Category: Sem categoria

Guia alternativo para um carnaval sem cordas em Salvador

Esteja você indo passar o carnaval em Salvador ou seja você morador da cidade, aqui montamos um guia mara dos melhores rolês carnavalescos da cidade, tudo 0800, sem cordas e democrático, porque sim, é super possível curtir o carnaval da terrinha sem ter que desembolsar centenas de reais para ficar em camarotes e curtir os blocos. E para um ou outro bloco que tiver cordas, como o Gandhy, a graça também está em ver a beleza e curtir o som do lado de fora! Você já conhece o conceito de pipoca, né? Então! Cola nesse guia que seu carná vai ser só amor! Já vai montando a planilha, anotando na agenda, fazendo seu mapinha dos dias e colando na parede kkk, é muita coisa boa.

QUINTA-FEIRA, 23/02

Circuito Barra-Ondina

Luiz Caldas: 19h50

Os Mascarados (Márcia Castro com part. de Sandra de Sá): 21h05

SEXTA-FEIRA, 24/02

Circuito Barra-Ondina

Saulo: 16h15

Daniela Mercury: 18h45

Anitta: 21h30

Circuito Campo Grande

Furdunço, com várias apresentações sem cordas durante todo o dia, com a primeira atração às 14h. Alguns destaques:

As Ganhadeiras de Itapuã: 15h38

Armandinho, Dodô e Osmar: 16h20

Baianasystem: 17h08

É o Tchan: 18h

Beco das Cores

Karol Conká: 00h

SÁBADO, 25/02

Circuito Barra-Ondina

Rumpilezz: 20h15

Camarote Andante (Carlinhos Brown e convidados): 20h30

Circuito Campo Grande

Didá: 12h30 Armandinho, Dodô e Osmar: 17h

Ilê Ayê: 23h45 (o cortejo sai da Ladeira Curuzú às 21h)

Pelourinho

Baianasystem: 00h

DOMINGO, 26/02

Circuito Barra-Ondina

Armandinho, Dodô e Osmar: 18h15

Cortejo Afro: 20h30

Baby do Brasil: 21h30

Moraes Moreira: 22h15

Palco Farol da Barra

Emicida com part. de Rael: 00h

Circuito Campo Grande

Gerônimo: 14h30

Baianasystem (na Praça Castro Alves): 17h

Pelourinho

As Bahias e a Cozinha Mineira, Liniker e Tássia Reis: 19h00

Larissa Luz, Ellen Oléria e BNegão: 21h30

Bailinho de Quinta: 22h30

Polo Multicultural

Diamba

SEGUNDA-FEIRA, 27/02

Circuito Barra-Ondina

Filhos de Gandhy: 15h45

Armandinho, Dodô e Osmar: 18h45

Cortejo Afro: 21h45

Baianasystem: 22h15

Malê Debalê: 23h

Baby do Brasil: 23h30

Paulinho Boca: 23h45

Palco Farol da Barra

Luiz Caldas: 00h

Ifá com part. de Liniker e BNegão: 1h30

Circuito Campo Grande

Mudança do Garcia: 15h30

Trio Respeita as Mina (Larissa Luz, Tássia Reis e MC Carol): 17h

Sarajane: 18h30

Ilê Ayê: 19h

Beco das Cores

Liniker: 00h

TERÇA-FEIRA, 28/02

Circuito Barra-Ondina

Microtrio: 14h45

Armandinho, Dodô e Osmar: 17h45

Moraes Moreira: 20h15

Palco Farol da Barra

Baianasystem: 00h

Circuito Campo Grande

Olodum: 12h30

Daniela Mercury: 14h30

Luiz Caldas: 16h30

Margareth Menezes: 18h30

Ilê Ayê: 20h30

Contrafluxo – Praça Castro Alves

Filhos de Gandhy: 16h

Lembrando que Carlinhos Brown ainda comanda o “Arrastão da Meia-Noite”, trio sem cordas que vai fechar a folia na cidade.

Muita coisa né? Pois você não viu a missa um terço rs. A cidade terá diversos palcos espalhados, circuitos alternativos e shows e apresentações para todos os públicos e gostos! Vale a pena dar uma olhada no site oficial pra ficar ainda mais maluco com as possibilidades.

Obs: as pipocas de Armandinho, Dodô e Osmar, Moraes Moreira e Daniela Mercury são muito mara. O público é incrível e é garantia de diversão, muito suor e cerveja!

Aquecimento Oscar: fique por dentro de tudo que vai rolar na cerimônia desse ano

Está chegando uma das mais importantes premiações do cinema mundial, aquela que com frequência nos decepciona, mas nem por isso deixamos de assistir! O Oscar desse ano vai acontecer no próximo dia 26, domingo de carnaval, mas nós estaremos com um pé na folia e outro nos acontecimentos da noite? Claro que sim! A cerimônia vai rolar no Dolby Theatre, em Los Angeles, e será apresentada pelo Jimmy Kimmel, o cara do programa “Jimmy Kimmel Live”. Essa será sua estreia como apresentador do Oscar, que ano passado teve o Chris Rock como mestre de cerimônias.

“La La Land” é a aposta da vez, com nada mais, nada menos do que 14 indicações! O musical de Damien Chazelle alcançou o recorde de “Titanic” e está concorrendo inclusive a Melhor Filme, Melhor Ator (Ryan Gosling), Melhor Atriz (Emma Stone) e Direção, entre outras categorias. Aliás, vocês devem saber que Chazelle é o diretor de “Whiplash”, que concorreu ao Oscar de 2015. O cara tem só 32 anos e se levar, será o diretor mais jovem a ser agraciado com o reconhecimento. ~Apenas~.

Vocês também devem lembrar que no ano passado rolou o maior fuzuê por causa da pouca representatividade negra na premiação — justificadíssimo, diga-se. Pois esse ano a coisa melhorou um pouco, com mais negros indicados aos prêmios que contemplam atores e atrizes. Claro, ainda temos um longo caminho pela frente e não dá para tapar buraco com peneira, a mudança tem que ser real e permanente, mas temos entre os indicados inclusive Denzel Washington e Viola Davis. Em Melhor Atriz Coadjuvante são três atrizes negras indicadas, primeira vez na história do Oscar que isso acontece numa categoria de atuação.

E a Meryl Streep? A extraordinária é mais uma vez indicada a Melhor Atriz, acumulando 20 indicações e batendo seu próprio recorde. Licença né, mores.

E aí, quem já fez a maratona dos cinemas pra ficar em dia com a premiação? Aí embaixo vai uma lista dos filmes indicados em algumas das principais categorias que é pra você dar aquele checklist mara!

Melhor Filme A Chegada / Até o Último Homem / Estrelas Além do Tempo / Lion: Uma Jornada para Casa / Moonlight: Sob a Luz do Luar / Um Limite Entre Nós / A Qualquer Custo / La La Land: Cantando Estações / Manchester à Beira-Mar

Melhor Diretor Denis Villeneuve – A Chegada / Mel Gibson – Até o Último Homem / Damien Chazelle – La La Land: Cantando Estações / Kenneth Lonergan – Manchester à Beira-Mar / Barry Jenkins – Moonlight: Sob a Luz do Luar

Melhor Atriz Isabelle Huppert – Elle / Ruth Negga – Loving / Natalie Portman – Jackie / Emma Stone – La La Land: Cantando Estações / Meryl Streep – Florence: Quem é Essa Mulher?

Melhor Ator Casey Affleck – Manchester à Beira-Mar / Andrew Garfield – Até o Último Homem / Ryan Gosling – La La Land: Cantando Estações / Viggo Mortensen – Capitão Fantástico / Denzel Washington – Um Limite Entre Nós

Melhor Ator Coadjuvante Mahershala Ali – Moonlight: Sob a Luz do Luar / Jeff Bridges – A Qualquer Custo / Lucas Hedges – Manchester à Beira-Mar / Dev Patel – Lion: Uma Jornada para Casa / Michael Shannon – Animais Noturnos

Melhor Atriz Coadjuvante Viola Davis – Um Limite Entre Nós / Naomie Haris – Moonlight: Sob a Luz do Luar / Nicole Kidman – Lion: Uma Jornada para Casa / Octavia Spencer – Estrelas Além do Tempo / Michelle Williams – Manchester à Beira-Mar

Melhor Roteiro Original Taylor Sheridan – A Qualquer Custo / Damien Chazelle – La La Land: Cantando Estações / Yorgos Lanthimos e Efthimis Filippou – The Lobster / Kenneth Lonergan – Manchester à Beira-Mar / Mike Mills – 20th Century Women

Melhor Roteiro Adaptado Eric Heisserer – A Chegada / August Wilson – Um Limite Entre Nós / Allison Schroeder e Theodore Melfi – Estrelas Além do Tempo / Luke Davis – Lion: Uma Jornada para Casa / Barry Jenkins e Tarell Alvin McCraney – Moonlight: Sob a Luz do Luar

Melhor Animação Kubo e as Cordas Mágicas / Moana: Um Mar de Aventuras / Minha Vida de Abobrinha / A Tartaruga Vermelha / Zootopia: Essa Cidade é o Bicho

Melhor Longa Estrangeiro Terra de Minas (Dinamarca) / A Man Called Ove (Suécia) / O Apartamento (Irã) / Tanna (Austrália) / Toni Erdmann (Alemanha)

Melhor Documentário em Longa-Metragem Fogo no Mar / Eu Não Sou Seu Negro / Life, Animated / O.J.: Made in America / 13ª Emenda

Por sinal, fiquem de olho aqui que nós faremos aquela clássica seleção dos melhores looks da noite.

La La Land: o figurino que é tão maravilhoso quanto o filme em si e as gravatas de Ryan Gosling

Uma febre, uma obsessão, quase uma doença. Será que é exagero definir assim a relação do público com La La Land? Quem já viu pôde entender tamanha comoção em torno do filme e quem não viu ainda, não se preocupe, não daremos spoilers além do figurino, tão legal e encantador quanto a narrativa em si. O musical, dirigido por Damien Chazelle (Whiplash), abocanhou 7 categorias do Globo de Ouro e tem ainda 14 indicações ao Oscar. Tem gente que não entendeu tanto frisson, mas é que La La Land é um jovem clássico, remetendo à era de ouro de Hollywood enquanto conta a história desses dois jovens em busca de seus sonhos.

Pois bem, uma dessas indicações é inclusive a de “Melhor Figurino”, característica que realmente se destaca ali no meio de tanta coisa boa desse feel-good movie. A responsável pelo sucesso nessa área foi Mary Zophres, que trouxe aos personagens de Emma Stone (Mia) e Ryan Gosling (Sebastian) essa coisa retrô, mas pé no chão — afinal, o filme se passa nos tempos atuais. E nós amamos o resultado de Gosling! Sebastian é apaixonado por jazz de raiz e naturalmente seus looks têm uma pegada inspirada em gerações anteriores. Ele está sempre de camisa, calça e blazer; camisetas, de jeito nenhum. Ah, e sapatos bicolor! Perfeitos inclusive para os números de dança. Muito romântico e conquistador sim.

Além de tudo isso, um acessório em particular capturou o nosso olhar durante o filme: as gravatas de Sebastian! De design mais slim (mas sem ser aquele slim máximo, uma coisa meio termo), elas sempre traziam algum detalhe não só bonito, mas que claramente conversava com a cena ou o personagem. Algumas vezes mais minimalista, como a gravata azul marinho com o detalhe branco e o monograma vermelho, outras mais ousada, como a gravata preta com as teclas de piano. Ótimas!

Se você é do time dos que ainda não viu La La Land, corra pra assistir no cinema! Vale a pena.

Resumão das semanas de moda internacionais: macrofomentos para ficar de olho em 2017

Janeiro foi um mês agitado para o calendário fashion. Londres, Florença, Milão e Paris receberam desfiles de grandes marcas que apresentaram suas coleções masculinas de inverno 17/18. Muito close, vários fomentos, e a gente foi atrás dos nossos favoritos pra te deixar informado do rolê. Repara:

Uma coisa é importante ser dita. Essas semanas de moda trouxeram uma ideia de que o sonho acabou. Um ar de desencanto paira diante de tantas questões preocupantes e reviravoltas políticas que tomam o planeta. Agendas de extrema direita, Brexit, Donald Trump no poder. E de que forma isso se traduz? Especialmente nas referências à juventude, dessa vez mais anárquica, certamente melancólica, saindo das utopias e sonhos de infância e adentrando o mundo real. Referências à juventude pipocam até mesmo em marcas voltadas para um público mais maduro. A juventude é a esperança de um mundo melhor, mas será que ela vai aguentar o tranco?

Gosha Rubchinskiy

Vetements

A Louis Vuitton, que fez um desfile em parceria com a Supreme e inspirado em artistas de Nova York que viveram a glória entre 70 e 90 (Basquiat, Andy Warhol, Keith Haring…). Muito pop e trazendo a alta moda para um universo mais street (e jovem, claro).

De forma mais clara e prática, isso se mostra também no militarismo, que apareceu bastante. Não tanto como tema de uma coleção inteira, nem sempre de forma literal, mas ali, rondando, reforçando a ideia de nos equiparmos contra o que está por vir. Sim, é uma vibe bélica mesmo, reflexo dos atuais movimentos no mundo.

Moschino / Walter Van Beirendonck / Gosha Rubchinskiy / Rick Owens / Lanvin

Outra parada que bombou na temporada? Acessórios. Começando pela pochete se afirmando absoluta no reino fashionista e aparecendo em uma pá de desfiles, da óbvia Supreme em parceria com a Louis Vuitton até a Lanvin, passando quepes, bonés e boinas de variados materiais (couro especialmente, parece que vai bombar), até echarpes típicas do mundo futebolístico (alô Gosha Rubchinskiy e Lanvin).

Versace / Missoni / Louis Vuitton / Lanvin / Gosha Rubchinskiy

E sim, parece que a estampa xadrez está voltando com força. Tínhamos dado um tempo nas camisas de flanela (ou não) de estampa xadrez, especialmente aquelas estampas maiores, né? De alguma forma isso começou a voltar, as camisas amarradas na cintura foram reaparecendo (Justin Bieber usa muito e inclusive fez modelos para sua coleção Purpose Tour), e agora a estampa pode ser vista em diversos tamanhos e estilos, da pegada mais grunge à mais elegante, em casacos, camisas, sobretudos… A mistura de azul com preto marcou uma presença especial.

Versace / DSquared2 / Facetasm / Givenchy

É muito massa repararmos de que forma a moda molda nosso comportamento e também como rola o movimento inverso. Pois sem saber quem veio primeiro, o ovo ou a galinha, fato é que nessa temporada algumas marcas trouxeram muitas referências do universo raver e techno, como a Dior (ahã!). “HarDior” foi a expressão escolhida para juntar hard techno e Dior numa coisa só. Particularmente em Londres essa leitura foi mais forte, com alusões encontradas em Christopher Shannon, Cottweiler e Topman (com sua psicodelia contraposta a uma pegada mais dark e, advinha, melancólica), entre outras marcas. Nada feliz e supercolorido, mas rebelde, indócil, dark. (Fun fact: no Rio de Janeiro a cultura techno tá voltando com tudo. A pegada é underground e da rua e vem se proliferando na cidade).

Dior

Christopher Shannon / Cottweiler / Topman

Agora, a macrotendência que foi puro fomento nessa temporada sem dúvidas é o street. Não importa muito a mensagem que o designer queria passar, pois o street se encaixa, se adapta a tudo. Inclusive à alta moda, que um dia já se esquivou declaradamente dessa tendência. Da Louis Vuitton ao Gosha, da Dior à Lanvin, da Vetements à Versace… Seja nos cortes super oversized que podem ser encontrados em cada vez mais marcas, seja nos jacos esportivos, nos tênis, nas referências a grupos underground e a manifestações de rua… Enquanto em alguns lugares as tentativas são de suprimir essas iniciativas, em outros elas são até de apropriação. Mas que a estética é mara, isso é.

Lanvin / Versace / Louis Vuitton / Ermenegildo Zegna / Comme des Garçons

Dois looks por menos de R$ 130: Verão C&A

Já pintou verão, calor no coração: dei uma passada na C&A da Praça General Osório, no Rio, para montar dois looks para o fim de ano, um bem com cara de Réveillon e outro mais tropical – com o desafio de gastar menos de R$ 200 em cada um. Acabei gastando na verdade menos ainda: R$ 130 por look. Uma pechincha né? Tem alguns links pra quem quiser comprar online e evitar as filas de fim de ano!


Regata longline off-white R$ 39,99
Regata cinza R$ 19,99
Calça skinny branca R$ 69,99

Rangiroa é a linha especial masculina da Cia. Marítima, que acabou de criar uma parceria especial com a C&A. Achei todo esse estampado minha cara, nem dá pra negar!

T-Shirt Rangiroa + C&A R$ 49,99
Bermuda estampada Rangiroa + C&A R$ 79,99

Fotos Ícaro Silva

Diário de Viagem: Manaus e Floresta Amazônica

Eu tinha essa dívida forte com meu roteiro de viagens: nunca havia pisado em solo amazônico. Apesar de já ter passado uma longa temporada no Acre, como repórter da TV Brasil, e muitas viagens ao Pará, no Amazonas propriamente dito ainda não tivera a chance. Caso resolvido com o convite do SEBRAE/AM para ministrar minha palestra sobre Comunicação, Moda & Internet na cidade. Para completar, levei minha mãe como acompanhante para passarmos uns dias na capital amazonense, seguidos de uma incursão pelo arquipélago de Anavilhanas, a 200km de Manaus. Delícia.

MANAUS Tivemos cerca de dois dias na cidade, o suficiente para fazer um bom roteiro sem muita pressa. Vamos aos pontos altos:

de repente amazonas, boa tarde manaus! uma saúva de entrada quem vai? tem gosto de erva cidreira 🌿

Uma foto publicada por Caio Braz (@caiobraz) em

RESTAURANTE BANZEIRO A boa é comer no Restaurante Banzeiro, talvez um dos mais premiados da cidade, onde servem Pirarucus e Tucunarés a torto e a direito. O caldinho de tucunaré ao chegar é uma cortesia, e uma gentileza local, e todo mundo prova a entrada com purê de mandioquinha e saúvas, que tem gosto de erva-cidreira. Vale pelo exótico, mas é um prazer efêmero, porque a formiga é minúscula, risos.

Theatro Amazonas, templo da Amazônia. Visita obrigatória em Manaus. Luxo danado 👑 #CaionaEstrada #Manaus

Uma foto publicada por Caio Braz (@caiobraz) em

TEATRO AMAZONAS O verdadeiro templo amazônico depois da floresta. Pensar que construíram um teatro tão suntuoso e lindo no começo dos anos 1900, auge do período da riqueza da borracha, em uma obra que demorou 13 anos para ficar pronta e deixou um palácio das artes que explode luxo em cada olhar. A arquitetura, os afrescos, o salão nobre, é tudo lindo demais. Vale a pena fazer a visita guiada, que é super rápida e dá um panorama geral sobre a história do Amazonas.

LOJA BRASIL ORIGINAL A Brasil Original é uma loja criada pelo SEBRAE em um projeto que ajuda os artesãos amazônicos a unirem design em suas criações e desenvolverem produtos sustentáveis, lindos e com um propósito mais comercial. Já que estamos na Amazônia, estamos falando de aldeias indígenas super vulneráveis e que aproveitam a chance para encontrar um caminho mais leve no encontro com o capitalismo. Amei este projeto, comprei pulseiras lindas. Preços super justos, fica no Amazonas Shopping.

ENCONTRO DAS ÁGUAS + PASSEIO DE BARCO PELO RIO AMAZONAS Aula de geografia da sexta série, lembra? O Rio Negro se junta com o Rio Solimões para formar o Rio Amazonas, causando o fenômeno encontro das águas, onde as águas não conseguem se juntar por diferenças de densidade, velocidade, temperatura e outros fatores. Na verdade este foi um episódio triste da minha viagem com a morte do drone Patrícia, que caiu em cheio nas águas. Uma das hélices voou, o drone perdeu o controle e sequer boiou, afundou direto no rio. Ficou a lição de nunca subestimar a força amazônica, que geralmente é recorrente em destruir equipamentos. Procure saber.

HOTEL VILLA AMAZÔNIA Um tesouro a apenas 70 metros do Teatro Amazonas, este hotel foi um achado incrível. Fica em um casarão histórico todo renovado, com piscina de pedra natural, mobiliário insuportavelmente lindo, como cômodas centenárias e cadeiras Sérgio Rodrigues, um café da manhã farto e com frutas regionais, e quartos cheirando a novo. Tem também um bistrô que não cheguei a provar, mas pedi room service algumas vezes e estava sempre delicioso. Super recomendo.

Imersão completa amazônica, também na literatura, salve Hatoum

Uma foto publicada por Caio Braz (@caiobraz) em

LIVRARIA DO JOAQUIM Bem do ladinho do Teatro Amazonas há um quiosque ma-ra-vi-lho-so com um raríssimo acervo de livros amazônicos e nacionais. Joaquim Melo é o livreiro responsável pela loja, especialista em historiografia da amazônia e mestre em sociedade e cultura na Amazônia. Uma figura super interessante para se bater um papo sobre literatura amazônica e brasileira, é claro. Eu e minha mãe ficamos quase uma hora conversando com ele, compramos um dicionário incrível de tupi-nheengatu e uns livros de Milton Hatoum. Quem gostar de literatura vai pirar.

por Tricia Vieira

ORLA DE PONTA NEGRA Ponta Negra é um bairro em Manaus com um quê de Barra da Tijuca, com uns prédios residenciais de luxo na orla. É bem interessante conhecer a orla de rio, revitalizada para o Copa do Mundo 2014, e de repente tomar um banho na praia do Rio Negro. Aproveitei para correr um pouco na viagem, tem um espaço legal para soltar as pernas. Depois da corrida, tomar um açaí no Waku Sese, o lugar mais recomendado pelos locais para tomar um bom açaí sem xarope de guaraná!

SELVA AMAZÔNICA: ANAVILHANAS JUNGLE LODGE

Procurando meu Macunaíma nas águas do Rio Negro @anavilhanaslodge

Uma foto publicada por Caio Braz (@caiobraz) em

O Anavilhanas é um capítulo à parte na Amazônia e traduz bem o conceito contemporâneo do que é o luxo distinto. Imagine um hotel dentro da mata, às margens do Rio Negro, com vários chalés com varandas de vidro, rede, ar condicionado split para enfrentar o calorão, camas box, tv a cabo e tudo o mais. Foi minha primeira vez ~acampando como fazem os ricos~ e confesso que gostei.

O Anavilhanas foi criado há uns 10 anos para preencher uma lacuna turística que acontecia no Amazonas: o turista ia até Manaus mas não conseguia montar um roteiro bacana pela selva pela falta de estrutura in loco. Pensando nisso, Guto e Fabi (que conheci, são super simpáticos e conversadores) se juntaram para construir este sonho no meio da Selva – um lugar que pudesse acolher os turistas com conforto e servisse como base para pequenas explorações pela floresta.

Eis que o Anavilhanas Jungle Lodge começou de mansinho mas ganhou um empurrão midiático importante: um perfil no New York Times escrito pelo jornalista Larry Rother (vocês lembram que esse foi o cara que escreveu que Lula era um álcoolatra?). A matéria é de 2007 e de lá pra cá o Anavilhanas evoluiu bastante. Hoje recebe gringos de todas as partes do mundo: durante a minha estadia estavam japoneses, alemães, americanos e franceses. Aliás, a Amazônia ainda é mais visitada por gringos do que por nós mesmos brasileiros.

coisa marlinda o boto-cor-de-rosa 💕 eles são enormes, fiquei de face @anavilhanaslodge

Uma foto publicada por Caio Braz (@caiobraz) em

Há pacotes com duração de 3 até 6 dias e as atividades são trilhas pela floresta, passeios de barco pelos igarapés e paranás para observação de animais, visita ao santuário dos botos, pesca de piranhas, e claro muito descanso e banho de rio. Os passeios não são nada hardcore, minha mãe que tem 63 anos conseguiu fazer tudo numa boa. É mesmo um lugar de descanso: que tal na sua próxima viagem, ao invés de ir mais uma vez a uma praia, se refrescar no Rio Negro? Aliás, um ponto positivo do Rio Negro é que ele tem menos mosquitos que seu irmão Solimões, por exemplo, por conta da acidez da água e outros fatores. Mas sempre bom levar repelente e tomar a vacina de febre amarela, é claro.