Diário de Viagem: Buenos Aires

Eu adoro Buenos Aires. Amo. Buenos Aires está a menos de 3 horas de avião de São Paulo [mais perto que ir a Recife], e muitas vezes, tem a passagem aérea bem mais em conta, por haver tanta oferta. Aí você soma ao fato de ser um lugar tremendamente cosmopolita, cheio de gente linda e simpática, preços bons para os brasileiros, e também por eu ter um braço da família por lá. Vou quase todos os anos, alguns deles até mais de uma vez. Esta foi a oitava!

Buenos está sim, mais decadente do que em 1998, quando a conheci pela primeira vez. Cristina Kirchner é mesmo uma louca e adota uma política econômica de naufrágio completo. O poder vicia mesmo, e ela ludibria os argentinos como uma mestre. Apesar de achar que os seus dias estão contados, o buraco é grande e a inflação bem alta. Pra quem ganha em peso tá bem difícil. Desejo sorte aos hermanos.

Pra vocês terem uma ideia – no câmbio oficial, R$ 1 vale 2.5 pesos. Isto é, se você troca no Banco, ou em uma casa de câmbio. No câmbio paralelo/negro, R$ 1 vale 4 pesos. Os turistas desinformados voltam esbravejando com os altos preços da cidade, porque trocam a moeda no valor Kirchner e pagam o dobro sobre o valor que já está bem inflacionado. Os mais espertos podem desfrutar de uma Buenos Aires cheia de restaurantes incríveis a um preço mais acessível de que o Brasil Pré-Copa.

Você pode pagar qualquer coisa com reais, pesos, dólares ou euros. Os argentinos vivem apavorados com as notas falsas e não confiam na sua própria moeda. Entretanto, durante o período áureo [até 2000], construiram zilhões de parques lindos para os portenhos e não roubaram todo o dinheiro como se faz aqui.

Mesmo com toda a crise, Buenos ainda humilha qualquer cidade do Brasil. Decadance avec elegance. Menos o Rio, porque enfim, vocês sabem. ♥ Daqui a pouco posto um pequeno guia de passeios imperdíveis. Enquanto isso, algumas fotos da viagem.              

                                   

Comments