Category: Sem categoria

5 Apps e 1 livro para impulsionar a sua criatividade

Em tempos de hiperconectividade e infinitas ferramentas a um toque de distância, todo e qualquer momento pode ser propício para criar, registrar, pesquisar e se inspirar até mesmo nas coisas mais específicas por você desejadas. Porque não ter diretamente no seu celular algumas ferramentas que te ajudem nesse às vezes ingrato processo criativo? Seja você uma pessoa que trabalha com o tema, seja você um grande admirador das habilidades criativas alheias em busca de aperfeiçoar esse traço da sua personalidade, aqui está uma listinha de apps (e um livro, é claro!) que certamente te trarão umas boas ideias.

FLIPBOARD Não existe criativo desinformado, uma vez que a criatividade precisa ser alimentada e o jeito de fazer isso é lendo, pesquisando e mantendo os olhos e ouvidos bem abertos para o que se passa no mundo. É aqui que pode entrar um bom app como o Flipboard, que funciona como uma revista virtual. O bom é que você pode fazer sua própria curadoria, apontando os temas de seu interesse, de notícias do dia a dia até, é claro, assuntos artísticos. Pega em todas as plataformas e é gratuito.

EVERNOTE A gente nunca sabe quando a inspiração vai bater. Pode ser no meio de uma festa às 3 da manhã, pode ser enquanto tomamos o nosso café matinal, pode ser no meio de uma reunião de negócios. Nem sempre contamos com papel e caneta por perto e nem sempre temos tempo para fazer uma anotação elaborada, então é ótimo ter um app que nos permita fazer anotações de forma organizada e com praticidade. O Evernote é muito útil nesse sentido. Ele cataloga seus dados de maneira eficiente, guarda conteúdos externos e o melhor, funciona offline, passando suas atualizações para a nuvem assim que uma conexão é estabelecida. Para todos os sistemas operacionais e gratuito.

BEHANCE Você, que talvez já conheça o Behance site, saiba que vale muito a pena tê-lo em aplicativo. Precisa de internet pra funcionar, claro, mas é uma verdadeira toca de inspirações diversas, com uma galeria cheinha de trabalhos incríveis e muito profissas. Outro que pega em todas as plataformas e é gratuito.

ARTSY Conhecido como a “caixa de pandora da arte”, esse aplicativo é um verdadeiro must have para os amantes de arte e os criativos em geral em busca de inspiração e repertório. Explore imagens, coleções e grupos artísticos, pesquisando pelo nome do artista ou por palavras-chave (ou seja, a melhor forma de descobrir artistas novos bem ao seu gosto). Para IOS e de graça.

Geo Street Art Para um criativo nada se iguala a sensação de estar caminhando por um trajeto muitas vezes comum e descobrir uma nova arte de rua ou mesmo aquela arte que já estava ali, mas nunca havíamos reparado antes. Pois este aplicativo te ajuda na deliciosa tarefa de encontrar verdadeiras riquezas da arte de rua com uma curadoria de mapas de arte, de forma que você pode desvendar os tesouros escondidos da sua cidade a qualquer hora, em qualquer lugar. Que tal dar uma voltinha no seu horário de almoço? Pena que não é de graça, custa $ 2.99, mas vale a pena.

Roube Como um Artista Esse livro, do designer e escritor Austin Kleon, figurou na lista de mais vendidos do The New York Times e também no ranking de 2012 da Amazon. Pois ele segue uma boa pedida para quem tá em busca de aprimorar suas técnicas criativas. É bem humorado, leve, gostoso de ler e quer te convencer de que a autenticidade é a melhor ferramenta que se pode ter no caminho para a criatividade. Se joga!

Gostou das dicas? Conhece outros apps perfeitos pra quem quer dar um boost na criatividade? Conta pra gente nos comentários!

Beleza: a pele natural finalmente ganha seu lugar ao sol, especialmente se tiver sardas

Muitos de nós sofremos durante a adolescência e grande parte da nossa vida adulta com as marquinhas naturais da pele do rosto. Linhas de expressão, sinais e sardas eram encobertos por camadas generosas de maquiagem, tudo em busca da utópica “pele perfeita”, num movimento super alimentado pela indústria de cosméticos (e claro, com as mulheres esse efeito sempre foi mais forte). Para a alegria de geral, um novo olhar sobre a beleza se revela mais brando, mais generoso, e pipocam editoriais, fotógrafos e maquiadores que fogem da estética over, valorizando as histórias que cada rosto conta. Tem sardas? Melhor ainda!

fuck yeah freckles @estudiobingo 💕

Uma foto publicada por Caio Braz (@caiobraz) em

A reviravolta nos permite relaxar e aproveitar uma pele fresh, o que é perfeito para o verão que nos aguarda, além de nos livrar da imposição boba de uma pele que não existe. Nada contra a maquiagem ou procedimentos estéticos; make é divertido e cuidar da pele nunca é demais, mas pra quem se via meio perdido entre não querer se produzir muito e não querer sair de cara lavada, esse é o momento de aproveitar a suavidade e o frescor do meio termo, do “quase nada”. Os modelos cheios de sinais que antes tinham que passar por uma boa horinha de make agora são os primeiros nos castings da vida. Aquela coisa “I woke up like this” que realça sem forçação de barra é o que liga.

Há algum tempo, a cantora americana Alicia Keys soltou uma carta-manifesto na qual dizia estar cansada da pressão sofrida por mulheres em todo mundo e avisava: “Não quero me cobrir mais. Nem meu rosto, nem minha mente, nem minha alma, nem meus pensamentos, nem meus sonhos, nem meus esforços, nem meu crescimento emocional. Nada”. Ela posou de cara lavada e cheia de sardinhas para a revista Fault e desde então tem aparecido constantemente sem make nenhuma.

É nesse lugar que surge a valorização da naturalidade da pele, especialmente se ela tiver sardas. É engraçado, pois se antes as pessoas com sardas não queriam tê-las, agora são as pessoas sem sardas que vêm sendo maquiadas para ter os tais pontinhos. A Renata Brasil, que é maquiadora, falou um pouco com a gente desse rolê: “É a tendência da naturalidade da pele, linda e natural como ela tem que ser. É maravilhoso!”, disse ela, que tem trabalhado bastante com fotógrafos em busca de modelos sardentos para campanhas. De fato, as sardas têm um apelo estético forte, ficam muito bonitas nas imagens, além de serem lindas e charmosas ao vivo.

Renata nos apresentou o trabalho do fotógrafo Brock Elbank, ele recentemente finalizou o projeto #freckles no seu Instagram e vale muito dar uma boa passeada pelos seus cliques. São retratos crus e muito bonitos de gente de todo tipo ostentando sua beleza natural e seus sinais.

Uma foto publicada por Brock Elbank (@mrelbank) em

Uma foto publicada por Brock Elbank (@mrelbank) em

Sempre bom quando as tendências dão um respiro na “cagação de regra” e propõem um novo olhar, né? Beleza natural é lindo, tenha você sardas ou não, e é um belo de um alívio ver peles “de verdade” estampadas por aí.

Decoração: das plantas às molduras, a onda botânica tomou conta dos nossos lares

Para energizar um ambiente, trazer cor, calma, frescor e um pedacinho da natureza para dentro de casa, nada melhor do que investir em plantinhas que complementam a decoração do lar, mas não só! A onda botânica que tomou conta do universo da decoração engloba desde as plantas em si até a forma de exibi-las, além de quadros, pinturas, tecidos e muitas outras opções com motivos botânicos e muito charme. Não se preocupe, apesar de estar na moda, esse estilo de decoração se ramifica em tantas possibilidades que você pode encontrar o seu jeitinho particular de adotá-lo, bem de acordo com a sua personalidade.

Antes de mais nada, as plantas em si. Quem não se sente instantaneamente melhor ao adentrar um recinto que tenha sua cota de verde? As plantas trazem um aconchego e uma tranquilidade quase inexplicáveis, e ao mesmo tempo tão fáceis de alcançar. Se você é novo nesse ramo, vale muito investir em cactos e suculentas, por exemplo, que só necessitam de água de 15 em 15 dias no sol e aguentam até um mês sem água dentro de casa, ou seja, praticidade e graça no mesmo pacote (quem não gosta?). Você pode optar por vários cactos pequenos em potinhos espalhados por superfícies até cactos grandes em vasos bonitos no chão de casa, os resultados são todos impactantes e atrativos na medida.

Outras plantas que adoramos ter em casa são as samambaias, um clássico brasileiro com cara de casa da mãe e de infância. Volumosas, elas podem ser penduradas no teto (fica belíssimo) ou mantidas no chão e atraem rapidinho os olhares de quem chega! As opções são infinitas, na real. Orquídeas (que dão um mega trabalho, mas podem durar anos florindo o seu apê), comigo-ninguém-pode, árvore-da-felicidade, espada-de-são-jorge… São tantas possibilidades! Vale muito ir à loja de plantas mais próxima e conversar com alguém especializado para descobrir qual espécie combina mais com os seus gostos e o seu estilo de vida.

Escolher as maneiras de expor suas novas plantas também é um prazer à parte. A quantidade de ideias que pipocam na sua tela ao pesquisar tutoriais DIY no Pinterest é quase obscena! É possível apoiar seus vasos em banquinhos de tamanhos variados, manter as plantas de chão em cestos de corda, coisa que é super brasileira e tropical, fazer um jardim vertical (ótima ideia para os que não possuem muito espaço dentro de casa!), inclusive com kokedamas, que são umas bolas de solo cobertas com musgo e penduradas por cordas (acredite, é fácil de fazer sozinho!) e até mesmo aplicar prateleiras a uma escada de madeira e ostentar ali as suas verdinhas do peito.

E olha que ótimo, além de montar a sua mini-floresta, também rola decorar a casa com diferentes móveis e objetos de temática botânica. Uma coisa que está muito em alta é emoldurar imagens de livros antigos de botânica ou mesmo desenhos de artistas (hoje em dia tem cada vez mais gente fazendo coisas do tipo) e colocar na sua parede (ou apoiar na parede e deixar no chão, outra trend de decor que a gente curte). De aquarelas e desenhos científicos passando por simples traços em nanquim, vale tudo. Se quiser investir em algo mais inusitado, você pode emoldurar folhas de verdade, fica bem bonito e inesperado. Busque livros antigos em sebos na sua cidade, mas, se preferir, a coisa mais fácil é encontrar os desenhos de plantas em alta resolução na internê. É só imprimir e colocar no quadro — boa escolha pra quem tem pressa.

O toque de biologia antiguinha traz vivacidade para a casa e enfeita sem encher de informação, sabe? Inclusive, boa pedida pra quem está numa fase meio escandinava dos cômodos da casa. Agora, se você gosta e quer mais é investir numa injeção de cor, se jogue num belo papel de parede, num tecido vibrante para sua poltrona ou sofá ou mesmo num tapete ou almofadas estampadas. Pois é, parece que a febre da botânica não tem limites! A gente ama, e você?

Dica esperta: se jogue no Pinterest e no Google pra achar milhares de tutoriais e investir um tempo de qualidade em decorar o seu cafofo com um pouquinho de dedicação e economizando!

Artistas e marcas: guia em 6 passos para melhorar sua presença digital

Andamos todos extremamente conectados nos dias de hoje. Faz parte de quem nos tornamos, de como nos relacionamos, de como escolhemos nos colocar no mundo. E as mídias sociais entram nesse combo não só como espaços de relacionamento e compartilhamento do que andamos aprontando por aí, mas também como plataforma pesada de negócios! Especialmente se você é um artista ou cuida de uma marca, estar em dia com as suas redes é crucial e pode fazer toda a diferença.

Aqui, um guia em 6 passos para você melhorar a sua presença digital!

1. MANTENHA A CONSISTÊNCIA DE SUAS POSTAGENS Páginas e perfis que passam longos períodos sem postagens tendem a perder muitos seguidores, isso quando existem seguidores a perder. Por outro lado, páginas com um histórico consistente de postagens estão relacionadas ao aumento de seguidores. Para isso dar certo, vale muito a pena construir uma agenda semanal de postagens. Com a ajuda de ferramentas como o Hootsuite, você pode organizar o conteúdo que pretende compartilhar e agendar as publicações futuras.

2. ALIÁS, BAIXE O HOOTSUITE Ou o programa de gerenciamento de redes de sua preferência. Pra quem tem muitos perfis em diferentes plataformas e precisa manter todos esses espaços em dia, o melhor jeito de não se perder é concentrar as informações de redes num só lugar. Além disso, esse tipo de serviço ainda te permite analisar sua performance com ferramentas de monitoramento, o que é bem importante para quem faz da redes sociais uma vitrine para seu negócio ou sua arte.

3. REPARE NA LINGUAGEM DE CADA REDE SOCIAL Cada rede exige linguagem e estilo próprio de postagens. Você não vai usar no Facebook a comunicação enxuta que exige o Twitter, nem vai escrever na legenda do Instagram um texto que poderia muito bem estar na página de um blog. Adeque seu conteúdo às necessidades de cada plataforma!

4. NÃO FALE SOZINHO As redes sociais não deveriam ser espaços onde você vive somente de reafirmar sua imagem e seus discursos para si próprio, mas espaços, como diz o nome, de socialização. Isso significa que é muito importante estabelecer diálogos com seus seguidores! Claro, com o tempo e a quantidade de seguidores que você acumular, vai ficando difícil responder a todos, mas sempre tente trocar uma ideia com quem te curte, segue suas páginas e admira o que você faz.

5. DEDIQUE-SE A PRODUZIR CONTEÚDO DE QUALIDADE Na internet a superficialidade ainda vende muito e fotos bonitas, com cara de “Pinterest” e legendas inspiracionais podem ser suficientes para te transformar num “digital influencer”. Não se deixe levar por essa pegadinha. Com o tempo, as pessoas vão querer mais: o que você defende como artista? Qual é a sua missão enquanto marca? Seu conteúdo tem que ser interessante e valioso para quem te segue, além de te representar. Também não adianta nada só postar propagandas de si mesmo, os conteúdos que você produz devem conter verdade! Experimente compartilhar fotos de bastidores, de processos criativos etc., e traga seus seguidores para mais perto de sua realidade!

6. SE CONECTE COM QUEM FAZ PARTE DA SUA INDÚSTRIA Seja você músico, pintor, performer, cartunista… Uma marca de acessórios, moda, decoração… Enfim, conecte-se com o seu universo online! Faça retweets de gente influente da sua área, compartilhe gente que você admira, comente em postagens, estabeleça relações com artistas, marcas, jornalistas. A possibilidade de acessar essas pessoas é um dos grandes privilégios do mundo online. Não seja um pé no saco, saiba maneirar, mas não deixe de se fazer presente!

Dia das Crianças: 10 livros (e uma coleção) maravilhosos para dar de presente no dia 12

O Dia das Crianças bate na porta. Bora investir num presente realmente bacana ao invés de comprar tranqueira de plástico que vai ser esquecida em alguns meses? Incentivar o prazer da leitura desde a infância é uma das melhores maneiras de criar um adulto conectado, apaixonado por leitura, ligado no mundo! Sem falar que livro é aquela coisa: se você não guarda pra sempre por ter muito afeto, pode doar, passar adiante ou manter na família, compartilhando de geração em geração. Um presentaço que custa pouco, na verdade, e vale muito!

Ou Isto ou Aquilo – Cecília Meireles

Um clássico que habita a memória afetiva de muitos leitores brasileiros, o livro foi publicado pela primeira vez em 1964 e traz uma coleção de cantigas de ninar, de roda, trava línguas e poesias. Ele é leve, bonito, traz histórias de personagens ternos e explora a natureza, podendo ser apreciado por todas as idades. É de uma sensibilidade ímpar, um presente pra ser guardado e passado adiante na família!

Mary Poppins – P. L. Travers

Uma das histórias infantis mais amadas por crianças (e adultos!) em todo o mundo, Mary Poppins conta a história de uma babá mágica que chega de surpresa para cuidar das crianças Banks e, todos os dias, lhes mostra um novo jeito de ver o mundo e suas próprias vidas. A edição ilustrada por Ronaldo Fraga é coisa linda!

Fábulas de La Fontaine

La Fontaine escreveu uma série de fábulas bastante conhecidas, como “A Cigarra e a Formiga” e “O Lobo e o Cordeiro”. As fábulas são escritas em versos e cada uma traz uma mensagem ou ensinamento bacana para ser compartilhado com as crianças. Existem belas edições por aí, de coleções a livros únicos de capa dura e fábulas selecionadas.

Contos de Grimm – Irmãos Grimm

Uma leitura quase que obrigatória, que traz alguns dos mais famosos contos de fadas da história! Branca de Neve, Rapunzel, Chapeuzinho Vermelho, Cinderela… Está tudo lá, numa compilação feita no início do século XIX (!!!).

A Arca de Noé – Vinicius de Moraes

Esses poemas muito lindos foram escritos por Vinicius para seus filhos, Suzana e Pedro, e só viraram livro anos depois, em 1970, quando a primeira edição foi lançada lá na Itália. Logo Vinicius conheceu Toquinho e os poemas viraram algumas das canções. O livro é a porta de entrada perfeita para o mundo dos poemas e da MPB, inclusive vale a pena presentear com livro e disco. Muito amor! “Era uma casa muito engraçada…”.

Frida Kahlo: Para Meninas e Meninos – Nadia Fink

Um ótimo livro para já ir quebrando com os estereótipos de princesas e mulheres frágeis que tanto vemos nas histórias infantis! O livro nos apresenta Frida: essa artista cheia de força que enfrentou as dores de sua existência pintando, amando, lutando, sem esconder o corpo ou a personalidade forte. O livro faz parte da coleção “Antiprincesas”, que busca exatamente quebrar os estereótipos femininos no universo infantil (e pode servir para vários adultos por aí, né mores).

Malala: A Menina Que Queria Ir Para a Escola – Adriana Carranca

Esse é o primeiro livro-reportagem destinado ao público infantil! Legal, né? Ele traz a história da Malala (a maioria de nós já conhece) numa linguagem acessível às crianças e conta como essa adolescente paquistanesa foi baleada pelo Talibã aos 14 anos por defender a educação feminina. O livro é inspirador, tem boas doses de história e vale muito o investimento inclusive para que as crianças descubram realidades e vivências muito diferentes das que estão acostumadas.

Raul da Ferrugem Azul – Ana Maria Machado

Só a autora desse livro já seria motivo suficiente para escolhê-lo, mas Raul da Ferrugem Azul surpreende por sua profundidade, seus questionamentos e esse personagem que, tão novinho, já segue um caminho de autoconhecimento e ensina tanta coisa para quem o lê (crianças e adultos!). É um livro infantil que ensina a se descobrir! Quando Raul começa a se perguntar que manchas azuis são essas que aparecem no seu corpo e ninguém mais parece ver, ele conclui: “estou com ferrugem azul”! Sua busca por respostas carrega o leitor para uma sensível e envolvente narrativa.

O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá – Jorge Amado

Uma história de amor impossível entre o gato e a andorinha, cheia de metáforas sobre preconceito e estereótipos e recheada com ilustrações de Carybé. Obra de arte.

O Peixinho do Arco-Íris – Marcus Pfister

Por aqui, muitas memórias afetivas de infância com essa história linda de um peixinho com escamas brilhantes e coloridas que sai por aí fazendo amigos ao compartilhar com eles essas que são suas maiores riquezas! O livro é best-seller e já foi traduzido para mais de trinta línguas!

Coleção Crianças Famosas

Essa coleção traz, a cada livro, a história de uma grande personalidade desde sua infância em diferentes áreas, como arte, escrita e música. Tem Beethoven, Bach, Michelangelo, Aleijadinho, Chiquinha Gonzaga, Jorge Amado, Picasso. Perfeitos para incentivar os sonhos e a descoberta das vocações nos pequenos.

10 verdades sobre Cuba que ninguém te falou antes de viajar

É muito quente!

Em Havana faz 35 graus na sombra e a gente sua o dia inteiro. Na hora de arrumar a mala, não faz a menor falta trazer nenhuma calça além da que você vai usar no avião. Todos estão sempre de bermuda e camiseta, e as mulheres de vestido ou roupas leves. Traga muitas opções frescas e se prepare para estar suado o dia inteiro. Chapeu ajuda bastante a vencer a batalha contra o calor, e claro, protetor solar.

A comida não é deliciosa

De uma maneira geral, a gastronomia cubana não brilha. O comunismo cria uma escassez de alimentos à qual os cubanos já estão bem acostumados, e pode estranhar aos estrangeiros. Salada fresca, por exemplo é quase uma iguaria: estou aqui há 10 dias e ainda não comi uma folha de alface. Por outro lado, lagostas e camarões tem bom preço. Não deixe de experimentar ropa vieja, um picadinho de carne típico cubano e traga do Brasil itens como chocolate, chiclete, barras de cereais, esses lanchinhos do dia-a-dia, porque falta até mesmo água nas lojas de conveniência.

Não é barata

A falsa impressão de que um país comunista é um destino barato se revela em Cuba. Aqui há duas moedas, o peso cubano, que você praticamente não vai ver, e o peso convertible (CUC), moeda dos turistas, que está atrelada ao euro. Apesar das contas em um restaurante dificilmente ultrapassarem 15 CUCs, são 15 euros, ou seja, quase 60 reais. Não é exatamente fácil para um budget de mochileiro.

A photo posted by Victor Ronccally (@roncca) on

- Havana Vieja parece Badgá ou a Síria

O cenário de Havana Vieja pode assustar a princípio: há destruição em todas as esquinas, prédios que seriam condenados à demolição no Brasil, com muitas rachaduras. As ruas à noite não tem iluminação nenhuma – apesar de tudo, dizem que é um país super seguro, mas dá medo de ficar na rua, principalmente com câmeras e coisas de valor. Pode ser apenas a falsa impressão de um brasileiro que acha que no escuro pode dar uma merda a qualquer segundo, mas é sempre bom se prevenir.

Tente não precisar de ajuda de verdade

É uma verdade péssima, porque o mais interessante de uma viagem pode ser a troca com as pessoas locais, mas em Cuba principalmente, não existe almoço grátis. Um pedido de informação abre a porta para um pequeno golpe, e tem gente que faz a vida dando golpes nos turistas, os chamados jiñeteros. Use a ‘brasilidade’ e o sexto sentido para evitar cair em roubadas: não aceite ofertas de hospedagem na rua, passeios, charutos, rum, ou qualquer coisa.

Não há sinalização boa nas estradas

Nos perdemos na saída de Havana para o leste do país e um rapaz se ofereceu para ajudar: com papo ótimo, falava sobre futebol, boxe, DIlma, Brasil, música, e tudo o mais. No final, tentou nos extorquir e cobrar uma fortuna pela informação e criou um climão na nossa viagem, quase chamamos a polícia para resolver. Ao invés de pedir informação no meio da estrada, tente em postos de gasolina ou com policiais.

É extremamente machista

Os homens mal podem ver uma mulher gostosa que se transformam em um animais, com piadas de péssimo gosto, assovios, insinuiações super constrangedoras. Cheguei a ver uma conversa onde estava conversando com um homem e uma mulher juntos, e ele disse a outra mulher: “quando dois homens estão se falando, uma mulher se cala”, e ela consentiu. Climão. Não quero dizer que uma mulher precise de um homem a seu lado para vir a Cuba, mas se prepare para uma cultura bastante misógina.

A photo posted by Caio Braz (@caiobraz) on

Turismo Sexual

Homens a todo o tempo conversam putaria e querem te agenciar com mulheres cubanas. Eles são insistentes, e mesmo quando você resiste, eles te falam que você não precisa pagar nada, além de ‘la fiesta’, ou seja, hoteis, bebidas, etc. Socorro! Eu sendo gay já tenho a cara de paisagem bem treinada pra essas situações, mas nunca tive que usar tanto na minha vida.

Traga presentes

Eu tenho certeza que você tem um montão de coisas em casa que não usa mais. Camisas, sapatos, cremes, cintos. É muito gentil presentear os cubanos com produtos que eles não tem acesso fácil, como roupas, perfumes e coisas super corriqueiras para nós. A situação dos cubanos não é nada fácil, imagine-se vivendo com um salário de R$ 200 por mês? Não custa nada a você, e um sorriso e presentes podem abrir as portas para conhecê-los melhor.

Tem que relaxar!

Como você vai precisar o tempo inteiro se livrar de pequenas roubadas, a boa é relaxar e não tentar ser aquela pessoa que vai ‘se dar bem’ (aliás, essa é uma dica pra vida inteira né, risos) e passar horas negociando centavo por centavo. Conheça bem seu budget e saiba até onde o seu bolso aguenta ceder e o quanto está disposto a perder dinheiro pelo conforto de desfrutar a viagem, mesmo sabendo que estão tirando uma vantagem sua porque você é turista. O turismo em Cuba funciona assim mesmo, é um motor muito forte da economia, e muitas famílias dependem disso.