mais ou menos entre 1978 e 1990, no geral ainda jovens contribuintes, muitos dos quais nunca ou muito pouco contribuíram com o INSS porque estavam investindo em trabalhos alternativos, em sobreviver como freela, em viver das coisas que a natureza dá e afins… De que forma somos impactados, então? A gente sabe que esse papo é meio chato, mas vamo encarar a vida adulta e falar rapidinho sobre isso. Aliás, pra ser contra e ir às ruas em manifestação é importante entendermos minimamente do que estamos falando!

Agora vamos lá, o que vai acontecer se a reforma for aprovada?

A idade mínima de aposentadoria será de 65 anos para homens e mulheres.

Tempo mínimo de contribuição de 25 anos.

Para receber o valor integral do benefício, no entanto, o trabalhador precisará ter contribuído com o INSS durante 49 anos!

Atualmente não há idade mínima para se aposentar, sendo que mulheres podem solicitar o benefício com 30 anos de contribuição e homens com 35. Já o valor integral depende de um sistema de pontos aprovado em 2015, que deve somar 85 pontos para as mulheres (30 anos de contribuição + 55 anos de idade) e 95 pontos para os homens (35 anos de contribuição + 60 anos de idade). Os trabalhadores rurais também se dão mal: antes eles podiam se aposentar com 55 anos (mulheres) e 60 anos (homens), comprovando 15 anos de contribuição. Com a reforma, passam a dever 25 anos de contribuição e ambos têm que ter idade mínima de 65 anos.

Obs: para os militares nada muda. O Governo diz que as mudanças serão decididas depois da reforma, respeitando as “peculiaridades da carreira”.

A coisa tá resumida pra ficar mais clara, mas deu pra entender mais ou menos?

De acordo com o governo, essas mudanças são necessárias para equilibrar as contas da União, entendendo que temos uma sociedade em processo de envelhecimento, o que deixará a situação insustentável dentro de alguns anos. Acontece que as críticas são inúmeras e se pautam especialmente no fato de que essas regras não levam em consideração as peculiaridades do povo brasileiro em cada lugar… Enfim, o buraco é mais embaixo mesmo. Lembrando que todas essas mudanças valerão integralmente para mulheres com menos de 45 anos e homens com menos de 50 anos. Acima dessas idades a regra vai do que é conhecido como “pedágio” até os direitos integralmente garantidos como são hoje.

“Beleza campeão, e eu com isso?” Bem, se você é da Geração Y, isso significa que a mudança te afeta completamente. Assim sendo, se você nunca contribuiu com o INSS na vida, leve em consideração que você precisa contribuir no mínimo durante 25 anos para conseguir se aposentar aos 65, sendo que você precisa contribuir durante 49 anos para receber o benefício integral. Lembrando que o que vale é o tempo de contribuição e não o tempo de trabalho! Você contribui ou já contribuiu com a previdência? Tá na hora de começar a fazer essas contas.

É válido também levar em consideração o nosso comportamento como grupo. Somos notadamente uma panelinha de jovens que estão meio que cagando para a previdência, e isso tem pesquisa que diz. E com essa reforma, teremos que trabalhar bem mais CONTRIBUINDO com o INSS para termos uma aposentadoria razoável. A gente odeia pensar nisso, somos a geração do “viver o agora e depois eu me preocupo”, mas lá na frente as chances de você conseguir se organizar para ter uma velhice confortável são pequenas, hein!

E o que fazer? Que tal começar a pensar mais seriamente sobre o assunto? Comece lendo mais e se aprofundando no tema, que é cheio de poréns e detalhes e super ramificado. Depois, pense na sua situação pessoal como contribuinte, na sua idade, nos seus planos futuros, e busque entender a melhor saída. Lembrando também que existe a previdência privada como opção especialmente para aqueles que não trabalham no regime CLT, mas querem fazer seu pé de meia.

Aos 52 anos, o modelo veterano Jorge Gelati ainda causa comoção nas passarelas do SPFW

No Brasil especialmente para o desfile da Ellus, que comemora 45 anos nessa SPFW N43, o modelo veterano Jorge Gelati virou a pauta do momento depois de cruzar a passarela. Com 52 anos e de uma beleza escandalosa, Gelati roubou a cena e fechou a apresentação comemorativa da marca. Daqui ele já ia para Praga, onde seguiria trabalhando. O migo continua ativo no mercado e defende que a cena deve mesmo incluir pessoas mais velhas, que esse é um movimento de olhar para a realidade e até de reconhecer quem tem poder aquisitivo para comprar certas roupas.

Ze Takahashi/FOTOSITE

Ze Takahashi/FOTOSITE

Gelati, que virou modelo aos 24 anos e já esteve em campanhas para a Dolce & Gabbana fotografadas por Steven Meisel e anúncios de perfume para a Givenchy, hoje vive na Suécia com a mulher, o filho e a filha, que ele diz ter jeito para a passarela, mas ainda ser muito nova (ela tem 15 anos). Pois ter vindo ao Brasil depois de tanto tempo rendeu ao modelo não apenas calor em termos de temperatura, mas um calor humano daqueles kkk! Todo mundo queria uma palavra ou uma foto do cara. Apesar de não ter sido o único mais velho do desfile, Gelati é considerado um ícone brasileiro.

Esse movimento de valorizar pessoas de mais idade na moda vem acontecendo há um tempo, de maneira cada vez menos tímida. A Dolce e Gabbana adora colocar pessoas de todas as idades em suas campanhas, e recentemente, na Semana de Moda de Londres, modelos mais velhas desfilaram na passarela de Simone Rocha. A Céline já colocou Joan Didion como estrela de uma de suas campanhas e uma marca de Lingerie neo-zelandesa, a Lonely Lingerie, trouxe uma garota-propaganda de 56 anos!

Desfile Simone Rocha

Que assim seja!

13 homens brasileiros cheios de estilo para ficar de olho

A gente não precisa atravessar fronteiras para encontrar homens que transpiram estilo, elegância e personalidade na hora de se vestir. O Brasil está cheio de rapazes com esses atributos desfilando looks mega inspiradores, do tipo que vale ficar sempre de olho para salvar as referências que mais te agradam! Nesse espírito, a gente fez uma lista de caras brasileiros extremamente estilosos, para diferentes gostos e inclinações. Vejam só!

Chay Suede

O ator e cantor (confiram o EP dele, Aymoréco) capixaba é uma mega referência de estilo. Tem uma coisa jovem e ao mesmo tempo muito bem alinhada em suas escolhas, uma vibe folk trazida também pelas tattoos, os acessórios (anéis de André Lasmar!), o cabelo e a barba… Chay preza por ótimos caimentos e alfaiataria, camisas com estampas belíssimas, além de muita jaqueta, camisetas e calças de corte slim. Ele é, inclusive, queridinho da Burberry, o que é sinal claro de que o estilo de Chay merece nossa atenção!

Uma publicação compartilhada por chay (@chay) em

Uma publicação compartilhada por chay (@chay) em

Kadu Dantas

O grande nome do universo dos blogueiros de moda brasileiros, Kadu Dantas construiu um pequeno império baseado em sua figura e estilo. Ele adora alfaiataria (ternos e paletós de corte impecável estão na sua lista de favoritos), mas também explora outras linguagens fashion, de referência mais tropical e brasileira, como camisas estampadas de botão, peças de tecido leve e cores claras. Seu Insta é surra de looks e lifestyle, vale muito seguir!

Alexandre Won

Won é uma figura volta e meia lembrada por nós, por ser O CARA do bespoke no Brasil. Sua alfaiataria exclusiva, que demanda meses para a produção, vários encontros e um bom dinheiro pra começar o investimento tem clientes de peso na conta. Não é pra menos, Won faz costumes sob medida que são o tipo de compra que tem a sua cara e dura o resto da vida. Mas também vale ficar de olho no moço por seu estilo, uma mistura de elementos clássicos com outros de pegada mais moderna, tudo sempre perfeitamente cortado e de caimento impressionante. Não é pra menos, já que ele cresceu vendo a mãe produzir roupas sob medida e hoje em dia faz isso para viver.

João Vicente de Castro

Jovi é ator, apresentador e estiloso pra caramba, para aqueles que não sabem. Filho da estilista Gilda Midani, criou uma ligação com as roupas desde pequeno, convivendo com esse universo e se encontrando nele. A parada dele tem um ar meio rocker, jeans rasgado, ótimas camisas estampadas, t-shirts básicas ~podrinhas~ e ternos belíssimos de caimento mara. Sem falar nos acessórios: JV é o rei dos aneis e pulseiras!

Felipe Veloso

Ousado e cheio de personalidade, Felipe Veloso é figura obrigatória para se seguir. Stylist de figuras como Caetano Veloso, Felipe não tem medo de brincar, se divertir, se aventurar e usar a moda a seu favor e como expressão de sua personalidade e senso estético. Ele manda muito na mistura de estampas, cores, no uso do sportswear, nas meias altas e divertidas e em mostrar o corpitcho esculpido com muita corrida. Run, Felipe, run!

Seu Jorge

Dispensa apresentações, não é mesmo? Já uma lenda da música brasileira, Seu Jorge leva seu estilo muito a sério e traz consigo referências louváveis, como seu pai e a gafieira, onde aprendeu a dar valor ao código de vestimenta que pede cada lugar. Ele adora roupas clássicas, mas com elementos modernos, e curte marcas como Agnès B, Ozwald Boateng e Ricardo Almeida, além de também ter como inspiração o Walter Alfaiate, um sambista e alfaiate que, de acordo com Seu Jorge, fazia “uma coisa de pegada oldschool que caía super bem para o homem”. Entendido, né mores.

Emicida

Um dos mais respeitados rappers do cenário nacional e que anda se aventurando pelo mundo da moda com sua marca LAB, parceria com Fióti que estreou no SPFW levantando muito debate, Emicida tem uma relação com a moda que não é de hoje. Muito antes de ter sua marca, já desenhava roupas e fazia aulas de tricô com a mãe. Foi só uma questão de colocar suas referências pra fora em roupas idealizadas por ele, mas fica claro que o cara presta atenção no estilo próprio, explorando desde peças de pegada mais street, tudo a ver com seu universo musical, até alfaiataria com muitos ternos, coisa que ele adora.

Vinicius Rosa

Desconstruindo questões de gênero, o jovem artista Vinicius Rosa bota pra jogo um estilo com muita personalidade e que foge de regras, tabus ou convenções. Ele está mais interessado em misturar as referências que te atraem, sejam elas tidas como femininas ou masculinas, em busca de uma identidade própria, libertária. As roupas não falam sozinhas, mas se colocam no corpo, e é esse que carrega a informação. Vinicius é uma inspiração para todos nós que enxergamos na moda um mecanismo político, de libertação e de auto-expressão!

Russo Passapusso

Russo é vocalista da banda maravilhosa BaianaSystem, além de também ter um projeto bem legal como cantor solo. O cara, que é um frontman como poucos por aí, tem um estilo próprio bem claro. O mais certo é ver Russo portando um boné meio de lado na cabeça! Além disso, não lhe faltam camisetas e regatas, sneakers bem legais, chapéus e pulseira e colar de corrente como acessórios. Russo tem uma pegada urbana, tá ligado no que veste, mas sem exageros. É massa!

João Pedro Januário

Ex-jogador de basquete e hoje fotógrafo, João é um homão que curte produzir seus looks, apesar de preferir estar por trás das lentes. Sneakers, looks monocromáticos, bonés, camisas de botão e estampas mara fazem parte de seu repertório, além de outras escolhas mais ousadas, como bermudas e T-shirts oversized. Estilo e elegância de um jeito super fresh!

Daniel Ueda

Dani é um dos stylists mais respeitados do mundo da moda, com trabalhos visualmente impactantes e um currículo que merece reverência. Ou seja, sabe muito, o rapaz. Isso significa também que pesquisar sobre Ueda na internet é encontrar muitas imagens de seus trabalhos, mas nem tantas de seus looks. Acontece que, nesse caso, todo esforço é válido. Dani leva para seu dia a dia todo o seu conhecimento de moda, brincando com cores, mix de estampas, modelagens e texturas inusitadas. Se ele está fazendo, é porque merece nosso olhar!

Carlinhos Brown

Um dos músicos de visual mais icônico do nosso Brasilzão, Brown sempre se valeu da mistura de referências diversas ao longo de sua carreira na hora de escolher suas roupas. É claro que, no meio de tanta mistureba, as alusões à sua ancestralidade e ao universo afro logo pedem passagem. Turbantes, acessórios, pinturas corporais e os seus dreads marcantes sempre estiveram por ali, entre mix de cores e estampas, sobreposições coloridas e inesperadas, óculos escuros, chapéus… Brown já disse mais de uma vez que adora se vestir e faz isso para ele, para valorizar e traduzir quem ele é. Versátil do jeito que é, daqui a pouco aparece fomentando um novo concept de estilo!

Saulo

O cantor tem um estilo super pessoal e claro, com uma pegada relaxada, de vibe meio hippie, despojado, confortável. No seu guarda-roupa não faltam batas, caftãs, camisas e camisetas oversized, calças folgadas e também saias, que ele adora usar por se sentir mais à vontade durante as apresentações. Ah, outra coisa que chama a atenção no seu estilo são as estampas, as bermudas e as sandálias, e ele sempre investe em tecidos leves. Muito axé!