Category: Sem categoria

Saiba mais sobre os micro-influencers, a nova turma influenciadora da internet

Esqueça aquela história de influenciadores com muitos milhares ou mesmo milhões de seguidores nas redes sociais. Não que essa classe vá deixar de existir, pelo contrário, mas surge um novo nicho de influência online, muito mais específico: é o micro-influencer.

Com bem menos seguidores que as celebridades e os grandes influenciadores (algo entre mil e 10 mil), o micro-influencer é um especialista em pequenas coisas, um defensor de pequenas causas, alguém reconhecido por algo numa turma particular que o segue por dar muito crédito ao que ele diz, faz ou produz. Ele saca de temas pontuais, está bem mais próximo de seus seguidores e tem maior facilidade de comunicação com essas pessoas, formando um grupo onde o diálogo é real e consistente. Por isso mesmo, ele é o novo foco da propaganda online!

Isso porque, imagine você, vários micro-influencers envolvidos na estratégia de marketing de alguma coisa pontual acabam formando uma enorme rede em audiência. Além disso, pesquisas já demonstram que esses influenciadores menores têm capacidade de engajamento de seu público consideravelmente superior aos influenciadores com mais de 100 mil seguidores. Seus seguidores refletem muito mais sobre a possibilidade de fazer algo ou de, ao menos, debater sobre esse algo apontado pelo micro-influencer, do que os seguidores de gente muito famosa na internet.

Beleza, mas a questão aqui não é só marketing, né?! Por quê isso vem acontecendo? A verdade é que os mega-ultra-ninja-influenciadores (kkk) acabaram, ao mesmo tempo que alcançando números exorbitantes, perdendo qualidade em termos de conteúdo, ou mesmo nunca tiveram preocupação com esse tipo de coisa. Para conteúdos superficiais, um interesse superficial. Muitos dos seguidores de pessoas assim acabam, eventualmente, se cansando daquela persona, duvidando de suas dicas, não se sentindo mais envolvidos ou contemplados por suas postagens. Até que ponto aquela dica é verdadeira, aquela pessoa é real, esse universo que é apresentado me acrescenta?

Em 2017 esse “segmento” do universo online deve ficar mais claro tanto para seguidores quanto para influenciadores e marcas, mas com certeza você já segue, confia e gosta de alguns micro-influencers, dê uma olhada na sua lista do Instagram!

Aliás, aqui vai uma seleção com alguns exemplos atuais de micro-influencers, essa galera que forma opinião dentro de seus nichos e mundos, pra você sacar melhor do que estamos falando!

@RONCCA

Com quase 4 mil seguidores, o fotógrafo Victor Ronccally mora no Rio, vive viajando e fazendo seus cliques e é, obviamente, uma referência de fotografia para seus seguidores.

@ZEHPRETIM

DJ, empreendedor e referência da night carioca, Zeh Pretim tá mais na frente na conta dos seguidores, com quase 19 mil. Ainda assim, ele saca demais do nicho musical e de festas, produz seus próprios rolês e, consequentemente, entende também de vários elementos ligados a esse mundo. Certo que se ele indica, seus seguidores levam bem a sério.

@FERNANDALENSKY

Fernanda tem um perfil de pegada super feminista e empoderada, com muitas referências a arte e fotografia, além de sacar muito de brechós e ter uma marca de artes integradas, slow-fashion e handmade, a Madreputa. Ela tem cerca de 16 mil seguidores.

@FIGARTUR & @UYLL

Os gêmeos Artur Figueiredo e Uyl Neto são uma surra de referências, moda contemporânea, jovem e descolada, muito estilo e fotos incríveis, de forma que não dá pra falar de um sem falar do outro. Eles são figurinhas carimbadas do melhor do rolê carioca e o Artur é também um beauty artist de responsa. Eles têm entre 3 e 4 mil seguidores no Insta.

O que muda para a Geração Y com a Reforma Previdenciária

A não ser que você tenha passado os últimos tempos em outro planeta e com zero acesso às informações de terras brasileiras, você sabe que andamos vivendo tempos polêmicos e politicamente dicotômicos e confusos, né? Muito disso se deve à proposta de reforma da previdência, trazida a nós pelo presidente Michel (Fora) Temer. Mas o que muda, de fato, com a reforma, especificamente para nós da Geração Y?

Sim, nós, os nascidos mais ou menos entre 1978 e 1990, no geral ainda jovens contribuintes, muitos dos quais nunca ou muito pouco contribuíram com o INSS porque estavam investindo em trabalhos alternativos, em sobreviver como freela, em viver das coisas que a natureza dá e afins… De que forma somos impactados, então? A gente sabe que esse papo é meio chato, mas vamo encarar a vida adulta e falar rapidinho sobre isso. Aliás, pra ser contra e ir às ruas em manifestação é importante entendermos minimamente do que estamos falando!

Agora vamos lá, o que vai acontecer se a reforma for aprovada?

A idade mínima de aposentadoria será de 65 anos para homens e mulheres.

Tempo mínimo de contribuição de 25 anos.

Para receber o valor integral do benefício, no entanto, o trabalhador precisará ter contribuído com o INSS durante 49 anos!

Atualmente não há idade mínima para se aposentar, sendo que mulheres podem solicitar o benefício com 30 anos de contribuição e homens com 35. Já o valor integral depende de um sistema de pontos aprovado em 2015, que deve somar 85 pontos para as mulheres (30 anos de contribuição + 55 anos de idade) e 95 pontos para os homens (35 anos de contribuição + 60 anos de idade). Os trabalhadores rurais também se dão mal: antes eles podiam se aposentar com 55 anos (mulheres) e 60 anos (homens), comprovando 15 anos de contribuição. Com a reforma, passam a dever 25 anos de contribuição e ambos têm que ter idade mínima de 65 anos.

Obs: para os militares nada muda. O Governo diz que as mudanças serão decididas depois da reforma, respeitando as “peculiaridades da carreira”.

A coisa tá resumida pra ficar mais clara, mas deu pra entender mais ou menos?

De acordo com o governo, essas mudanças são necessárias para equilibrar as contas da União, entendendo que temos uma sociedade em processo de envelhecimento, o que deixará a situação insustentável dentro de alguns anos. Acontece que as críticas são inúmeras e se pautam especialmente no fato de que essas regras não levam em consideração as peculiaridades do povo brasileiro em cada lugar… Enfim, o buraco é mais embaixo mesmo. Lembrando que todas essas mudanças valerão integralmente para mulheres com menos de 45 anos e homens com menos de 50 anos. Acima dessas idades a regra vai do que é conhecido como “pedágio” até os direitos integralmente garantidos como são hoje.

“Beleza campeão, e eu com isso?” Bem, se você é da Geração Y, isso significa que a mudança te afeta completamente. Assim sendo, se você nunca contribuiu com o INSS na vida, leve em consideração que você precisa contribuir no mínimo durante 25 anos para conseguir se aposentar aos 65, sendo que você precisa contribuir durante 49 anos para receber o benefício integral. Lembrando que o que vale é o tempo de contribuição e não o tempo de trabalho! Você contribui ou já contribuiu com a previdência? Tá na hora de começar a fazer essas contas.

É válido também levar em consideração o nosso comportamento como grupo. Somos notadamente uma panelinha de jovens que estão meio que cagando para a previdência, e isso tem pesquisa que diz. E com essa reforma, teremos que trabalhar bem mais CONTRIBUINDO com o INSS para termos uma aposentadoria razoável. A gente odeia pensar nisso, somos a geração do “viver o agora e depois eu me preocupo”, mas lá na frente as chances de você conseguir se organizar para ter uma velhice confortável são pequenas, hein!

E o que fazer? Que tal começar a pensar mais seriamente sobre o assunto? Comece lendo mais e se aprofundando no tema, que é cheio de poréns e detalhes e super ramificado. Depois, pense na sua situação pessoal como contribuinte, na sua idade, nos seus planos futuros, e busque entender a melhor saída. Lembrando também que existe a previdência privada como opção especialmente para aqueles que não trabalham no regime CLT, mas querem fazer seu pé de meia.

Guia alternativo para um carnaval sem cordas em Salvador

Esteja você indo passar o carnaval em Salvador ou seja você morador da cidade, aqui montamos um guia mara dos melhores rolês carnavalescos da cidade, tudo 0800, sem cordas e democrático, porque sim, é super possível curtir o carnaval da terrinha sem ter que desembolsar centenas de reais para ficar em camarotes e curtir os blocos. E para um ou outro bloco que tiver cordas, como o Gandhy, a graça também está em ver a beleza e curtir o som do lado de fora! Você já conhece o conceito de pipoca, né? Então! Cola nesse guia que seu carná vai ser só amor! Já vai montando a planilha, anotando na agenda, fazendo seu mapinha dos dias e colando na parede kkk, é muita coisa boa.

QUINTA-FEIRA, 23/02

Circuito Barra-Ondina

Luiz Caldas: 19h50

Os Mascarados (Márcia Castro com part. de Sandra de Sá): 21h05

SEXTA-FEIRA, 24/02

Circuito Barra-Ondina

Saulo: 16h15

Daniela Mercury: 18h45

Anitta: 21h30

Circuito Campo Grande

Furdunço, com várias apresentações sem cordas durante todo o dia, com a primeira atração às 14h. Alguns destaques:

As Ganhadeiras de Itapuã: 15h38

Armandinho, Dodô e Osmar: 16h20

Baianasystem: 17h08

É o Tchan: 18h

Beco das Cores

Karol Conká: 00h

SÁBADO, 25/02

Circuito Barra-Ondina

Rumpilezz: 20h15

Camarote Andante (Carlinhos Brown e convidados): 20h30

Circuito Campo Grande

Didá: 12h30 Armandinho, Dodô e Osmar: 17h

Ilê Ayê: 23h45 (o cortejo sai da Ladeira Curuzú às 21h)

Pelourinho

Baianasystem: 00h

DOMINGO, 26/02

Circuito Barra-Ondina

Armandinho, Dodô e Osmar: 18h15

Cortejo Afro: 20h30

Baby do Brasil: 21h30

Moraes Moreira: 22h15

Palco Farol da Barra

Emicida com part. de Rael: 00h

Circuito Campo Grande

Gerônimo: 14h30

Baianasystem (na Praça Castro Alves): 17h

Pelourinho

As Bahias e a Cozinha Mineira, Liniker e Tássia Reis: 19h00

Larissa Luz, Ellen Oléria e BNegão: 21h30

Bailinho de Quinta: 22h30

Polo Multicultural

Diamba

SEGUNDA-FEIRA, 27/02

Circuito Barra-Ondina

Filhos de Gandhy: 15h45

Armandinho, Dodô e Osmar: 18h45

Cortejo Afro: 21h45

Baianasystem: 22h15

Malê Debalê: 23h

Baby do Brasil: 23h30

Paulinho Boca: 23h45

Palco Farol da Barra

Luiz Caldas: 00h

Ifá com part. de Liniker e BNegão: 1h30

Circuito Campo Grande

Mudança do Garcia: 15h30

Trio Respeita as Mina (Larissa Luz, Tássia Reis e MC Carol): 17h

Sarajane: 18h30

Ilê Ayê: 19h

Beco das Cores

Liniker: 00h

TERÇA-FEIRA, 28/02

Circuito Barra-Ondina

Microtrio: 14h45

Armandinho, Dodô e Osmar: 17h45

Moraes Moreira: 20h15

Palco Farol da Barra

Baianasystem: 00h

Circuito Campo Grande

Olodum: 12h30

Daniela Mercury: 14h30

Luiz Caldas: 16h30

Margareth Menezes: 18h30

Ilê Ayê: 20h30

Contrafluxo – Praça Castro Alves

Filhos de Gandhy: 16h

Lembrando que Carlinhos Brown ainda comanda o “Arrastão da Meia-Noite”, trio sem cordas que vai fechar a folia na cidade.

Muita coisa né? Pois você não viu a missa um terço rs. A cidade terá diversos palcos espalhados, circuitos alternativos e shows e apresentações para todos os públicos e gostos! Vale a pena dar uma olhada no site oficial pra ficar ainda mais maluco com as possibilidades.

Obs: as pipocas de Armandinho, Dodô e Osmar, Moraes Moreira e Daniela Mercury são muito mara. O público é incrível e é garantia de diversão, muito suor e cerveja!

Aquecimento Oscar: fique por dentro de tudo que vai rolar na cerimônia desse ano

Está chegando uma das mais importantes premiações do cinema mundial, aquela que com frequência nos decepciona, mas nem por isso deixamos de assistir! O Oscar desse ano vai acontecer no próximo dia 26, domingo de carnaval, mas nós estaremos com um pé na folia e outro nos acontecimentos da noite? Claro que sim! A cerimônia vai rolar no Dolby Theatre, em Los Angeles, e será apresentada pelo Jimmy Kimmel, o cara do programa “Jimmy Kimmel Live”. Essa será sua estreia como apresentador do Oscar, que ano passado teve o Chris Rock como mestre de cerimônias.

“La La Land” é a aposta da vez, com nada mais, nada menos do que 14 indicações! O musical de Damien Chazelle alcançou o recorde de “Titanic” e está concorrendo inclusive a Melhor Filme, Melhor Ator (Ryan Gosling), Melhor Atriz (Emma Stone) e Direção, entre outras categorias. Aliás, vocês devem saber que Chazelle é o diretor de “Whiplash”, que concorreu ao Oscar de 2015. O cara tem só 32 anos e se levar, será o diretor mais jovem a ser agraciado com o reconhecimento. ~Apenas~.

Vocês também devem lembrar que no ano passado rolou o maior fuzuê por causa da pouca representatividade negra na premiação — justificadíssimo, diga-se. Pois esse ano a coisa melhorou um pouco, com mais negros indicados aos prêmios que contemplam atores e atrizes. Claro, ainda temos um longo caminho pela frente e não dá para tapar buraco com peneira, a mudança tem que ser real e permanente, mas temos entre os indicados inclusive Denzel Washington e Viola Davis. Em Melhor Atriz Coadjuvante são três atrizes negras indicadas, primeira vez na história do Oscar que isso acontece numa categoria de atuação.

E a Meryl Streep? A extraordinária é mais uma vez indicada a Melhor Atriz, acumulando 20 indicações e batendo seu próprio recorde. Licença né, mores.

E aí, quem já fez a maratona dos cinemas pra ficar em dia com a premiação? Aí embaixo vai uma lista dos filmes indicados em algumas das principais categorias que é pra você dar aquele checklist mara!

Melhor Filme A Chegada / Até o Último Homem / Estrelas Além do Tempo / Lion: Uma Jornada para Casa / Moonlight: Sob a Luz do Luar / Um Limite Entre Nós / A Qualquer Custo / La La Land: Cantando Estações / Manchester à Beira-Mar

Melhor Diretor Denis Villeneuve – A Chegada / Mel Gibson – Até o Último Homem / Damien Chazelle – La La Land: Cantando Estações / Kenneth Lonergan – Manchester à Beira-Mar / Barry Jenkins – Moonlight: Sob a Luz do Luar

Melhor Atriz Isabelle Huppert – Elle / Ruth Negga – Loving / Natalie Portman – Jackie / Emma Stone – La La Land: Cantando Estações / Meryl Streep – Florence: Quem é Essa Mulher?

Melhor Ator Casey Affleck – Manchester à Beira-Mar / Andrew Garfield – Até o Último Homem / Ryan Gosling – La La Land: Cantando Estações / Viggo Mortensen – Capitão Fantástico / Denzel Washington – Um Limite Entre Nós

Melhor Ator Coadjuvante Mahershala Ali – Moonlight: Sob a Luz do Luar / Jeff Bridges – A Qualquer Custo / Lucas Hedges – Manchester à Beira-Mar / Dev Patel – Lion: Uma Jornada para Casa / Michael Shannon – Animais Noturnos

Melhor Atriz Coadjuvante Viola Davis – Um Limite Entre Nós / Naomie Haris – Moonlight: Sob a Luz do Luar / Nicole Kidman – Lion: Uma Jornada para Casa / Octavia Spencer – Estrelas Além do Tempo / Michelle Williams – Manchester à Beira-Mar

Melhor Roteiro Original Taylor Sheridan – A Qualquer Custo / Damien Chazelle – La La Land: Cantando Estações / Yorgos Lanthimos e Efthimis Filippou – The Lobster / Kenneth Lonergan – Manchester à Beira-Mar / Mike Mills – 20th Century Women

Melhor Roteiro Adaptado Eric Heisserer – A Chegada / August Wilson – Um Limite Entre Nós / Allison Schroeder e Theodore Melfi – Estrelas Além do Tempo / Luke Davis – Lion: Uma Jornada para Casa / Barry Jenkins e Tarell Alvin McCraney – Moonlight: Sob a Luz do Luar

Melhor Animação Kubo e as Cordas Mágicas / Moana: Um Mar de Aventuras / Minha Vida de Abobrinha / A Tartaruga Vermelha / Zootopia: Essa Cidade é o Bicho

Melhor Longa Estrangeiro Terra de Minas (Dinamarca) / A Man Called Ove (Suécia) / O Apartamento (Irã) / Tanna (Austrália) / Toni Erdmann (Alemanha)

Melhor Documentário em Longa-Metragem Fogo no Mar / Eu Não Sou Seu Negro / Life, Animated / O.J.: Made in America / 13ª Emenda

Por sinal, fiquem de olho aqui que nós faremos aquela clássica seleção dos melhores looks da noite.

La La Land: o figurino que é tão maravilhoso quanto o filme em si e as gravatas de Ryan Gosling

Uma febre, uma obsessão, quase uma doença. Será que é exagero definir assim a relação do público com La La Land? Quem já viu pôde entender tamanha comoção em torno do filme e quem não viu ainda, não se preocupe, não daremos spoilers além do figurino, tão legal e encantador quanto a narrativa em si. O musical, dirigido por Damien Chazelle (Whiplash), abocanhou 7 categorias do Globo de Ouro e tem ainda 14 indicações ao Oscar. Tem gente que não entendeu tanto frisson, mas é que La La Land é um jovem clássico, remetendo à era de ouro de Hollywood enquanto conta a história desses dois jovens em busca de seus sonhos.

Pois bem, uma dessas indicações é inclusive a de “Melhor Figurino”, característica que realmente se destaca ali no meio de tanta coisa boa desse feel-good movie. A responsável pelo sucesso nessa área foi Mary Zophres, que trouxe aos personagens de Emma Stone (Mia) e Ryan Gosling (Sebastian) essa coisa retrô, mas pé no chão — afinal, o filme se passa nos tempos atuais. E nós amamos o resultado de Gosling! Sebastian é apaixonado por jazz de raiz e naturalmente seus looks têm uma pegada inspirada em gerações anteriores. Ele está sempre de camisa, calça e blazer; camisetas, de jeito nenhum. Ah, e sapatos bicolor! Perfeitos inclusive para os números de dança. Muito romântico e conquistador sim.

Além de tudo isso, um acessório em particular capturou o nosso olhar durante o filme: as gravatas de Sebastian! De design mais slim (mas sem ser aquele slim máximo, uma coisa meio termo), elas sempre traziam algum detalhe não só bonito, mas que claramente conversava com a cena ou o personagem. Algumas vezes mais minimalista, como a gravata azul marinho com o detalhe branco e o monograma vermelho, outras mais ousada, como a gravata preta com as teclas de piano. Ótimas!

Se você é do time dos que ainda não viu La La Land, corra pra assistir no cinema! Vale a pena.

Resumão das semanas de moda internacionais: macrofomentos para ficar de olho em 2017

Janeiro foi um mês agitado para o calendário fashion. Londres, Florença, Milão e Paris receberam desfiles de grandes marcas que apresentaram suas coleções masculinas de inverno 17/18. Muito close, vários fomentos, e a gente foi atrás dos nossos favoritos pra te deixar informado do rolê. Repara:

Uma coisa é importante ser dita. Essas semanas de moda trouxeram uma ideia de que o sonho acabou. Um ar de desencanto paira diante de tantas questões preocupantes e reviravoltas políticas que tomam o planeta. Agendas de extrema direita, Brexit, Donald Trump no poder. E de que forma isso se traduz? Especialmente nas referências à juventude, dessa vez mais anárquica, certamente melancólica, saindo das utopias e sonhos de infância e adentrando o mundo real. Referências à juventude pipocam até mesmo em marcas voltadas para um público mais maduro. A juventude é a esperança de um mundo melhor, mas será que ela vai aguentar o tranco?

Gosha Rubchinskiy

Vetements

A Louis Vuitton, que fez um desfile em parceria com a Supreme e inspirado em artistas de Nova York que viveram a glória entre 70 e 90 (Basquiat, Andy Warhol, Keith Haring…). Muito pop e trazendo a alta moda para um universo mais street (e jovem, claro).

De forma mais clara e prática, isso se mostra também no militarismo, que apareceu bastante. Não tanto como tema de uma coleção inteira, nem sempre de forma literal, mas ali, rondando, reforçando a ideia de nos equiparmos contra o que está por vir. Sim, é uma vibe bélica mesmo, reflexo dos atuais movimentos no mundo.

Moschino / Walter Van Beirendonck / Gosha Rubchinskiy / Rick Owens / Lanvin

Outra parada que bombou na temporada? Acessórios. Começando pela pochete se afirmando absoluta no reino fashionista e aparecendo em uma pá de desfiles, da óbvia Supreme em parceria com a Louis Vuitton até a Lanvin, passando quepes, bonés e boinas de variados materiais (couro especialmente, parece que vai bombar), até echarpes típicas do mundo futebolístico (alô Gosha Rubchinskiy e Lanvin).

Versace / Missoni / Louis Vuitton / Lanvin / Gosha Rubchinskiy

E sim, parece que a estampa xadrez está voltando com força. Tínhamos dado um tempo nas camisas de flanela (ou não) de estampa xadrez, especialmente aquelas estampas maiores, né? De alguma forma isso começou a voltar, as camisas amarradas na cintura foram reaparecendo (Justin Bieber usa muito e inclusive fez modelos para sua coleção Purpose Tour), e agora a estampa pode ser vista em diversos tamanhos e estilos, da pegada mais grunge à mais elegante, em casacos, camisas, sobretudos… A mistura de azul com preto marcou uma presença especial.

Versace / DSquared2 / Facetasm / Givenchy

É muito massa repararmos de que forma a moda molda nosso comportamento e também como rola o movimento inverso. Pois sem saber quem veio primeiro, o ovo ou a galinha, fato é que nessa temporada algumas marcas trouxeram muitas referências do universo raver e techno, como a Dior (ahã!). “HarDior” foi a expressão escolhida para juntar hard techno e Dior numa coisa só. Particularmente em Londres essa leitura foi mais forte, com alusões encontradas em Christopher Shannon, Cottweiler e Topman (com sua psicodelia contraposta a uma pegada mais dark e, advinha, melancólica), entre outras marcas. Nada feliz e supercolorido, mas rebelde, indócil, dark. (Fun fact: no Rio de Janeiro a cultura techno tá voltando com tudo. A pegada é underground e da rua e vem se proliferando na cidade).

Dior

Christopher Shannon / Cottweiler / Topman

Agora, a macrotendência que foi puro fomento nessa temporada sem dúvidas é o street. Não importa muito a mensagem que o designer queria passar, pois o street se encaixa, se adapta a tudo. Inclusive à alta moda, que um dia já se esquivou declaradamente dessa tendência. Da Louis Vuitton ao Gosha, da Dior à Lanvin, da Vetements à Versace… Seja nos cortes super oversized que podem ser encontrados em cada vez mais marcas, seja nos jacos esportivos, nos tênis, nas referências a grupos underground e a manifestações de rua… Enquanto em alguns lugares as tentativas são de suprimir essas iniciativas, em outros elas são até de apropriação. Mas que a estética é mara, isso é.

Lanvin / Versace / Louis Vuitton / Ermenegildo Zegna / Comme des Garçons