Moda Para Homens: o oversized chegou com tudo às calças — sim, a baggy ensaia um retorno

O oversized é um fenômeno e isso é inegável, vide o tanto que andamos falando e fomentando esse concept por aqui nos últimos tempos. A trend ganhou tanta força que dela vêm brotando novas apostas que fazem parte do oversized, mas carregam fôlego próprio. É o caso das calças extra-large! Sim, o baggy, fluido e folgadão voltou e as proporções enormes tomam novamente as passarelas, sendo desfiladas num sem fim de apresentações e aparecendo cada vez mais em editoriais. E aí, quem encara?

E.Tautz (Imaxtree)

AMI e Ann Demeulemeester (Fotosite)

A gente sabe que não é exatamente a coisa mais fácil do mundo de usar, ainda mais agora, que estamos completamente habituados ao skinny, ao slim fit e essas vertentes mais justinhas de caimento, mas tantas marcas apostaram no estilo largo nas últimas semanas de moda que as atenções já se voltam às calças do tipo de um jeito diferente. Comme des Garçons, Ermenegildo Zegna, Lanvin, Louis Vuitton, Giorgio Armani e Marni foram apenas algumas das marcas que trouxeram a referência para as passarelas. Grandes nomes para grandes silhuetas (hehehe).

Comme des Garçons e Giorgio Armani (Fotosite)

Junya Watanabe e Lanvin (Fotosite)

A diversidade já se mostra dentro da tendência. Foi possível ver muita alfaiataria, mas também calças de pegada mais esportiva, moletons, outras com cara de skatista, estampas xadrez, veludo molhado, jeans, algumas mais estruturadas, outras mais descomplicadas, mas sempre exageradas, com o gancho baixo e ainda pernas enormes, a barra sobra mesmo. Nas passarelas, a proposta veio de se jogar de cabeça no oversized. Tudo é descomedido: a calça, o blazer, a camisa, a jaqueta… Fica a dúvida de como isso vai se adaptar para as ruas e para a vida, se de um jeito mais literal ou de outro, mais prático e tímido.

Louis Vuitton (Fotosite)

Ermenegildo Zegna (Fotosite)

Uma coisa é certa! Não é porque a calça é grandona que o corte não importa, pelo contrário: quanto mais impecável o corte, mais legal o caimento, o movimento da peça no seu corpo e a conversa entre ela e as outras peças que acompanharem o look. E não precisa queimar as suas calças skinny, tá? É só a moda fazendo o que ela faz de melhor, rodopiando em torno de si mesma, pegando novos caminhos com velhas botas, mas os caimentos slim seguem dando o nome (especialmente na hora de vestir um costume), e no fim das contas o que importa mesmo é vestirmos o que amamos e nos traduz, por mais louco ou óbvio que seja.

Marni e Palm Angels (Fotosite)

Trend pra ficar ligado, hein? O que vocês acham? Usariam?

Comments