Manual do guarda-roupa sustentável: 6 dicas para colocar essa ideia em prática

É muito bom pensar que temos debatido cada vez mais sobre uma moda mais ética, sobre um consumo mais consciente, sobre maneiras de criar roupas e consumí-las que tenham cada vez menos impacto tanto no meio ambiente quanto na cadeia de produção (tanto em termos de material quanto em termos de serviço). Acontece que às vezes nos deixamos levar pela conversa, que é rica e cheia de ramificações, e as maneiras que transformar tantas ideias em ações ficam meio perdidas. Por isso achamos muito válida essa listinha que traz para a realidade e traduz pra gente, de um jeito palpável, como montar um guarda-roupa ético. Se cada um fizer um pouquinho, o resultado vai ser enorme!

Apoie marcas éticas

Você já parou para se perguntar de onde vem a roupa produzida pela sua marca favorita? Quem são seus fornecedores, de que forma a cadeia de produção se constrói; será que os preços pagos pela mão de obra e pelos materiais são justos? Casos de trabalho escravo nos bastidores da moda, especialmente em lojas de fast fashion, pipocam. Mas não só: de que forma essa marca lida com os materiais que utiliza? Se são sustentáveis, se existe alguma preocupação nesse sentido e qual é, como funciona o descarte… Parece muita coisa, mas se a marca tiver esse foco ela vai fazer questão de deixar isso claro para o consumidor. Que tal pesquisar marcas pequenas, que priorizam as relações com fornecedores e a mão de obra local, que não usam qualquer material, ainda que cobrem um pouco mais caro por isso?! Sim, vale a pena e é uma opção que, claro, complementa as outras boas atitudes dessa listinha.

Compre menos e escolha melhor

Na hora de comprar, se questione honestamente: eu amo essa peça 100%? Eu vou usar isso de verdade? Estou comprando por uma moda passageira ou porque essa brusinha realmente tem a minha cara e fará parte da minha rotina fashion? Três perguntinhas que podem fazer muita diferença no tipo de roupa que você investe e que podem transformar o seu jeito de consumir moda. Já ouviu falar de lowsumerism? Então: o conceito é comprar menos, fugindo da banalização do ato e buscando significado no que se compra. Repense, encontre seu equilíbrio.

Compre roupas vintage ou de segunda mão

A razão é clara. No mundo a gente produz uma quantidade quase pornográfica de roupas, e muita roupa antiga é jogada fora, ainda que em perfeito estado. Vale se enveredar pelos caminhos dos brechós, das lojas online de roupas usadas, do bazar do seu amigo. Acredite: tem muita coisa legal, ótima, num estado muito bom e por preços camaradas nesses locais.

Transforme roupas velhas

Temos falado bastante de upcycling ultimamente, inclusive está rolando uma série de vídeos sobre o assunto no canal do youtube com várias dicas de DIY para roupas. Antes de decidir se desfazer daquele jeans velho, daquela camiseta um pouco gasta, da jaqueta que você já não usa, que tal transfomar a aparência dessas peças para que elas ganhem vida nova no seu closet? Produzir menos lixo e ter atenção ao que se descarta do guarda-roupa também é um jeito de ser mais sustentável em termos fashion.

Compre roupas duráveis e de qualidade

Quanto mais tempo a peça durar, menos você terá que voltar ao shopping para comprar algo novo. Ao invés de comprar três camisas brancas por ano porque as suas vão se acabando com o uso, que tal investir numa ótima camisa, de muita qualidade que (com o cuidado apropriado) vai durar sua vida inteira? É pensando assim e com esse tipo de estratégia que vamos transformando o nosso jeito de consumir. Às vezes não temos a bufunfa para investir numa peça tão boa ali, naquele momento, mas aliando várias práticas desse post, com o tempo com certeza vai sobrar uma graninha para dar numa peça que realmente valha, do tipo que você ama, usa muito e precisa de verdade.

Cuide bem das roupas que você já tem

Muitas vezes as roupas nas quais investimos são tão baratas em termos financeiros e de qualidade que nós não nos preocupamos em cuidar delas. Outras vezes nós somos descuidados com as coisas que temos e não dedicamos a atenção necessária às roupas que compramos. Seja uma coisa ou outra; que tal realmente se manter atento à maneira que você cuida de suas peças? Aquela lidinha na etiqueta antes de lavar e passar, aquele guardanapo bem colocado na hora de comer uma massa, a atenção com o vinho e a roupa branca, lembrar de tirar manchas antes que fique impossível, guardar as peças mais especiais bem protegidas… Pode soar meio frescurento, mas é um jeito bem especial de economizar, manter um armário legal e até juntar aquela graninha para investir em peças melhores.

Comments