Category: Fashion

Moda: 8 marcas brasileiras de meias pra incrementar seus looks

Um dia nós já tivemos certa relação esquisita com meias. Exclusivamente usadas para malhar ou em ambientes e lukinhos mega formais, escondidas, elas eram meio negligenciadas quando o assunto passava a ser tendências, looks descolados, coisa e tal. Simplesmente ficavam ali, de escanteio. Acontece que essa fase passou, né nom?! Agora as bichinhas são inclusive e muitas vezes o centro das atenções, e várias marcas bem bacanas surgiram — ou cresceram — com essa nossa mudança de hábito.

Aqui, uma seleção super brazuca que merece sua atenção!

BOLOVO

Nós já falamos da Bolovo aqui no blog e não escondemos nossa admiração pela marca “de espírito livre” e que defende que a gente vá lá criar umas memórias. Ela surgiu em 2006, criada por Lucas Stegmann e Deco Neves, e tá inserida numa plataforma, porque os caras produzem, além de peças de roupa, peças criativas tipo vídeos, fotos e o que mais vier. Dentro de tudo isso estão as meias — eles são os responsáveis por um hit do universo das meias: a estampa “Deus abençoe o rolê”.

SURREAL SÃO PAULO

A Surreal é uma marca de produção limitada e independente, tocada por Bruno Paschoal, Clibas Pacheco e Fábio Ayrosa, e que desenvolve todas as suas peças nacionalmente e se preocupa com a procedência de seus fornecedores. As inspirações são super urbanas: cidade, música, skate e arte, mas joga uma natureza aí na receita também. Eles foram até responsáveis por uma parte do merch do Mac DeMarco quando ele veio ao Brasi. Babado!

ALTAI COMPANY

“Nosso produto é um mero manifesto criado por uma pequena geração de degenerados, criativos e curiosos”. Assim a Altai se apresenta. Com o objetivo de fazer meias de qualidade confortáveis e brasileiras, a marca tem ar jovem, mas defende como seu amadurecimento vem acontecendo: ela começou há alguns anos atrás, mas foi oficialmente fundada em 2016 e inaugurada em 2017. Tudo, tudinho mesmo, é feito aqui no Brasa. E o resultado é bem, bem massa.

MEIAS 6

A 6 é uma marca de DNA carioca fundada em 2012 com a ideia de dar adeus ao monopólio das meias brancas e querendo mergulhar mesmo nas meias com experimentações gráficas de padrões e cores. Visionária, né mores? Seus pares são confeccionados na Turquia em máquinas italianas de precisão. São muitas as possibilidades, de estampas fun a outras mais chiques.

ENJOY MEIAS

A Enjoy nasceu inspirada pelo design, pela geometria e pelas cores do dia a dia pra trazer mais alternativas às nossas meias brancas furadas e sem graça kkk. A marca surgiu pra facilitar a vida inclusive dos próprios donos, que estavam enjoados do que havia disponível no mercado de meias por aí. Mais uma de produção 100% nacional com foco em dar uma força à economia local. Eles fazem modelos old school, de estampas florais, tie-dye e de lurex, pra dar uma ideia.

INVERNESS

A Inverness é uma marca madura. Ela nasceu há 24 anos!!! Atualmente, seu leque de modelos é enorme, tem meia pra todos os gostos, com diferentes tamanhos, modelos e cores. A marca tem até uma parceria com a estilista Glória Coelho, desenvolvendo as meias de sua grife com exclusividade. A qualidade é uma preocupação séria.

FEED THE FEET

A Feed the Feet tem uma vibe super verão. Marca cheinha de modelos com referências pop (tipo um monte de meias inspiradas em Game of Thrones para os fãs ficarem bem doidos rsrs). Todos os produtos são unissex e eles também vendem camisetas e acessórios.

🌴V E N I C E🌴 socks | foto do incrível @anendfor

Uma publicação compartilhada por FEED THE FEET 🇧🇷 (@feedthefeetsocks) em

NEPHEW

Marca mineira suuuper moderna, a Nephew faz umas roupas perfeitas pra vestir no rolê. A gente já falou dela aqui e de sua pegada fresh, antenada e com um toque de cultura pop que a gente ama. Criada pelo Vitor Sobrinho, que também é DJ, ela traz essas referências de lifestyle para suas criações. Criações essas que incluem meias!

“Dad look”: desvendamos a tendência da cintura alta + camisa por dentro

Por aqui, seguimos firmes e fortes na missão de descobrir e esmiuçar as tendências mais legais da moda pós-contemporânea que mais tem cara de século passado (hahaha!) e dessa vez escolhemos nos debruçar sobre uma trend que está abalando as estruturas das calças e bermudas mundo afora: a cintura alta, acompanhada, certamente, de uma bela camiseta ou camisa por dentro. Repetimos: por dentro!

Não tem mais cara de “look de papai” que nos impeça de ostentar uma cintura mais alta, ainda que a gente sempre corra o risco de parecer meio caretão. Talvez, em algum lugar no imaginário dos estilistas, a inspiração tenha sido o pai de alguém, até. Se nos últimos dez anos ou mais, o cara descolado segurava o look com um belo par de jeans super skinny e bem baixos, naquela pegada rockeiro indie que a gente já conhece, parece que o jogo virou de repente e uma nova possibilidade se abriu no horizonte dos lukinhos.

Brad Pitt por Ryan McGinley para GQ

Foram muitas as marcas que adotaram uma subida de cós ao longo das últimas temporadas, e estamos falando de marcas de peso, como Giorgio Armani, Louis Vuitton, Bottega Veneta, Fendi, Dries Van Noten, Lanvin e Prada, para citar algumas das mais importantes. Alguns modelos tinham pegada mais retrô mesmo, e outros, surpreendentemente, pareciam a coisa mais futurista dos últimos tempos. Claro que a turma do street style já havia captado a mensagem e não ia deixar toda aquela cintura escondida por baixo de suas T-shirts, nascendo assim, aliás, renascendo assim uma produção completa rs.

Dries Van Noten

Fendi / Kenzo

Haider Ackermann

Louis Vuitton

Sabe uma camiseta branca, uma calça de cintura alta, sneakers feios (outra trend que tá bombani haha) e pochete como o suprassumo do cara-que-não-curte-moda-e-quer-deixar-isso-bem-claro ou ainda do cara-que-está-completamente-alheio-ao-que-veste? Pois agora é o oposto e, só pra esclarecer: a gente ama, viu? Manda mais.

A calça preta ou jeans de corte simples com uma camiseta branca é a combinação que você pode assumir quando não quer pensar muito, mas ainda assim parecer legal (invista em sneakers ou sandálias bem massa). Agora, troque por uma calça de alfaiataria e corte amplo pra ficar mais chique, e ainda uma calça mais curtinha nos tornozelos pra ficar mucho moderno. Sem falar que a gente fica assim, achando careta, mas a verdade é que uma camisa por dentro da calça pode fazer maravilhas na hora de te deixar instantaneamente mais CHIQUE. Lembrança importante: a cintura da calça não precisa ser super lá em cima, ela pode inclusive ser no lugar “normal”, com a camiseta por dentro o efeito já rola e fica menos “abusado”pra quem quer experimentar, mas tá meio inseguro.

Uma publicação compartilhada por braz (@caio) em

Claramente já adotamos. E por aí, quem anima e quem nem de graça?

Look de rolezeiro: três acessórios polêmicos que estão voltando com tudo

É meio doido pensar que os anos 90 e principalmente os anos 2000 já passaram há tanto tempo que já voltaram a ser tendência, né? Mas tá rolando e não é de hoje, mores. Com a internet e o acesso fácil a registros múltiplos de tempos tão remotos (kkk) fica ainda mais de boas desenterrar tendências bem específicas, como essas três que a gente listou abaixo e que, por sinal, são perfeitas para o fashionista fritness que há em nós.

Nem precisa virar a cara; aposto que você fazia isso pra pochete e hoje em dia não vive sem a sua pendurada no peito, risos. Talvez não, mas a graça é defender a liberdade de usar o que se bem entende e deixar ser, né? Vamos a elas!

BONÉ VON DUTCH:

Se você era adolescente nos anos 2000, provavelmente invejou seus colegas de escola que desfilavam bonés Von Dutch pelos corredores. Talvez você mesmo tenha ostentado o acessório ou acumulado uma pequena coleção, original ou cópia (beeem comum na época). Rolou? Bem, você não estava sozinho. Paris Hilton, Britney Spears, Justin Timberlake, Pharrell, Ashton Kutcher e até Jay Z foram alguns dos nomes responsáveis por fazer o boné bombar internacionalmente. E sim, ele está voltando.

A responsável quase que solitária pelo retorno da tendência é ninguém mais, ninguém menos que Kylie Jenner, a pessoa que pode postar uma foto no Instagram com literalmente uma melancia pendurada no pescoço e possivelmente uma multidão vai adotar a ideia. Na verdade faz sentido que o boné volte ao gosto do povo, já que os anos anos 2000 estão mesmo super na moda. Por enquanto ainda tem muita gente virando a cara, outros acham tão normal quanto usar qualquer outro boné, a gente acha que é uma referência maravilhosa pra revisitar, provocar e se divertir de um jeito saudoso. E você?

ÓCULOS SPORTY-RAVER ANOS 2000:

É isso aí que você leu no título, e a imagem de óculos de armação comprida e lentes coloridas e furta-cor que chegam a ofuscar talvez tenha vindo à mente. Uma coisa new-age meets escalador de montanha, por assim dizer. Desejadíssimos e usados à exaustão no início dos anos 2000, esses óculos de pegada Oakley eram o que havia de moderno na chegada do novo milênio. Com a retomada pesadíssima da estética da época que tá rolando agora, era de se esperar que os tão controversos acessórios sofressem uma retomada.

É só ficar atento para flagrar por aí uma galera antenada nas modas exibindo os seus, que vão da praia ao rolê fomentando o concept e sem deixar de chamar a atenção. A questão é, dessa vez, até quais ambientes levaremos essas comentadas lupas? Uma coisa é certa, para a geração multi-tarefas de hoje, que vai da pedalada ao escritório, do escritório ao mergulho e do mergulho à night, óculos com esse nível de conforto e proteção podem ser uma mão na roda. A Anitta, aliás, estava plena com os seus no clipe de “Is That For Me”.

CINTO DE LONA:

Quem foi mais rockeirinho nos anos 90 com certeza investiu num desses. Os cintos de lona com aquela fivela de metal meio espelhado eram queridinhos da juventude e chegavam a ser divertidos de comprar porque eram comuns lojas que vendiam as peças separadamente. Você podia escolher a lona nas cores que quisesse e arrematar com uma fivela com desenhos aplicados e outros detalhes. Quantas calças jeans de escola já foram seguradas por esses cintos…!

Agora eles voltam como uma das finalizações mais legais para a sua produção de rolezeiro, não só simplesmente segurando as calças, mas marcando cinturas em peças oversized e te ajudando também na hora de fomentar aquela cintura alta que voltou com força. A Off-White, marca babadeira do Virgil Abloh, tem sua releitura em lona com feixes diferentes, do de metal a encaixes mais inusitados (aqueles encaixes de plástico tipo de mochila e argolas de metal, por exemplo!) e comprimento exagerado. Acessório cheio de informação de moda. A Cacete, marca brasileira sobre a qual já falamos aqui, também tem um modelo basicão do tipo que vai com tudo e vale super investir, até porque é um material que aguenta o tranco. Aliás, se você investigar os cafundós do seu armário, capaz de achar um escondido.

Uma publicação compartilhada por braz (@caio) em

Orange is the new black: inspirações da cor do momento na moda

Desde o ano passado o laranja dava sinais de que tomaria conta das nossas produções e não deu outra: de aparições mais tímidas em detalhes e misturado a outras cores até looks completos quentíssimos, a cor virou trend, bombou nas passarelas e no street style e ganhou corações & outfits mundo afora. Mas esqueça cones de trânsito, referências ao Halloween ou mugshots! Não precisa se preocupar, porque existem muitas formas de usar a frutífera cor.

O laranja surgiu em lançamentos de marcas moderninhas como a Vetements e a Supreme, além de criações de nomes como Rihanna e Justin Bieber, mas não só. Grandes maisons como Dior e Givenchy, brands tipo a J.Crew e Todd Snyder e especialmente os fashionistas das ruas adotaram o laranja como tom do ano e não teve Greenery (alô Pantone!) que impedisse isso de acontecer. É só dar uma passeada despretensiosa por boards do Pinterest com o “tema” laranja pra perceber um sem fim de referências relacionadas à febre.

A gente adora e, apesar de, num primeiro momento, o laranja assustar os góticos suaves ou os tímidos (é difícil mesmo passar despercebido com ele), a cor vem se mostrando super versátil e inclusive quebrando com a ideia de que é um tom de verão, sendo usada à exaustão em casacos e looks de frio lá fora. Aliás, já fica a dica: aproveita os dias de chuva pra ousar num jaco laranjão, que é uma peça statement do tipo que traz “interessância” a qualquer produ!

Além do impactante lukinho all-laranja (kkk), um jeito bem massa de usar o tom vibrante é se jogando em combinações com cara de anos 90 e anos 2000, outra moda babadeira que tá fluindo muito bem — pense numa coisa meio raver. Vai sem medo nas camisetas na cor com calças de cintura mais alta, nos moletons (conjuntos ficam incríveis), macacões (taí uma peça massa demais pra usar numa produção laranja, pra quem tem uma pegada mais ousada), sneakers bacanudos…

Se você acha que o laranja é “cheguei” demais e não sabe por onde começar, o que vale é explorar as possibilidades do tom em apenas uma peça do look ou mesmo em detalhes. Pode ser num boné, num óculos (aproveita que a moda dos óculos coloridos tá aí) ou numa sandália. Ah! E o nosso verão tá chegando, né? Que tal usar o laranja pra iluminar as roupas de praia e fechar 2017 numa vibe alegre (pelo menos em termos fashion)?!

Bonézinho laranja: quase-detalhe que faz a diferença.

“Chegueeei, tô preparado pra atacar”.

E vale lembrar que a cor é cheinha de simbolismos que nos interessam, hein (porque a gente adora uma cromoterapia, né mores)?! O laranja é a cor da prosperidade, e usar o tom pode nos trazer coragem e inspiração para alcançar metas com determinação. Sabe quando falamos que é difícil passar despercebido com a cor? Então, ela também incentiva a comunicação. Experimente uma produção laranja e fique atento à energia que o look e a cor trazem! Se você tem algum desafio pela frente especialmente. As roupas e as cores que escolhemos jogar sobre nossos corpos influenciam em como nos sentimos e agimos, então não é nenhuma surpresa que o laranja seja uma bela opção para fazer fluir nosso sucesso, estimulando o otimismo e a confiança. Pera, deixa eu ir ali trocar de roupa, rapidinho kkk!

A moda agênero nascida em Pernambuco e desfilada em NY pela Another Place

Como assim ainda não tínhamos falado sobre a Another Place por aqui, seguimores? Talvez você já tenha ouvido falar dessa marca pernambucana (<3) nascida em 2015 e hoje comandada por Rafael Nascimento, Caio Fontes e Kika Pontual. De pegada streetwear forte, a Another Place leva a sério um de seus principais motes, que é a moda agênero. Todas as peças são pensadas com foco em pessoas, independente de suas identificações de gênero, e o nome é uma homenagem a essa característica da brand. Another place; um outro lugar, fora do lugar comum, o fomento de novas propostas e de pensamentos mais livres.

Rafael e Kika moraram juntos por bastante tempo e viviam explorando os guarda-roupas um do outro, então foi natural que, quando Rafael resolveu criar a marca, ele quisesse tê-la ao seu lado. E essa experiência de troca de roupas certamente influenciou na decisão de construir uma marca pautada na desconstrução de gênero. E aí veio o Caio, que manda ver com seu background financeiro. No site dá pra entender um pouco mais da motivação da Another Place: “Respeitamos o ser humano como o todo que é. Macho ou fêmea. Porque roupa é expressão e todo mundo pode e deve usar o que quiser, o que couber, independentemente do sexo. Do estilo. Da profissão. A humanidade toda não cabe dentro das mesmas caixinhas”, explicam.

Legal, bacana, massa, mas isso não é tudo! A Another Place desfilou a sua coleção de inverno na semana de moda de Nova York, no início desse ano. Chamada “I See You”, a coleção veio cheia de referências genderless (claro!), tecidos inovadores, além de jeans bem massa e muito conforto. Pra ter orgulho da nova moda brasileira, sim ou com certeza? Até porque eles foram a única marca brasileira a desfilar naquela temporada, num braço do evento dedicado a novos talentos que rolou no Fashion Gallery.

Se liga no vídeo da campanha:

As inspirações da Another Place são diversas, mas abarcam especialmente as referências que cruzam os caminhos dos sócios, as pessoas ao redor deles que não têm vergonha de assumir quem são e que se expressam e se colocam no mundo em termos de moda independentemente do gênero. Gênero aqui não é barreira. E além disso, a música traz vários insights pro trio, que vende suas peças em seu e-commerce. Dá pra clicar aqui e saber mais de onde encontrar.

Moda: aproveite a chegada do inverno para investir de vez nos looks com moletom

De item básico do guarda-roupas renegado a momentos caseiros ou fitness para a estrela da festa, o moletom já viveu lá suas diferentes fases fashion. Sempre presente, nem sempre considerado uma possibilidade para o rolê, para o trabalho ou para o jantar, ele vem ganhando terreno, variedade e aceitação com o passar dos anos e já se firma como um dos tecidos nos quais vale a pena investir, inclusive pra quem tem acreditado cada vez mais num armário enxuto de poucas, mas ótimas peças.

O normcore teve muito a ver com essa evolução do moletom. O fomento de se vestir de um jeitinho “normal” casou perfeitamente com a tendência. Acontece que, hoje em dia, moletom nem é mais sinônimo de basiquinho, hein?! O que tem de marca investindo em cortes inusitados, design invejável, aplicações e estampas diferentes, só para citar algumas das possibilidades, não tá no gibi rs. Sem falar que muitas marcas importantes e até maisons começaram a investir em peças de moletom, o que significa que a trend já deixou de ser obrigatoriamente barata faz tempo, mas tudo bem, porque tem pra todos os gostos e bolsos.

Burberry // Dolce & Gabbana

LAB // Osklen

Kanye West x Adidas // À La Garçonne

Junte ao normcore e aos novos desenhos de moletons o boom do estilo esportivo sobre o qual já falamos tanto e os diversos pontos positivos de uma peça do tipo, como conforto, preço e versatilidade, e temos listados alguns dos ingredientes que fizeram esse caldeirão borbulhar. O que mais tem é celeb gringa bombando conjuntinhos de moletom nas fotos dos paparazzi, que o digam as Jenner e Kardashian, o Kanye West e o Justin Bieber, só pra citar alguns.

Kanye & Kim

ASAP // Justin Bieber

Pra nós aqui do Brasil é uma bela opção para os dias de inverno, que começaram na semana passada. É que o moletom pode ser a escolha perfeita para usar por baixo de outras camadas, como parkas e sobretudos, nos estados mais frios, e também é uma boa pedida nos estados de temperatura mais amena e equilibrada, que não têm a estação tão marcada por baixas temperaturas.

Looks monocromáticos ou com pouquíssimas cores funcionam super bem, têm cara de conjuntinho e pegada moderna ao mesmo tempo.

Bermudinhas de moletom ou bermudinhas + moletom na parte de cima super rolam e são uma boa para os dias de inverno mais amenos…

As peças de moletom ultrapassaram as barreiras do básico já faz tempo quando o assunto é corte, estampa, aplicações… Se jogue no oversized, nos estruturados e na mistura de cores se quiser montar um look ousado com o material.

Você provavelmente tem um moletom em casa! E se não tiver, cavuque armários de familiares ou amigos em busca de um antiguinho que pode dar uma cara mega descolada à produção. Vale também garimpar uns belos exemplares em brechós! Se precisa de um novo, a Hering é famosa por seus moletons bem básicos e acessíveis, e lojas esportivas, tipo a Nike, possuem várias opções. Lá no canal do Youtube, num dos episódios da série “Oficina do Braz”, rolou um DIY de moletom ensinando a fazer aquele modelo destruidão do Kanye West a partir de um casaco baratex ou (melhor ainda) daquele que você já tem em casa e não usa mais.

Quem também aposta na tendência e já tirou seu moletom da gaveta?